Ditongo

Márcia Fernandes
Márcia Fernandes
Professora licenciada em Letras

Ditongo é o encontro de uma vogal com uma semivogal na mesma sílaba (cai-xa, de-grau, sé-rie).

Quando fazemos a separação das sílabas, a vogal e a semivogal não se separam. Se elas se separassem não seriam ditongos.

O ditongo é um tipo de encontro vocálico, ou seja, um encontro entre vogal e semivogal.

As VOGAIS são: a, e, i, o, u.

As SEMIVOGAIS são: i, u (também podem ser semivogais: e, o).

Para identificarmos quando algumas letras são vogais ou semivogais, temos que estar atentos à sua pronúncia.

Por exemplo, leia devagar as seguintes palavras: pais e país.

Na palavra pais (pais), não separamos as sílabas e, assim, A e I ficam juntos. Mas, em português, uma sílaba não pode ter mais do que uma vogal, por isso sabemos que o I é uma semivogal.

Na palavra país (pa-ís), separamos as sílabas e, assim, A e I ficam separados. Em português, uma sílaba não pode ter mais do que uma vogal, por isso sabemos que o A e I são vogais.

Uma vogal seguida da letra M também pode ser ditongo quando é pronunciada com som de semivogal. Exemplos: bem, can-tam, fa-lam.

Quanto à sua classificação, os ditongos podem ser: crescentes ou decrescentes (de acordo com a sua localização) e orais ou nasais (de acordo com a sua pronúncia).

Exemplos de ditongos

  • água (á-gua)
  • alemães (a-le-mães)
  • asteroide (as-te-roi-de)
  • ateia (a-tei-a )
  • bem (bem)
  • cai (cai)
  • caixa (cai-xa)
  • cantam (can-tam)
  • ceia (cei-a)
  • cefaloide (ce-fa-loi-de)
  • céu (céu)
  • chapéu (cha-péu)
  • degrau (de-grau)
  • equestre (e-ques-tre)
  • europeia (eu-ro-pei-a)
  • falam (fa-lam)
  • frequente (fre-quen-te)
  • frouxo (frou-xo)
  • glória (gló-ria)
  • história (his-tó-ria)
  • leite (lei-te)
  • mágoa (má-goa)
  • mãe (mãe)
  • mão (mão)
  • meia (mei-a)
  • mói (mói)
  • moita (moi-ta)
  • muito (mui-to)
  • Neusa (Neu-sa)
  • noite (noi-te)
  • oblíquo (o-blí-quo)
  • orquídea (or-quí-dea)
  • pai (pai)
  • pão (pão)
  • papaia (pa-pai-a)
  • paranoico (pa-ra-noi-co)
  • pátria (pá-tria)
  • pau (pau)
  • peixe (pei-xe)
  • pinguim (pin-guim)
  • põe (põe)
  • prosopopeia (pro-so-po-pei-a)
  • quadrado (qua-dra-do)
  • qual (qual)
  • quase (qua-se)
  • queijo (quei-jo)
  • queixa (quei-xa)
  • sabão (sa-bão)
  • sagui (sa-gui)
  • saia (sai-a)
  • saudade (sau-da-de)
  • série (sé-rie)
  • sério (sé-rio)
  • teia (tei-a)
  • vaidade (vai-da-de)

Com o Novo Acordo Ortográfico, os ditongos "oi" das palavras paroxítonas deixam de receber acento tônico. Exemplos: as-te-roi-de, ce-fa-loi-de, pa-ra-noi-co (antes: asteróide, cefalóide, paranóico).

O mesmo acontece com os ditongos "ei". Exemplos: a-tei-a, eu-ro-pei-a, pro-so-po-pei-a (antes: atéia, européia e prosopopéia).

Ditongo crescente

Ditongo crescente é aquele em que a semivogal vem antes da vogal (SV + V). Neste caso, o som aumenta (cresce) do menos para o mais forte.

Exemplos:

  • água (á-gua)
  • equestre (e-ques-tre)
  • frequente (fre-quen-te)
  • glória (gló-ria)
  • história (his-tó-ria)
  • linguiça (lin-gui-ça)
  • mágoa (má-goa)
  • oblíquo (o-blí-quo)
  • papaia (pa-pai-a)
  • pátria (pá-tria)
  • pinguim (pin-guim)
  • quadrado (qua-dra-do)
  • qual (qual)
  • quase (qua-se)
  • sagui (sa-gui)
  • sério (sé-rio)

Ditongo decrescente

Ditongo decrescente é aquele em que a vogal vem antes da semivogal (V + SV). Aqui acontece o contrário, ou seja, o som diminui (decresce) do mais para o menos forte.

Exemplos:

  • alemães (a-le-mães)
  • cai (cai)
  • ceia (cei-a)
  • céu (céu)
  • frouxo (frou-xo)
  • leite (lei-te)
  • meia (mei-a)
  • mói (mói)
  • moita (moi-ta)
  • muito (mui-to)
  • Neusa (Neu-sa)
  • noite (noi-te)
  • pai (pai)
  • pão (pão)
  • peixe (pei-xe)
  • queijo (quei-jo)
  • queixa (quei-xa)
  • sabão (sa-bão)
  • saia (sai-a)
  • saudade (sau-da-de)
  • teia (tei-a)
  • vaidade (vai-dade)

Ditongo oral

Ditongo oral é aquele que é emitido pela boca, tais como ai, ei, ie, oi, ui.

Exemplos:

  • cai (cai)
  • ceia (cei-a)
  • chapéu (cha-péu)
  • frouxo (frou-xo)
  • história (his-tó-ria)
  • meia (mei-a)
  • mói (mói)
  • moita (moi-ta)
  • Neusa (Neu-sa)
  • noite (noi-te)
  • orquídea (or-quí-dea)
  • pai (pai)
  • papaia (pa-pai-a)
  • pátria (pá-tria)
  • pau (pau)
  • peixe (pei-xe)
  • quadrado (qua-dra-do)
  • qual (qual)
  • queijo (quei-jo)
  • queixa (quei-xa)
  • saia (sai-a)
  • saudade (sau-da-de)
  • sério (sé-rio)
  • teia (tei-a)

Ditongo nasal

Os ditongos nasais, por sua vez, são emitidos pela boca e pelas fossas nasais, tais como ão, ãe, õe.

Exemplos:

  • alemães (a-le-mães)
  • cães (cães)
  • cãibra (cãi-bra)
  • lição (li-ção)
  • mãe (mãe)
  • mão (mão)
  • muito (mui-to)
  • não (não)
  • pão (pão)
  • põe (põe)
  • sabão (sa-bão)

O que são ditongo, tritongo e hiato?

Ditongo, tritongo e hiato são tipos de encontros vocálicos, ou seja, encontro de vogais e semivogais.

O tritongo é o encontro de semivogal, vogal e semivogal na mesma sílaba.

Exemplos: en-xa-guou, quão, U-ru-guai.

O hiato é o encontro de duas vogais em sílabas diferentes.

Exemplos: cu-ri-o-so, pa-ís, ra-iz.

Há especialmente duas características que distinguem os encontros vocálicos:

Uma respeita ao número de vogais e semivogais. Assim, enquanto no ditongo temos o encontro de uma vogal e de uma semivogal (dois = V + SV ou SV + V), no tritongo, há duas semivogais e uma vogal (três = SV + V + SV), nas mesmas sílabas.

A outra respeita à separação desses encontros a partir do momento em que são pronunciados. Enquanto no ditongo há o encontro de dois fonemas (vogal e semivogal) na mesma sílaba, no hiato o encontro das duas vogais acontece em sílabas distintas.

Leia também:

Encontros vocálicos

Vogal, semivogal e consoante

Márcia Fernandes
Márcia Fernandes
Professora, produtora e gestora de conteúdos on-line. Licenciada em Letras pela Universidade Católica de Santos (habilitação para Ensino Fundamental II e Ensino Médio) e formada no Curso de Magistério (habilitação para Educação Infantil e Ensino Fundamental I).