Hipertensão


A hipertensão arterial sistêmica ou pressão alta é uma doença cardiovascular que ocorre quando a pressão arterial sistólica é maior ou igual a 140 mmHg (milímetros de mercúrio) e a pressão arterial diastólica é maior ou igual a 90 mmHg (140/90 mmHg).

A pressão arterial sistólica (PAS) é a pressão exercida pelo sangue na artéria durante a sístole, ou seja, quando o músculo cardíaco se contrai.

Já a pressão arterial diastólica (PAD) é a pressão exercida pelo sangue na diástole, ou seja, durante o relaxamento do músculo cardíaco.

No Brasil estima-se que 25% da população seja hipertensa. A hipertensão é um fator de risco para o surgimento de doenças cardiovasculares, como o infarto e o acidente vascular cerebral.

Sintomas

Tensiômetro
O tensiômetro ou esfigmomanômetro é o aparelho usado para medir a pressão arterial

Na maioria dos casos a hipertensão não apresenta sintomas, dificultando a identificação da doença. Geralmente, costumam surgir em estágios mais avançados, são eles:

  • Dores no peito
  • Dor de cabeça
  • Tonturas
  • Zumbido no ouvido
  • Fraqueza
  • Visão embaçada
  • Sangramento nasal

Causas

A hipertensão arterial tem causa hereditária em cerca de 90% dos casos, embora existam diversos fatores de risco, como:

Além disso, sabe-se também que a incidência de hipertensão arterial aumenta com a idade e é maior em:

  • Indivíduos da raça negra;
  • Homens com até 50 anos;
  • Mulheres acima de 50 anos;
  • Diabéticos.

Leia também:

Classificação em adultos

De modo geral, considera-se normal a pressão com valores 12 por 8 ou menor do que isso, quando encontra-se acima de 14 por 9 é diagnosticado como hipertensão.

ClassificaçãoPAS (mmHg)PAD (mmHg)
Normal
Pré-hipertensão120 - 13980 - 89
Hipertensão
Estágio 1140 - 15990 - 99
Estágio 2> ou igual a 160> ou igual a 100

Complicações

A hipertensão pode acarretar em vários tipos de complicações para a saúde:

  • Lesão vascular;
  • Modificações na geometria das artérias, como diminuição da luz, espessamento das paredes e até rupturas;
  • Coração: Hipertrofia do músculo cardíaco, infarto do miocárdio, insuficiência cardíaca congestiva;
  • Rins: hipertensão intraglomerular que pode levar à insuficiência renal;
  • Cérebro: Trombose, hemorragias, aneurisma.

Tratamento e Prevenção

A hipertensão arterial não tem cura, mas pode ser controlada através de medicamentos específicos.

Além disso, para a prevenção é fundamental adotar mudanças no estilo de vida, tais como:

  • Perder peso e/ou manter o peso adequado
  • Diminuir o consumo de sal
  • Praticar exercícios físicos regularmente
  • Não fumar
  • Evitar o estresse
  • Consumir bebidas alcoólicas moderadamente
  • Evitar alimentos gordurosos
  • Controlar o diabetes

Leia também sobre