Biogênese

Lana Magalhães

A teoria da biogênese admite que todos os seres vivos são originados de outros seres vivos preexistentes.

Antes da biogênese, a teoria aceita para explicar a origem dos seres vivos era a abiogênese. A abiogênese defendia que os seres vivos originam-se de modo espontâneo.

Por exemplo, acreditava-se que os vermes que surgiam em cadáveres de humanos e animais eram resultados da geração espontânea do processo de putrefação.

Muitos cientistas da época questionavam a abiogênese. Louis Pasteur foi o responsável por derrubar definitivamente a abiogênese. Porém, até isso acontecer, vários estudiosos realizam experimentos para comprovar e fortalecer cada uma das teorias.

Atualmente, a biogênese é a teoria aceita para explicar como os seres vivos surgiram na Terra.

Abiogênese x Biogênese: os defensores

A teoria da abiogênese foi a primeira a surgir. Assim, os seus defensores remontam a tempos mais antigos.

Os principais defensores da abiogênese foram: Jean Baptitste Van Helmot, Willian Harvey, René Descartes, Isaac Newton e John Needhan.

Os principais defensores da biogênese foram: Ernest Haeckel, Thomas Henry Hurley, Stanley Miller, Lázzaro Spallanzani, Francesco Redi e Louis Pasteur.

Abiogênese x Biogênese: os experimentos

Em 1668, Francesco Redi foi primeiro a questionar a teoria da abiogênese. Para isso, realizou um experimento com pedaços de carnes cruas dentro de frascos fechados e abertos.

Após alguns dias, surgiram larvas apenas nos frascos abertos. Redi concluiu que as moscas colocaram ovos nos frascos abertos. Como nos frascos fechados não surgiram larvas, ficou demonstrado que seres vivos não surgiam de modo espontâneo.

O experimento de Redi provou que organismos vivos só podem surgir a partir de uma outra forma de vida preexistente.

Saiba mais sobre o Experimento de Redi.

Porém, em 1745, John Needham voltou a reforçar a teoria da abiogênese. Ele realizou um experimento onde aqueceu, em tubos de ensaio, caldos nutritivos com alimentos. Os tubos de ensaio foram fechados para impedir a entrada de ar e de formas de vida, sendo novamente aquecidos.

Com os dias, surgiram microrganismos dentro dos tubos. Needham concluiu que esses seres surgiram por geração espontânea, porque ao aquecer os tubos foram eliminadas todas as formas vivas. Ele concluiu que existia uma "força vital" que era a responsável pelo surgimento dos microrganismos.

Assim, a teoria da abiogênese voltou a ganhar força.

Saiba mais sobre a Abiogênese.

Em 1770, Lazzaro Spallanzani questionou o experimento de Needham.

Ele realizou o mesmo experimento de Needham, porém, colocou o caldo nutritivo em balões hermeticamente fechados e os submeteu à fervura. Depois de alguns dias, observou que não existiam microrganismos.

Spallanzani concluiu que Needham não havia fervido os seus caldos nutritivos por tempo suficiente e os microrganismos não foram totalmente eliminados.

Needham respondeu dizendo que Spallanzani havia fervido o caldo nutritivo por muito tempo e destruiu a "força vital". Nesses questionamentos entre experimentos, Needham saiu com vantagem e a abiogênese continuou fortalecida.

Em 1862, Louis Pasteur realizou um experimento de derrubou definitivamente a abiogênese.

Ele realizou experimentos com caldos nutritivos em balões do tipo pescoço de cisne. Ao ferver o líquido e quebrar o pescoço do balão, surgiam microrganismos. Enquanto o pescoço não era quebrado, os microrganismos não apareciam.

Pasteur provou que a fervura não destruia nenhuma "força ativa", bastava quebrar o pescoço do balão que os microrganismos surgiam. Assim, a biogênese foi aceita como a teoria para explicar o surgimento dos seres vivos.

Saiba mais sobre:

Lana Magalhães
Lana Magalhães
Licenciada em Ciências Biológicas (2010) e Mestre em Biotecnologia e Recursos Naturais pela Universidade do Estado do Amazonas/UEA (2015). Doutoranda em Biodiversidade e Biotecnologia pela UEA.