8 Superpoderes das células do corpo humano

Lana Magalhães

As células são consideradas a menor parte dos organismos vivos. Em nosso corpo existem mais de 10 trilhões de células!

Além das características estudadas pela Citologia, existem alguns "superpoderes" que colocam as células como uma das estruturas mais fascinantes da ciência e que despertam o interesse dos cientistas.

Células do Corpo Humano

Milhares de células como estas formam o nosso organismo

1. Fator de cura

As tão conhecidas células-tronco são capazes de se transformarem em qualquer célula do corpo, inclusive neurônios, podendo se replicar várias vezes. Elas também podem ser programadas para realizar funções específicas.

Esse "superpoder" de transformação e multiplicação representa a possibilidade de cura para várias doenças. Acredita-se que as células-tronco do cordão umbilical podem auxiliar no tratamento de mais de 80 doenças.

2. Super orientação

As células sabem para onde devem ir. Pesquisas científicas demonstraram que os leucócitos, células de defesa do organismo, tendem a movimentar para a esquerda. O centríolo seria a organela responsável por diferenciar as direções. Isso pode representar que as células sabem para onde devem se deslocar, mesmo na ausência de estímulos externos.

3. Morte Programada

A morte programada, também chamada de apoptose, serve para eliminar células supérfluas ou defeituosas. É um processo de "suicídio programado" que tem relação com o metabolismo celular e doenças.

A morte programada das células é um processo rápido que leva até três horas para ser finalizado. Se não fosse esse processo, nosso organismo estaria acumulado de células sem função.

4. Autossacrifício em defesa do organismo

Como um bom super héroi, as células podem se sacrificar para manter o bom funcionamento do organismo. Os neutrófilos, células de defesa do organismo, podem fagocitar corpos estranhos, como bactérias. Entretanto, eles lançam substâncias que atacam os agentes estranhos e a eles próprios.

Esse "superpoder" é um tipo de morte celular programada. Porém, nesse caso, a célula mata e morre.

5. Incrível renovação do organismo

A regeneração é o processo pelo qual as células que morrem são substituídas por outras do mesmo tecido. A maioria das células do nosso corpo são renovadas durante a vida.

Por exemplo, as células da pele são constantemente substituídas. Ao machucarmos a pele, com um arranhão ou um corte, as células imediatamente entram em ação para fazer a regeneração.

As células do fígado também são constantemente renovadas. Elas vivem aproximadamente três meses e são substituídas.

Esse "superpoder" de renovação das células garante a integridade do nosso organismo.

Saiba mais sobre as células.

6. Imortalidade

Existem células que não morrem. Trata-se de uma linhagem de células imortais, denominadas de células HeLa.

Saiba como se chegou a elas: Em 1951, Henrietta Lacks foi encaminhada ao hospital com câncer de colo de útero. Porém, as suas células tumorais multiplicavam-se muito mais rapidamente do que qualquer outro tipo de câncer.

Sem o consentimento de Henrietta, o médico retirou um pedaço do tecido e o cultivou em laboratório. Ela acabou falecendo por conta do câncer. Entretanto, suas células continuaram a ser cultivadas e foram distribuídas em vários laboratórios de todo o mundo. Atualmente, não se sabe ao certo quantas células desta linhagem ainda existem, mas são por volta de bilhões.

A partir do estudo das células HeLa foi criada a vacina para a poliomielite. Elas também possibilitaram descobertas na área da virologia, AIDS, câncer, doença de Parkinson e tuberculose.

7. Controle do envelhecimento

As extremidades dos cromossomos contém um trecho de DNA que pode ser comparado comparado à fita plástica dos cadarços de um sapato. Esse trecho é chamado de telômero, podemos dizer que é a ponta dos cromossomos. O telômero contribui para a integridade do material genético.

Os pesquisadores acreditam que ao nascermos os telômeros tem um tamanho definido que vai diminuindo com as divisões celulares da célula ao longo da vida.

Assim, o envelhecimento estaria relacionado com o encurtamento dos telômeros. Isso indica que o nosso tempo de vida vai passando ao longo dos anos e também nas pontas dos cromossomos.

8. Superdefesa do organismo

A defesa do nosso organismo é mantida por um exército de células sempre a postos para entrar em ação.

Em nosso corpo, existem diversos tipos de células de defesa, como se fossem soldados, representando a linha de frente da defesa do organismo. Cada célula atua em momentos específicos e com ações definidas.

Os leucócitos sabem onde existem reações inflamatórias no organismo e migram para esse locais. Os macrofágos e neutrófilos eliminam a maior parte dos invasores, por fagocitose.

Enquanto isso, os linfócitos T identificam os agentes estranhos, os antígenos. Os linfócitos B produzem os anticorpos para combater os invasores.

Saiba mais sobre as Células do Corpo Humano.

Lana Magalhães
Lana Magalhães
Licenciada em Ciências Biológicas (2010) e Mestre em Biotecnologia e Recursos Naturais pela Universidade do Estado do Amazonas/UEA (2015). Doutoranda em Biodiversidade e Biotecnologia pela UEA.