Ditongo

Márcia Fernandes

Ditongo é o encontro vocálico de uma vogal e uma semivogal (V + SV) ou de uma semivogal e uma vogal (SV + V) na mesma sílaba.

Exemplos:

  • cai-xa (V + SV)
  • de-grau (V + SV)
  • sé-rie (SV + V)

Nos exemplos acima, vemos que quando dividimos as palavras caixa, degrau e série, em cada uma delas uma vogal e uma semivogal ficam juntas. Se elas se separassem não eram ditongos.

Leia devagar em voz alta e veja a diferença: cai-xa (não dizemos ca-i-xa), de-grau (não dizemos de-gra-u) e sé-rie (não dizemos sé-ri-e).

Diferença entre vogal e semivogal

Quanto a sua classificação, os ditongos podem ser Crescentes ou Decrescentes, de acordo com a sua localização, e em Orais ou Nasais, de acordo com a sua pronúncia.

Abaixo, explicamos cada um deles. Confira!

Ditongo Crescente

Ditongo crescente é aquele em que a semivogal vem antes da vogal (SV + V). Neste caso, o som aumenta (cresce) do menos para o mais forte.

Exemplos:

  • gló-ria
  • má-goa
  • pin-guim

Ditongo Decrescente

Ditongo decrescente é aquele em que a vogal vem antes da semivogal (V + SV). Aqui acontece o contrário, ou seja, o som diminui (decresce) do mais para o menos forte.

Exemplos:

  • vai-dade
  • lei-te
  • céu

Ditongo Oral

Ditongo oral é aquele que é emitido pela boca, tais como ai, ei, ie, oi, ui.

Exemplos:

  • cha-péu
  • or-quí-dea
  • pau

Ditongo Nasal

Os ditongos nasais, por sua vez, são emitidos pela boca e pelas fossas nasais, tais como ão, ãe, õe.

Exemplos:

  • mão
  • mãe
  • põe

Exemplos de Ditongo

Ditongos Classificação quanto à localização Classificação quanto à pronúncia
a-le-mães decrescente nasal
cai decrescente oral
cei-a decrescente oral
frou-xo decrescente oral
his-tó-ria crescente oral
mei-a decrescente oral
mói decrescente oral
moi-ta decrescente oral
mui-to decrescente oral
Neu-sa decrescente oral
noi-te decrescente oral
pai decrescente oral
pão decrescente nasal
pa-pai-a crescente oral
pá-tria crescente oral
pei-xe decrescente oral
qua-dra-do crescente oral
qual crescente oral
quei-jo decrescente oral
quei-xa decrescente oral
sa-bão decrescente nasal
sai-a decrescente oral
sau-da-de decrescente oral
sé-rio crescente oral
tei-a decrescente oral

Com o Novo Acordo Ortográfico, os ditongos "oi" das palavras paroxítonas deixam de receber acento tônico. Exemplos: as-te-roi-de, ce-fa-loi-de, pa-ra-noi-co (antes: asteróide, cefalóide, paranóico).

O mesmo acontece com os ditongos "ei". Exemplos: a-tei-a, eu-ro-pei-a, pro-so-po-pei-a (antes: atéia, européia e prosopopéia).

Ditongo, Tritongo e Hiato

Além do ditongo, existem também outros encontros vocálicos: o tritongo e o hiato.

O tritongo é o encontro de uma semivogal com uma vogal e mais uma semivogal (SV + V + SV) na mesma sílaba.

Exemplos:

  • en-xa-guou
  • quão
  • U-ru-guai

O hiato é o encontro de duas vogais (V + V) em sílabas diferentes.

Exemplos:

  • cu-ri-o-so
  • pa-ís
  • ra-iz

Há especialmente duas características que distinguem os encontros vocálicos:

  1. Uma respeita ao número de vogais e semivogais. Assim, enquanto no ditongo temos o encontro de uma vogal e de uma semivogal (dois = V + SV ou SV + V), no tritongo, há duas semivogais e uma vogal (três = SV + V + SV), nas mesmas sílabas.
  2. A outra respeita à separação desses encontros a partir do momento em que são pronunciados, de modo que, enquanto no ditongo há o encontro de dois fonemas - vogal e semivogal - na mesma sílaba, no hiato o encontro das duas vogais acontece em sílabas distintas.
Márcia Fernandes
Márcia Fernandes
Professora, pesquisadora, produtora e gestora de conteúdos on-line. Licenciada em Letras pela Universidade Católica de Santos.