Estrutura de artigo de opinião

Márcia Fernandes
Escrito por Márcia Fernandes
Professora licenciada em Letras

Um artigo de opinião deve ter a estrutura de um texto dissertativo-argumentativo, ou seja, introdução, desenvolvimento e conclusão, os quais devem contemplar:

  • introdução - contextualização e sua posição diante do tema;
  • desenvolvimento - argumentação e contra-argumentação;
  • conclusão - resumo das ideias.

1. Introdução de artigo de opinião

Na introdução, o autor dá a conhecer ao leitor não só o tema do seu artigo, mas o que pensa sobre ele.

A primeira parte do texto é utilizada para explicar o que será discutido e o motivo de escrever sobre esse tema, que geralmente é polêmico.

É justamente o fato de ser polêmico que atrai a curiosidade dos leitores para a sua leitura. Isso porque as pessoas procuram conhecer diferentes perspectivas acerca de temas controversos para, assim, formarem a sua própria opinião.

Após apresentar o tema e o seu posicionamento, os parágrafos seguintes contemplarão os seus argumentos.

Exemplo de introdução de artigo de opinião

"Após as primeiras semanas de isolamento social (a medida concreta adotada pelos governos para diminuir a propagação do coronavírus e seus impactos por recomendação de autoridades de saúde e cientistas nacionais e internacionais) apareceu no debate público uma falsa contradição entre a economia e a vida."

(Introdução de artigo de opinião assinado pelos professores de economia da Faculdade de Administração, Ciências Contábeis e Ciências Econômicas FACE/UFG – Economia e a vida, de 30 de março de 2020)

2. Desenvolvimento de artigo de opinião

Agora que o leitor já conhece o tema do artigo e sabe o que o autor pensa a respeito dele, chega o momento de esclarecer a sua opinião.

Deste modo, o desenvolvimento apresenta argumentos - o que fez com que o autor pensasse de determinada forma sobre o tema abordado no seu texto?

Como o artigo de opinião tem o objetivo de influenciar os leitores, muitas vezes ele apresenta uma reflexão acerca de argumentos contrários que poderiam colocar em causa o que o autor diz. Prevendo isso, o autor apresenta contra argumentos.

A exposição de perspectivas diferentes enriquece um texto. Ao mesmo tempo, fundamentar as ideias também são um recurso essencial para mostrar que o autor tem conhecimento sobre o que escreve e que suas opiniões não são meramente subjetivas.

Exemplo de desenvolvimento de artigo de opinião

"A pandemia atual, assim como outras pandemias vividas no passado (ex. a gripe espanhola em 1918, a gripe H1N1 em 2009) e qualquer crise de ordem natural como uma seca ou um período de chuvas excessivas em determinada região, perturba o sistema econômico. Contudo, é preciso lembrar que reproduzir materialmente a vida é condição essencial de qualquer sistema econômico. As pessoas parecem não se dar conta que a maior parte dos nossos esforços produtivos e a maior parcela dos produtos que geramos não são essenciais para a nossa reprodução orgânica, ainda que sejam para a nossa reprodução social, cultural e financeira. A maior parcela dos esforços é voltada para atender necessidades que vão além do suprimento básico de garantia da vida, o que mostra que temos capacidade de sobra para superar a crise atual fazendo um ajuste temporário. Tudo depende de nossa união e organização."

(Trecho de desenvolvimento de artigo de opinião assinado pelos professores de economia da Faculdade de Administração, Ciências Contábeis e Ciências Econômicas FACE/UFG – Economia e a vida, de 30 de março de 2020)

3. Conclusão de artigo de opinião

Na conclusão, o autor reúne tudo o que foi exposto e faz um apanhado para o leitor poder organizar as suas ideias.

Nessa parte, que encerra o artigo de opinião, devem ser apontados os argumentos apresentados e explicados nos parágrafos do desenvolvimento. Por fim, o autor esclarece que em decorrência do exposto essa é a forma dele pensar.

Exemplo de conclusão de artigo de opinião

"Fundamental é organizar a economia para o provimento do básico para todas as pessoas: alimentação, moradia, saneamento, remédios, serviços de saúde, comunicação, educação, água e segurança. Diversas políticas econômicas podem ser adotadas para viabilizar esse módulo de sobrevivência da economia. Embora os detalhes delas possam ser discutidos, não há dúvidas de que podemos superar esse momento com a troca de ideias de modo civilizado no interesse de toda Humanidade, sem apelar para um falso trade-off, já que a economia deve estar a serviço da vida e nunca o contrário."

(Conclusão de artigo de opinião assinado pelos professores de economia da Faculdade de Administração, Ciências Contábeis e Ciências Econômicas FACE/UFG – Economia e a vida, de 30 de março de 2020)

Para você entender melhor:

Atualizado em
Márcia Fernandes
Escrito por Márcia Fernandes
Professora, pesquisadora, produtora e gestora de conteúdos on-line. Licenciada em Letras pela Universidade Católica de Santos.