Tênis de Mesa

O tênis de mesa, também chamado de ping-pong, é um esporte criado na Inglaterra, no século XIX. É um dos esportes mais populares que existem, chegando a um número estimado de cerca de 300 milhões de praticantes em todo o mundo.

O jogo, que é uma adaptação do tênis de quadra, consiste na disputa de pontos entre jogadores que golpeiam a bola com suas raquetes sobre a área de jogo (mesa). O objetivo é impedir que o adversário consiga realizar a mesma ação e devolva a bola para a área de jogo.

Assim, o atleta vencedor é aquele que obtém mais êxitos dentro do número de sets em disputa. Os sets são disputados e vence o primeiro jogador que atingir a marca de onze pontos ou dois pontos de vantagem, no caso de empate em dez pontos.

História do Tênis de Mesa

Criado na Inglaterra, no final do século XIX, o tênis de mesa ganhou rápida adesão entre praticantes. O nome original do jogo é ping-pong, mas uma empresa americana o registrou, tornando-o uma marca.

A partir daí, o jogo passou a ser chamado de tênis de mesa, mas ainda hoje, o nome ping-pong ainda é utilizado para se referir à prática recreativa do jogo, sem fins competitivos ou oficiais.

Inicialmente, jogado com equipamentos improvisados e adaptados de outros esportes, em pouco tempo, passou a contar com a produção de equipamentos próprios. Já em 1902, foi realizado o primeiro torneio oficial de tênis de mesa.

Em 1926, foi criada a Federação Internacional de Tênis de Mesa (IFTT) e realizado o primeiro campeonato mundial vencido pelos húngaros Maria Mednyansky (categoria feminina) e Roland Jacobi (masculina).

Ao longo do tempo, o jogo se popularizou em países do leste europeu e, a partir da década de 1950, passou a ser amplamente praticado nos países asiáticos como o Japão e a China. Desde então, esses países possuem uma certa hegemonia no esporte.

Por ser um jogo muito rápido, em que a bola pode atingir velocidades perto dos 200 km/h, algumas adaptações foram feitas ao longo do tempo para melhorar a jogabilidade e facilitar para os espectadores.

Em 1988, o tênis de mesa tornou-se um esporte olímpico. Em 2001, o tamanho da bola passou de 38 mm para 40 mm, aumentando a resistência do ar e diminuindo a velocidade do jogo.

No mesmo ano, os sets passaram a ser disputas de 11 pontos (antes, eram 21 pontos), buscando reduzir o tempo de jogo.

No Brasil, o tênis de mesa se popularizou em clubes e escolas, possuindo muitos adeptos e alguns nomes influentes no esporte.

Regras do Tênis de Mesa

1. Equipamentos

Para a realização do jogo são necessárias:

  • Mesa (2,74 m de comprimento, 1,52 m de largura e 0,76 m de altura).
  • Bola (tamanho: 40 mm; nas cores branca ou laranja. A bola, quando abandonada a uma altura de 30 centímetros da mesa, deve quicar a uma altura de 23 centímetros).
  • Raquetes (de madeira, com uma cobertura de borracha com uma face preta e a outra vermelha).
  • Rede (altura de 15,25 centímetros e prolongamento de 15,25 centímetros para cada lado).
  • Uniformes (camiseta, calções, meia e tênis. A camiseta e os calções precisam contrastar com a cor da bola)

2. Partida

A partida é disputada em sets A quantidade de sets pode variar, desde que se tenha uma quantidade ímpar (1, 3, 5, 7…). Vence a partida quem conquistar o maior número de sets disputados.

O vencedor do set é o participante que atingir a marca de 11 pontos. No caso de um empate em 10 pontos (10 a 10), vence o primeiro a abrir dois pontos de vantagem sobre o rival (12 a 10, 13 a 11, 14 a 12…).

Os adversários trocam de lado na mesa a cada set. No caso do último set (set desempate) essa mudança ocorre a cada 5 pontos.

3. Saque

O jogo começa com saque. O jogador deve lançar a bola a uma altura de pelo menos 16 centímetros com uma das mãos (mão livre) e deve rebater com a raquete fazendo com que a bola quique em seu campo e no campo do adversário, sem tocar na rede.

Caso o saque toque na rede e caia no campo do recebedor, é considerado uma queima e o sacador pode repetir o saque.

Caso a bola não ultrapasse a rede ou não toque em um dos campos, é considerado um erro de saque, garantindo 1 ponto para o recebedor.

Os sacadores e recebedores se alternam a cada múltiplo de dois na soma do placar do set.

4. Pontos

  • Os atletas fazem pontos quando um dos adversários:
  • Erra o saque.
  • Não consegue devolver da bola.
  • Toca na bola duas vezes seguidas.
  • Deixa a bola tocar em seu campo duas vezes consecutivas.
  • Move a mesa de jogo.
  • Toca a rede ou seus suportes.
  • Toca a mesão com a mão durante a jogada.

5. Empunhadura

Atualmente, no tênis de mesa existem três formas de se segurar a raquete (empunhadura).

Empunhadura clássica

Nesse tipo de empunhadura, a raquete é manejada como uma raquete de tênis de quadra ou "um aperto de mãos".

Esse tipo de empunhadura permite golpes com as duas faces da raquete: forehand e backhand, mas exige uma maior movimentação do atleta.

Caneta (caneta japonesa)

Nessa empunhadura, segura-se a raquete como se fosse uma caneta, com o cabo para cima.

Esse tipo de empunhadura é muito utilizado por jogadores brasileiros e asiáticos. Como só se usa um dos lados da raquete, há uma maior dificuldade de realizar os golpes no lado fraco (esquerda para destros e direita para canhotos).

Classineta

A classineta é um misto entre as duas empunhaduras tradicionais. Apesar de assemelhar-se com a empunhadura de caneta, permite atacar a bola com as duas faces da raquete.

Interessou? Leia também: