Veias do Corpo Humano

Juliana Diana

As veias do corpo humano são vasos sanguíneos que fazem parte do sistema circulatório do organismo e se ramificam por todo nosso corpo.

A principal função das veias é transportar o sangue, pobre em oxigênio e repleto de resíduos, dos capilares para o coração. Já os vasos que levam o sangue para fora do coração são denominados artérias.

Dessa forma, note que os vasos sanguíneos são classificados como: artérias, veias e capilares sanguíneos. Eles se diferenciam entre si tanto pela função que exercem quanto pela espessura de suas paredes.

Anatomia das Veias do corpo humano

Veias do Corpo Humano
Estrutura da veia

As veias são tubos cilíndricos formados por válvulas venosas que impedem o fluxo inverso do sangue.

Elas possuem a capacidade de contração e expansão de seu tamanho de acordo com a quantidade de sangue disponibilizado, por isso ela serve de reservatório.

Para controlar o fluxo de sangue da maneira correta, as veias possuem válvulas que ajudam na manutenção da pressão sanguínea, assim como previnem o acúmulo de sangue.

A parede das veias é formada por três camadas, que são:

  • Túnica interna: é formada por tecido conjuntivo;
  • Túnica média: é a camada mais resistente e é formada por tecido muscular e tecido elástico;
  • Túnica externa: também conhecida como túnica adventícia é formada por um tecido conjuntivo flexível.

Principais Veias do Corpo Humano

Conheça a seguir as principais veias que fazem parte do corpo humano.

Veia pulmonar

veia pulmonar
A veia pulmonar atua diretamente no sistema cardiovascular

Essas veias se encarregam de levar o sangue rico em oxigênio dos pulmões até o átrio esquerdo do coração.

As veias pulmonares são quatro, sendo duas para cada pulmão: uma direita superior e uma inferior, além de uma esquerda superior e inferior.

Veias cava

veia cava inferior
Veia cava inferior com implantação de filtro para prevenção de trombose

A veia cava é considerada a principal veia do corpo, pois ela é responsável por levar o sangue da cabeça, dos membros superior, inferiores e abdômen de volta para o coração. Por isso, ela é dividida em veia cava superior e veia cava inferior.

Elas também são conhecidas por serem parte da circulação sistêmica (ou grande circulação).

A veia cava é utilizada como parte do tratamento de trombose em casos de pessoas que apresentam risco da doença.

Veia porta

veia porta
No interior do fígado a veia porta forma inúmeras ramificações

A veia porta faz parte do sistema circulatório e desempenha uma função de extrema importância, pois é por ela que o sangue que vem do intestino, estômago e esôfago passa para chegar ao fígado.

Dessa forma, temos o sistema da veia porta, que é então formado por diversas veias que formam inúmeras ramificações no interior do fígado.

Veia femoral

veia femoral
A veia femoral atua na circulação e drenagem do sangue nos membros inferiores

A veia femoral está localizada nos membros inferiores e acompanhada toda a artéria femoral. Elas estão divididas em dois grupos: profundas, que acompanham as principais artérias, e as superficiais, que ficam no tecido subcutâneo.

Essa veia percorre toda a perna e atua de forma conjunta com outras veias que promovem a circulação e drenagem do sangue dos músculos. É pela veia femoral que o fluxo de sangue da perna passa.

Veias ilíacas

veia ilíaca
A veia ilíaca quando comprimida pela artéria causa danos à circulação

As veias ilíacas estão localizadas na região do abdômen e acompanham a artéria ilíaca comum.

As veias ilíacas são classificadas em dois grupos (interna e externa) e, quando juntas, formam a veia cava inferior.

Uma anomalia comum que ocorre nesta veia é a síndrome de May-Thurner, que consiste na compressão da veia pela artéria. Após o diagnóstico, pode ser inserido um stent (espécie de rede) que faz descompressão e permite o fluxo de sangue correto.

Veia jugular

veia jugular interna
Veia jugular interna

A veia jugular está localizada no pescoço e sua função é transportar o sangue venoso (rico em dióxido de carbono e pobre em oxigênio) do crânio para as partes do corpo.

No corpo humano são encontradas dois pares, sendo uma interna e outra externa, em cada lateral do pescoço.

Veia safena

veia safena
As veias safenas estão localizadas nas pernas

As veias safena são as principais veias do sistema venoso, pois elas são responsáveis pelo transporte de sangue do membros superior para os membros inferiores do corpo.

Elas estão localizadas nos membros inferiores.

Doenças causadas pela falta de circulação nas veias

Algumas doenças podem são relacionadas às veias e a circulação. Conheça a seguir alguns exemplos.

Varizes

varizes
As varizes são o resultado da falha da circulação nas veias

As varizes são veias dilatadas que aparecem nos membros inferiores causando dores, inchaços, deformações e perda da sensibilidade. Embora seja mais comum nas mulheres, os homens também possuem varizes.

As úlceras varicosas são caracterizadas pelo acúmulo de sangue venoso, falta de oxigenação, aumento de pressão e acúmulo de toxinas.

Flebite

trombose venosa
Diferentes estágios da trombose venosa

A flebite, também chamada de trombose venosa, é caracterizada pela inflamação que ocorre na parede das veias, causando inchaços, dores e sensação de peso nas pernas.

Vale destacar que há dois tipos de flebites: a flebite superficial, caracterizada por veias visíveis; e a flebite profunda, marcada por veias mais profundas.

Curiosidades sobre as veias do corpo humano

  • As veias, artérias e vasos capilares apresentam 97 mil quilômetros em todo nosso corpo.
  • O estudo das veias e dos tratamentos de vasos sanguíneos é chamado de Flebologia.
  • A veia possui paredes mais finas que as artérias na medida em que sofrem uma pressão menor.
  • O diâmetro das veias pode variar, ou seja, algumas tem menos de 1 mm (veias finas), e outras pode chegar até 10 mm (veias grossas).

Leia também sobre:

Juliana Diana
Juliana Diana
Licenciada em Ciências Biológicas pelas Faculdades Integradas de Ourinhos (FIO) em 2007. Pós-graduada em Informática na Educação pela Universidade Estadual de Londrina (UEL) em 2010. Doutora em Gestão do Conhecimento pela UFSC em 2019.