Exercícios de regência verbal e nominal com gabarito

Carla Muniz
Carla Muniz
Professora licenciada em Letras

Faça os exercícios abaixo e avalie os seus conhecimentos sobre regência verbal e regência nominal através do gabarito comentado.

Questão 1

(VUNESP/2020)

Suponha que a foto e o texto a seguir façam parte de um informativo turístico.

exercício regência verbal e regência nominal
https://www.riodejaneirohotel.com.br/site/br/ponto-turistico/1037/Pontos%20Tur%C3%ADsticos/ilha-fiscal

Os interessados ____ conhecer a Ilha Fiscal devem se dirigir ao centro histórico da cidade, onde está o Espaço Cultural da Marinha, ____ qual partem as embarcações que conduzem os turistas à Ilha para uma visita monitorada, ____ duração é de, aproximadamente, duas horas.

Para que o texto esteja redigido em conformidade com a norma-padrão, as lacunas devem ser preenchidas, respectivamente, por:

a) a … no … com a qual a
b) a … ao … cuja
c) com … do … onde
d) em … do … cuja
e) em … no … com a qual a

Alternativa correta: d) em … do … cuja

Confira as explicações abaixo e entenda a regência correta de cada lacuna.

“... interessados em conhecer ...”

Com o nome “interessado”, podemos usar dois complementos: as preposições “em” e “por”. Quem está interessado, está interessado em algo/alguém, ou está interessado por algo/alguém.

No texto, a preposição “em” é regida, ou seja, reivindicada pela palavra “interessados” e estabelece ligação entre “interessados” e “conhecer”; “interessados” é o termo regente e “em conhecer” é o termo regido.

À esta relação entre um nome (interessados) e um complemento (em) dá-se o nome de regência nominal.

“... Espaço Cultural da Marinha, ____ qual partem as embarcações ...”

Quando o verbo “partir” tem o sentido de sair, retirar-se; ir-se embora, seu complemento exige a preposição “de”: quem parte, parte de algum lugar.

Assim, o verbo “partir” é o termo regente, ou seja, exige que seja usado um complemento formado por de + local (termo regido): as embarcações partem do Espaço Cultural da Marinha - “partem” é o termo regente e “do Espaço Cultural da Marinha” é o termo regido.

Quando há uma relação de subordinação entre um verbo e um complemento (que pode ser um adjunto adverbial, um objeto direto ou um objeto indireto), temos um caso de regência verbal.

“ … uma visita monitorada, ____ duração é de, aproximadamente, duas horas.”

Na frase, “cujo” tem função de pronome relativo; é usado para evitar a repetição dos termos “uma visita monitorada” e para sintetizar a frase. Observe a diferença:

“… uma visita monitorada, e a duração da visita monitorada é de, aproximadamente, duas horas.

“ … uma visita monitorada, cuja duração é de, aproximadamente, duas horas.”

Questão 2

Identifique se as frases abaixo apresentam regência verbal ou regência nominal:

a) Ele sempre desobedece aos avós
b) Ouvimos a história e ficamos estarrecidos.
c) Você está duvidando de quê?
d) Moro longe dos meus pais.

Resposta correta:

a) Ela sempre desobedece aos avós - regência verbal
b) Ouvimos a história e ficamos estarrecidos. - regência verbal
c) Moro longe dos meus pais. - regência nominal
d) Você está duvidando de quê? - regência verbal
e) Ele anda desgostoso da vida. - regência nominal
f) Não me sinto apta para o cargo. - regência nominal

Confira as explicações:

a) Ela sempre desobedece aos avós - regência verbal

Quando uma frase apresenta uma relação de subordinação entre um verbo (desobedece) e um complemento (aos avós), temos um caso de regência verbal.

O verbo “desobedecer” exige o uso de um complemento; quem desobedece, desobedece a algo ou a alguém; “desobedecer” é o termo regente e “aos avós” é o termo regido.

OBS.: aos = a (preposição) + os (artigo).

b) Ouvimos a história toda. - regência verbal

O primeiro indício de que a frase apresenta regência verbal é o fato de nenhum dos elementos ser uma preposição. Sempre que a regência é nominal, existe relação entre um complemento preposicionado e um nome (adjetivo, advérbio ou substantivo).

Observe a frase e veja que o termo regente é um verbo (ouvimos) e o termo regido é um complemento que tem função de objeto direto (a história). Essa relação entre um verbo e um complemento caracteriza a regência verbal.

c) Moro longe dos meus pais. - regência nominal

O termo regente da frase é um nome, que tem função de advérbio (longe). Quem mora longe, mora longe de algo/alguém.

Logo, temos uma relação entre um nome (longe) e um complemento (dos meus pais); isso caracteriza uma regência nominal.

d) Você está duvidando de quê? - regência verbal

Na frase, o termo regente é um verbo transitivo indireto (duvidando). Quem duvida, duvida de alguma coisa. Sendo assim, “duvidar” é um termo regente e requer complemento preposicionado (o termo regido "de quê?).

Quando a relação existente é entre um verbo e um complemento, a regência é verbal.

e) Ele anda desgostoso da vida. - regência nominal

Observe que o termo regente é um nome e ele tem função de adjetivo: desgostoso. Quem anda desgostoso, anda desgostoso de algo. Na frase, “desgostoso” é o termo regente e “da vida” é o termo regido.

Sempre que há uma relação entre um nome (adjetivo, advérbio ou substantivo) e um complemento, a regência é nominal.

f) Não me sinto apta para o cargo. - regência nominal

A palavra “apta” (nome com função de adjetivo) é o termo regente da frase. Quem se sente apto, se sente apto a/para alguma coisa. Logo, o adjetivo “apta” requer o uso de um complemento preposicionado (para o cargo). Tal complemento é o termo regido.

Onde há relação entre um nome e um complemento, a regência é nominal.

Veja também: Regência verbal e Regência nominal

Questão 3

(IBADE/2018)

De acordo com a norma culta, o verbo destacado no trecho: “até mesmo para colocar em prática aquilo que ACREDITAMOS”, aceita outra regência; portanto, também estaria correto:

a) de que acreditamos.
b) com que acreditamos.
c) a que acreditamos.
d) em que acreditamos.
e) pelo qual acreditamos

Alternativa correta: d) em que acreditamos.

Quem acredita, acredita em algo/alguém. Logo, de acordo com a norma culta, o verbo “acreditar” também pode exigir complemento com preposição. Observe a frase reescrita:

“... colocar em prática aquilo em que acreditamos.”

À relação entre um verbo e um complemento, dá-se o nome de regência verbal.

Questão 4

Identifique se as frases abaixo estão CERTAS ou ERRADAS:

a) O termo regente é o nome ou o verbo ao qual o complemento está subordinado.
b) O termo regido é o complemento de um nome ou de um verbo.
c) A regência nominal é a relação entre um nome e um termo regente.
d) A regência verbal é a relação entre um verbo e um termo regente.
e) A regência de um verbo está diretamente relacionada com a sua transitividade

Resposta correta:

a) O termo regente é o nome ou o verbo ao qual o complemento está subordinado. CERTA
b) O termo regido é o complemento de um nome ou de um verbo. CERTA
c) A regência nominal é a relação entre um nome e um termo regente. ERRADA
d) A regência verbal é a relação entre um verbo e um termo regente. ERRADA
e) A regência de um verbo está diretamente relacionada com a sua transitividade. CERTA

Confira as explicações:

Resposta correta:

a) O termo regente é o nome ou o verbo ao qual o complemento está subordinado. CERTA

O termo regente é aquele que exige um complemento para ter determinado sentido.

Quando a regência é nominal, o termo regente é um nome (adjetivo, advérbio ou substantivo) e o termo regido é um complemento preposicionado, subordinado a esse nome.

Exemplo: Tenho medo de escuro.
Termo regente: medo
Termo regido: de escuro

Já na regência verbal, o termo regente é um verbo e o termo regido é um complemento pode ser um objeto direto, um objeto indireto ou um adjunto adverbial.

Exemplo: Chegamos ao teatro pontualmente.
Termo regente: chegamos
Termo regido: ao teatro

b) O termo regido é o complemento de um nome ou de um verbo. CERTA

Quando o termo regido é o complemento de um verbo, a regência é verbal. Neste caso, ele pode ser um objeto direto, um objeto indireto ou um adjunto adverbial.

Exemplo: Vou ao hospital.
Termo regente: vou
Termo regido: ao hospital.

Observe que “ao hospital” complementa o sentido do verbo “ir”: quem vai, vai a algum lugar.

Quando o termo regido é o complemento de um nome (adjetivo, advérbio ou substantivo), a regência é nominal.

Exemplo: Tenho aversão a insetos.
Termo regente: aversão
Termo regido: a insetos

“a insetos” complementa o sentido do nome “aversão”; quem tem aversão, tem aversão a algo/alguém.

c) A regência nominal é a relação entre um nome e um termo regente. ERRADA

A regência nominal é a relação entre um nome e um termo regido. O nome é o próprio termo regente.

Exemplo: Estou cansado de escrever.
Termo regente: cansado
Termo regido: de escrever

d) A regência verbal é a relação entre um verbo e um termo regente. ERRADA

A regência verbal é a relação entre um verbo e um termo regido. O verbo é o próprio termo regente.

Exemplo: Cansei de escrever.
Termo regente: cansei
Termo regido: de escrever

e) A regência de um verbo está diretamente relacionada com a sua transitividade. CERTA

A transitividade de um verbo indica, por exemplo, se ele requer complemento (verbo transitivo) ou não (verbo intransitivo).

Indica também ele se requer complemento com preposição (verbo transitivo indireto), ou se requer complemento sem preposição (verbo transitivo direto).

Além disso, a transitividade indica se tal verbo requer mais de um complemento; um com preposição e outro sem (verbo transitivo e intransitivo.)

Veja também: Transitividade verbal

Questão 5

(UTFPR/2007)

Praga é a cidade NA QUAL Mozart viu "estourar" suas óperas "As bodas de Fígaro" e "Don Giovani".

O termo destacado pode ser substituído, sem ferir a norma culta ou alterar o sentido, por

I. em que.
II. quando.
III. onde.

Está(ão) correta(s) apenas:

a) I
b) II
c) III
d) I e III

Alternativa correta: d) I e III

A palavra “quando” expressa ideia de tempo, e não ideia de lugar.

Na frase, podemos observar que “na qual” faz referência à palavra “Praga”, que é uma cidade e, logo, um termo que pode ser representativo de lugar. O mesmo se aplica à palavra “onde”.

Questão 6

Na frase abaixo, identifique o termo regente e o termo regido, e indique se a regência é verbal ou nominal.

Sou licenciada em Letras.

Resposta correta:

  • Termo regente: licenciada
  • Termo regido: em Letras
  • Tipo de regência: regência nominal

A regência nominal é a relação entre um nome (termo regente) e um complemento (termo regido). Esse complemento sempre inicia com preposição.

Questão 7

(EEAR/2017)

Leia:


E lá estão elas novamente, as quatro cachorrinhas amáveis. Rose, a mais serelepe, sempre chama as outras para brincar. Ruth, latindo desaforos, prefere uma boa corrida pelo gramado ao marasmo de um sono tranquilo. Ciça, no aconchego próprio da idade que avança, obedece o chamado de sua caminha e lá se vai deitar com o olhar lânguido da indiferença. Já Vilma é mais pacata e aspira ao sossego das tardes quentes com que o verão nos presenteia.

Está com a regência verbal incorreta o verbo referente a

a) Rose
b) Ruth
c) Ciça
d) Vilma

Alternativa correta: c) Ciça

Entenda a regência dos verbos em destaque:

  • chamar: verbo transitivo direto; não precisa de complemento com preposição. Quem chama, chama algo ou alguém.
  • preferir: verbo transitivo direto e indireto; precisa de mais de um complemento; um com preposição (objeto indireto) e outro sem (objeto direto). Quem prefere, prefere uma coisa à outra.
  • obedecer: verbo transitivo indireto; precisa de um complemento com preposição. Quem obedece, obedece a algo ou a alguém.
  • aspirar: verbo transitivo indireto; precisa de complemento com preposição. Quem aspira, aspira a algo.

Veja também: Verbo transitivo direto, Verbo transitivo indireto e Verbo transitivo direto e indireto

Questão 8

Na frase abaixo, identifique o termo regente e o termo regido, e indique se a regência é verbal ou nominal.

Esqueci o seu nome.

Resposta correta:

  • Termo regente: esqueci
  • Termo regido: o seu nome
  • Tipo de regência: regência verbal

A regência verbal é a relação entre um verbo (termo regente) e um complemento (termo regido). Esse complemento pode ser preposicionado ou não.

Questão 9

(FUVEST/2001)

A única frase que NÃO apresenta desvio em relação à regência (nominal e verbal) recomendada pela norma culta é:

a) O governador insistia em afirmar que o assunto principal seria “as grandes questões nacionais”, com o que discordavam líderes pefelistas.
b) Enquanto Cuba monopolizava as atenções de um clube, do qual nem sequer pediu para integrar, a situação dos outros países passou despercebida.
c) Em busca da realização pessoal, profissionais escolhem a dedo aonde trabalhar, priorizando à empresas com atuação social.
d) Uma família de sem-teto descobriu um sofá deixado por um morador não muito consciente com a limpeza da cidade.
e) O roteiro do filme oferece uma versão de como conseguimos um dia preferir a estrada à casa, a paixão e o sonho à regra, a aventura à repetição.

Alternativa correta: e) O roteiro do filme oferece uma versão de como conseguimos um dia preferir a estrada à casa, a paixão e o sonho à regra, a aventura à repetição.

Confira as explicações abaixo:

a) O governador insistia em afirmar que o assunto principal seria “as grandes questões nacionais”, com o que discordavam líderes pefelistas.

A regência do verbo “discordar” requer o uso da preposição “de”; quem discorda, discorda de alguma coisa.

Logo, a frase correta seria: O governador insistia em afirmar que o assunto principal seria “as grandes questões nacionais”, das quais discordavam líderes pefelistas.

Se reordenarmos a frase, esse desvio em relação à regência fica mais notório. Compare:

  • Líderes pefelistas discordavam com as grandes questões nacionais. (ERRADA)
  • Líderes pefelistas discordavam das grandes questões nacionais. (CORRETA)


b) Enquanto Cuba monopolizava as atenções de um clube, do qual nem sequer pediu para integrar, a situação dos outros países passou despercebida.

A regência do verbo integrar requer o uso da preposição; quem se integra, se integra a algo (se adapta a algo como membro).

Assim sendo, para estar correta de acordo com a norma culta, a frase deveria ser: Enquanto Cuba monopolizava as atenções de um clube, ao qual nem sequer pediu para integrar, a situação dos outros países passou despercebida.

Outra possibilidade também admitida pela norma culta é o uso do verbo “integrar” com um complemento sem preposição. Confira as duas opções (ambas corretas):

  • Ele não pediu para integrar o clube. (sem preposição)
  • Ele não pediu para integrar ao clube. (com preposição)

c) Em busca da realização pessoal, profissionais escolhem a dedo aonde trabalhar, priorizando à empresas com atuação social.

A regência do verbo “priorizar” não requer preposição, logo o uso de “à” é incorreto; quem prioriza, prioriza alguma coisa (não se usa preposição).

Outro erro da frase é o uso de “aonde”. O verbo “trabalhar” não indica movimento e, por isso, deveria ter sido usada a palavra “onde”.

Assim sendo, veja a frase reescrita de acordo com a norma culta:

"Em busca da realização pessoal, profissionais escolhem a dedo onde trabalhar, priorizando empresas com atuação social."

d) Uma família de sem-teto descobriu um sofá deixado por um morador não muito consciente com a limpeza da cidade.

“Consciente” é um nome que exerce função de adjetivo. Sua regência requer a preposição “de”; quem é consciente, é consciente de algo.

Para estar em conformidade com a norma culta, a frase deveria ser escrita da seguinte forma: "Uma família de sem-teto descobriu um sofá deixado por um morador não muito consciente da limpeza da cidade."

e) O roteiro do filme oferece uma versão de como conseguimos um dia preferir a estrada à casa, a paixão e o sonho à regra, a aventura à repetição.

Todas as regências dessa frase estão corretas e em conformidade com a normal culta.

Questão 10

Assinale a alternativa em que a regência verbal está de acordo com a norma culta

Prefiro tênis ________ futebol.

a) do que
b) a
c) à
d) de que

Alternativa correta: b) a

A regência do verbo “preferir” requer dois complementos: um sem preposição (o objeto direto "tênis") e um com preposição (o objeto indireto "a futebol").

Veja também:

Carla Muniz
Carla Muniz
Professora, lexicógrafa, tradutora, produtora de conteúdos e revisora. Licenciada em Letras (Português, Inglês e Literaturas) pelas Faculdades Integradas Simonsen, em 2002.