Romance Urbano

Daniela Diana

O Romance Urbano ou Romance de Costumes designam as obras que retratam o Brasil, principalmente o Rio de Janeiro, no Segundo Reinado (1831-1840).

Apontam os aspectos negativos da vida urbana e dos costumes burgueses.

Características

Esses romances abordam as intrigas amorosas e as desigualdades econômicas. O fim é, invariavelmente, feliz e com a vitória do amor.

Obras

O livro "Memórias de um Sargento de Milícias", publicado em 1852 por Manuel Antônio de Almeida (1831-1861) é considerado a principal obra do estilo Romance Urbano ou de Costumes.

A obra é classificada como inovadora para a época, abandona a visão da burguesia urbana e retrata toda a simplicidade do povo.

O autor descreve a cidade, a sociedade e os costumes com malícia, humor e sátira em um momento de mudança da mentalidade colonial para a vida da corte.

O personagem principal "Leonardo" é considerado um "anti-herói", vive à margem da sociedade e se comporta desta maneira.

É um vagabundo escandaloso que rompe com os padrões românticos da época. Na verdade, a obra é uma crônica de costumes.

A maneira como descreve seus personagens, cheios de defeitos reais, faz de Manuel Antônio de Almeida um dos precursores do Realismo no Brasil.

O escritor que marcou o Romance Regionalista ou de Costumes, contudo, foi José de Alencar (1829-1877), com as obras "Cinco Minutos", "Sonhos d'Ouro", 'Encarnação', "A Viuvinha", "Lucíola", "Diva" e "Senhora".

Apesar de explorar a crítica aos aspectos negativos do ideal burguês, José de Alencar retrata o amor ideal, que vence todos os obstáculos no fim.

Leia também: Prosa Romântica no Brasil.

Daniela Diana
Daniela Diana
Licenciada em Letras pela Universidade Estadual Paulista (Unesp) em 2008 e Bacharelada em Produção Cultural pela Universidade Federal Fluminense (UFF) em 2014. Amante das letras, artes e culturas, desde 2012 trabalha com produção e gestão de conteúdos on-line.