Pepsina

Lana Magalhães

A pepsina é a principal enzima produzida pelo estômago, a sua função é a digestão de proteínas.

A pepsina é inicialmente liberada em uma forma inativa, o pepsinogênio. Apenas quando entra em contato com o ácido clorídrico (HCl) transforma-se na forma ativa, a pepsina. A pepsina atua apenas em meio ácido.

A pepsina foi descoberta em 1835 e seu nome deriva do grego "pepsis" que significa digestão.

A ação da pepsina durante a digestão

A pepsina atua durante a digestão química dos alimentos. Nesta etapa, os alimentos são quebrados em partes menores devido à ação de várias enzimas presentes no suco digestivo.

A pepsina é produzida pelas paredes do estômago. A sua ação é controlada pela gastrina, um hormônio que também é produzido pelo estômago.

No momento em que as proteínas do alimento entram em contato com as paredes do estômago, a gastrina estimula a produção de ácido clorídrico, aumentando a acidez do órgão para um pH=2.

O baixo pH interrompe a digestão dos carboidratos por inativar a enzima amilase salivar e desnatura as proteínas, expondo as suas ligações peptídicas. Assim, essa acidez cria o ambiente favorável para a atuação da pepsina.

A pepsina catalisa a quebra das ligações peptídicas e transforma as moléculas grandes de proteínas em pequenas cadeias peptídicas.

O alimento pode passar até 4 horas no estômago sob a ação da pepsina e de outras enzimas (amilase e lipase). Ao final, o bolo alimentar transforma-se em quimo e segue para o intestino delgado.

Saiba mais, leia também:

Lana Magalhães
Lana Magalhães
Licenciada em Ciências Biológicas (2010) e Mestre em Biotecnologia e Recursos Naturais pela Universidade do Estado do Amazonas/UEA (2015). Doutoranda em Biodiversidade e Biotecnologia pela UEA.