Bartolomeu Dias


Bartolomeu Dias foi um navegador português do século XV e o primeiro europeu a cruzar o cabo da Boa Esperança, no sul da África.

Por apresentar grande importância para a história de Portugal, ele é citado nas obras de dois poetas portugueses: Luiz de Camões e Fernando Pessoa.

Biografia

Bartolomeu DiasEstátua de Bartolomeu Dias, Londres

Bartolomeu Dias nasceu por volta de 1450, possivelmente na cidade de Mirandela, localizada na região portuguesa de Trás-os-Montes. Estudou Astronomia e Matemática na Universidade de Lisboa.

Foi escudeiro da Casa Real, administrador do Armazém da Guiné, serviu na fortaleza de São Jorge da Mina, e foi um marinheiro e militar muito experiente. Seu irmão também foi um importante navegador português: Diogo Dias.

Chegou a casar-se e teve dois filhos. Quando era escudeiro de Dom João II, o rei indicou ele para realizar uma viagem nas caravelas, com o intuito de chegar ao Oriente.

Em 1500, comandou uma das caravelas da frota de Pedro Álvares Cabral, o conquistador que viria a descobrir as terras pertencentes ao Brasil.

No entanto, Bartolomeu Dias morreu afogado, uma vez que sua caravela naufragou no sul da África. Faleceu em 29 de maio de 1500.

Viagem de Bartolomeu Dias

Em 1486, o rei Dom João II nomeou Bartolomeu Dias Capitão Mor de uma esquadra marítima. Havia duas caravelas e uma naveta de apoio, que levava os mantimentos.

Sendo assim, partiu de Lisboa em agosto de 1487, no comando de três navios.

O intuito era estabelecer relações de paz com Prestes João, um rei cristão africano. Além disso, tinha como objetivo descobrir as rotas marítimas para as Índias, facilitando a ligação entre o Oceano Atlântico e Índico.

Bartolomeu DiasRota da Viagem de Bartolomeu Dias

Nessa empreitada, em 1488, ele descobriu e passou pelo Cabo da Boa Esperança (ou Cabo das Tormentas) contornando o continente africano, até chegar no Oceano Índico. Algo que ainda nenhum europeu tinha feito.

Curiosidade: Você Sabia?

  • O nome “Cabo das Tormentas” foi cunhado por Bartolomeu Dias posto que enfrentou diversos dias de tempestades no mar, cerca de duas semanas.
  • Dom João II, feliz com a notícia de que Portugal havia encontrado um caminho marítimo para as Índias, trocou o nome para “Cabo da Boa Esperança”.

Leia também: