Exercícios de Regência verbal

Márcia Fernandes

Pronto para testar seus conhecimentos em regência verbal? Não perca tempo! Pratique com exercícios inéditos, e também que já caíram no vestibular e mais concursos. Confira as respostas no gabarito comentado pelos nossos professores.

Questão 1

(FGV) Assinale a alternativa em que a regência verbal está de acordo com a norma culta.

a) As crianças, obviamente, preferem mais os doces do que os legumes e verduras.
b) Assista uma TV de LCD pelo preço de uma de projeção e leve junto um Home Theater!
c) O jóquei Nélson de Sousa foi para Inglaterra visando títulos e euros.
d) Construir impérios a partir do nada implica inovação e paixão pelo risco.
e) A Caixa Econômica informou os mutuários que não haverá prorrogação de prazos.

Alternativa d: Construir impérios a partir do nada implica inovação e paixão pelo risco.

Correção das restantes frases:
a) As crianças, obviamente, preferem os doces aos legumes e verduras. (O verbo "preferir" deve sempre ser seguido da preposição "a").
b) Assista a uma TV de LCD pelo preço de uma de projeção e leve junto um Home Theater! (O verbo "assistir", com o sentido de ver - exige preposição).
c) O jóquei Nélson de Sousa foi para Inglaterra visando a títulos e euros. (O verbo "visar", com sentido de "objetivo", exige preposição).
d) A Caixa Econômica informou aos mutuários que não haverá prorrogação de prazos. (O verbo "informar" exige um complemento sem e outro com preposição: informar algo a alguém).

Questão 2

(ESPM) Embora de ocorrência frequente no cotidiano, a gramática normativa não aceita o uso do mesmo complemento para verbos com regências diferentes. Esse tipo de transgressão só não ocorre na frase:

a) Pode-se concordar ou discordar, até radicalmente, de toda a política externa brasileira. (Clóvis Rossi)
b) Educador é todo aquele que confere e convive com esses conhecimentos. (J. Carlos de Sousa)
c) Vi e gostei muito do filme “O Jardineiro Fiel” cujo diretor é um brasileiro.
d) A sociedade brasileira quer a paz, anseia por ela e a ela aspira.
e) Interessei-me e desinteressei-me pelo assunto quase que simultaneamente.

Alternativa d: A sociedade brasileira quer a paz, anseia por ela e a ela aspira.

Correção das restantes frases:
a) Pode-se, até radicalmente, concordar com toda a política externa brasileira ou discordar de toda ela.
b) Educador é todo aquele que confere os conhecimentos e convive com eles.
c) Vi o filme “O Jardineiro Fiel”, cujo diretor é um brasileiro, e gostei muito dele.

A alternativa e) está correta, pois "interessar" e "desinteressar" são regidos por preposição.

Questão 3

(FEI) Assinale a alternativa em que haja erro de regência verbal:

a) Deu-lhe um belo presente de aniversário.
b) Levei-o para o médico esta manhã.
c) Gostamos deste novo filme.
d) Fui no cinema ontem.
e) O lenço caiu no chão.

Alternativa d: Fui no cinema ontem.
O correto é "Fui ao cinema ontem", porque o verbo "ir", para indicar destino, é regido pelas preposições "a, para".

Questão 4

(Fiocruz) Assinale a frase onde a regência do verbo assistir está errada.

a) Assistimos um belo espetáculo de dança a semana passada.
b) Não assisti à missa.
c) Os médicos assistiram os doentes durante a epidemia.
d) O técnico assistiu os jogadores.

Alternativa a: Assistimos um belo espetáculo de dança a semana passada.

O correto é: Assistimos a um belo espetáculo de dança a semana passada. Isso porque o verbo "assistir" seguido de complemento com preposição (objeto indireto), tem o sentido de "ver". Seguido de complemento sem preposição (objeto direto), tem o sentido de "ajudar".

Questão 5

(Unimep) Quando implicar tem sentido de “acarretar”, “produzir como consequência”, constrói-se a oração com objeto direto, como se vê em:

a) Quando era pequeno, todos sempre implicavam comigo.
b) Todos implicam com gremistas.
c) Pelo que diz o assessor, isso implica em gastos.
d) O atraso no pagamento do carnê implica em juros.
e) Uma nova briga implicará situação desconfortável.

Alternativa e: Uma nova briga implicará situação desconfortável.

Nas alternativas a) e b), "implicar" tem o sentido de "embirrar". Nesse caso, o verbo é transitivo indireto, ou seja, seu complemento exige preposição (em ambos os casos, "com").
As alternativas c) e d) apresentam registos que ainda não são considerados por muitos dicionários.

Questão 6

(ITA) O Programa Mulheres está mudando. Novo cenário, novos apresentadores, muito charme, mais informação, moda, comportamento e prestação de serviços. Assista amanhã, a revista eletrônica feminina que é a referência do gênero na TV.

O verbo “assistir”, empregado em linguagem coloquial, está em desacordo com a norma gramatical.

a) Reescreva o último período de acordo com a norma.
b) Justifique a correção.

a) Assista amanhã à revista eletrônica feminina que é a referência do gênero na TV.

b) O verbo "assistir" com o sentido de "ver" exige preposição. Assim, temos a junção de a (preposição) + a (artigo) = à.

Questão 7

(UFPa) Assinale a alternativa que contém as respostas certas:

I - Visando apenas os seus próprios interesses, ele, involuntariamente, prejudicou toda uma família.
II - Como era orgulhoso, preferiu declarar falida a firma a aceitar qualquer ajuda do sogro.
III - Desde criança sempre aspirava a uma posição de destaque, embora fosse tão humilde.
IV - Aspirando o perfume das centenas de flores que enfeitavam a sala, desmaiou.

a) II - III - IV
b) I - II - III
c) I - III - IV
d) I - III
e) I - II

Alternativa a) II - III - IV, porque:

II. O verbo "preferir" deve ser seguido por preposição "a": "Preferiu... a aceitar...".
III. O verbo "aspirar" , com o sentido de "desejar", deve ser seguido por preposição "a": "... aspirava a uma posição de destaque".
IV. O verbo "aspirar", com o sentido de "inalar", é transitivo direto. Por esse motivo, seu complemento não é introduzido por preposição.

Correção da frase I: Visando apenas aos seus próprios interesses, ele, involuntariamente, prejudicou toda uma família.
Isso porque o verbo "visar", com o sentido de "meta, objetivo", é transitivo indireto, ou seja, é acompanhado por preposição "a" ("Visando a + os seus próprios interesses").

Questão 8

(Fuvest) Assinale a alternativa que preencha corretamente os espaços.

Posso informar ______ senhores ______ ninguém, na reunião, ousou aludir ______ tão delicado assunto.

a) aos – de que – o
b) aos – de que – ao
c) aos – que – à
d) os – que – à
e) os – de que – a

Alternativa e: os – de que – a.

O verbo informar exige complemento com preposição (referente a quem se informa) ou sem preposição (o que se informa), no entanto, quando um dos complementos do verbo é oracional, pode-se obter outras construções.

"... que ninguém, na reunião, ousou aludir..." é um complemento oracional. Neste caso, há duas construções possíveis:

"Posso informar aos senhores que ninguém..." ou "Posso informar os senhores de que ninguém...", as quais encontramos nas alternativas c) e e) respectivamente.

Quanto ao verbo "aludir" , o mesmo exige preposição, afinal quem faz alusão, faz alusão a algo. Como o que se segue está no masculino, esse "a" não é craseado, de modo que o correto é "ousou aludir a tão delicado assunto".

Assim, a alternativa correta é a letra e): Informei os senhores de que ninguém na reunião ousou aludir a tão delicado assunto.

Questão 9

(PUC-Campinas) A frase em que a relação entre os verbos e seu complemento está corretamente expressa é:

a) Ontem conhecemos e simpatizamos muito com seu amigo.
b) Ela comete e depois se arrepende dos desatinos.
c) Aprovo sua proposta, mas não concordo inteiramente.
d) Ele não se esqueceu nem perdoou a ofensa.
e) Presenciamos e deploramos a reação do atleta.

Alternativa e: Presenciamos e deploramos a reação do atleta.

Correção das restantes frases:
a) Ontem conhecemos o seu amigo e simpatizamos muito com ele. (O verbo "conhecer" é transitivo direto, enquanto o verbo "simpatizar" é transitivo indireto).
b) Ela comete os desatinos e depois se arrepende deles. (O verbo "cometer" é transitivo direto, enquanto o verbo "arrepender" é transitivo indireto).
c) Aprovo sua proposta, mas não concordo com ela inteiramente. (O verbo "aprovar" é transitivo direto, enquanto o verbo "concordar" é transitivo indireto).
d) Ele não se esqueceu da ofensa nem a perdoou. (O verbo "esquecer" é transitivo indireto, enquanto o verbo "perdoar" é transitivo direto).

Questão 10

(ITA) Assinale a alternativa correta:

a) Antes prefiro aspirar uma posição honesta que ficar aqui.
b) Prefiro aspirar uma posição honesta que ficar aqui.
c) Prefiro aspirar a uma posição honesta que ficar aqui.
d) Prefiro antes aspirar a uma posição honesta que ficar aqui.
e) Prefiro aspirar a uma posição honesta a ficar aqui.

Alternativa e: Prefiro aspirar a uma posição honesta a ficar aqui.

O verbo "aspirar" - com o sentido de desejar - é regido pela preposição "a". O verbo "preferir" também é regido pela preposição "a".

Questão 11

(FGV) Leia abaixo um fragmento de Música ao Longe, de Érico Veríssimo. Depois, responda às perguntas.

a) Na linha 19, o que justifica o uso de preposição após o verbo lembrar?
b) Transcreva a frase, mas utilize outra regência do verbo lembrar admitida pela norma culta.

1. HORA DA SESTA. Um grande silêncio no casarão.
2. Faz sol, depois de uma semana de dias sombrios e úmidos.
3. Clarissa abre um livro para ler. Mas o silêncio é tão grande que, inquieta, ela torna a pôr o
4. volume na prateleira, ergue-se e vai até a janela, para ver um pouco de vida.
5. Na frente da farmácia está um homem metido num grosso sobretudo cor de chumbo. Um
6. cachorro magro atravessa a rua. A mulher do coletor aparece à janela. Um rapaz de pés
7. descalços entra na Panificadora.
8. Clarissa olha para o céu, que é dum azul tímido e desbotado, olha para as sombras fracas
9. sobre a rua e depois se volta para dentro do quarto.
10. Aqui faz frio. Lá no fundo do espelho está uma Clarissa indecisa, parada, braços caídos,
11. esperando. Mas esperando quê?
12. Clarissa recorda. Foi no verão. Todos no casarão dormiam. As moscas dançavam no ar,
13. zumbindo. Fazia um solão terrível, amarelo e quente. No seu quarto, Clarissa não sabia que
14. fazer. De repente pensou numa travessura. Mamãe guardava no sótão as suas latas de
15. doce, os seus bolinhos e os seus pães que deviam durar toda a semana. Era proibido entrar
16. lá. Quem entrava, dos pequenos, corria o risco de levar palmadas no lugar de
17. costume.
18. Mas o silêncio da sesta estava cheio de convites traiçoeiros. Clarissa ficou pensando.
19. Lembrou-se de que a chave da porta da cozinha servia no quartinho do sótão.
20. Foi buscá-la na ponta dos pés. Encontrou-a no lugar. Subiu as escadas devagarinho. Os
21. degraus rangiam e a cada rangido ela levava um sustinho que a fazia estremecer.
22. Clarissa subia, com a grande chave na mão. Ninguém... Silêncio...
23. Diante da porta do sótão, parou, com o coração aos pulos. Experimentou a chave. A
24. princípio não entrava bem na fechadura. Depois entrou. Com muita cautela, abriu a porta e
25. se viu no meio duma escuridão perfumada, duma escuridão fresca que cheirava a doces,
26. bolinhos e pão.
27. Comeu muito. Desceu cheia de medo. No outro dia D. Clemência descobriu a violação, e
28. Clarissa levou meia dúzia de palmadas.
29. Agora ela recorda... E de repente se faz uma grande claridade, ela tem a grande idéia. “A
30. chave da cozinha serve na porta do quarto do sótão.” O quarto de Vasco fica no sótão...
31. Vasco está no escritório... Todos dormem... Oh!
32. E se ela fosse buscar a chave da cozinha e subisse, entrasse no quarto de Vasco e
33. descobrisse o grande mistério?
34. Não. Não sou mais criança. Não. Não fica direito uma moça entrar no quarto dum rapaz.
35. Mas ele não está lá... que mal faz? Mesmo que estivesse, é teu primo. Sim, não sejas
36. medrosa. Vamos. Não. Não vou. Podem ver. Que é que vão pensar? Subo a escada,
37. alguém me vê, pergunta: “Aonde vais, Clarissa?” Ora, vou até o quartinho das malas.
38. Pronto. Ninguém pode desconfiar. Vou. Não, não vou. Vou, sim!
(Porto Alegre: Globo, 1981. pp. 132-133)

a) O fato do verbo ser pronominal “lembrar-se” (lembrar-se de que a chave).
b) Lembrou que a chave da porta da cozinha servia no quartinho do sótão.

Questão 12

(PUC-SP) O período "Verdade é que se lembrava de que D. Maria podia com muito justa razão ..." apresenta regência verbal que obedece ao padrão culto da língua.

Escolha, entre as alternativas a seguir, aquela que, também, é aceita pelo padrão culto da língua.

a) Verdade é que lembrava de que D. Maria podia com muito justa razão...
b) Verdade é que lembrava que D. Maria podia com muito justa razão...
c) Verdade é que se lhe lembrava de que D. Maria podia com muito justa razão...
d) Verdade é que lhe lembrava de que D. Maria podia com muito justa razão...
e) Verdade é que o lembrava que D. Maria podia com muito justa razão...

Alternativa b: Verdade é que lembrava que D. Maria podia com muito justa razão...

O verbo "lembrar" é transitivo direto, mas pode ser transitivo indireto desde que sejam acompanhados por pronomes. Assim, estão corretas as construções:

Lembrava que D. Maria... OU Lembrava-se de que D. Maria...

Questão 13

(UFPel) A frase que não apresenta problema(s) de regência, levando em consideração a língua escrita, é:

a) Preferiu sair antes do que ficar até o fim da peça.
b) O cargo a que todos visavam já foi preenchido.
c) Lembrou de que precisava voltar ao trabalho.
d) As informações que dispomos não são suficientes para esclarecer o caso.
e) Não tenho dúvidas que ele chegará breve.

Alternativa b: O cargo a que todos visavam já foi preenchido.
Isso porque o verbo "visar", com sentido de "ter como objetivo" é transitivo indireto (acompanhado de preposição).

Correção das restantes frases:
a) Preferiu sair antes a ficar até o fim da peça. (O verbo "preferir" é regido pela preposição "a").
c) Lembrou que precisava voltar ao trabalho. (O verbo "lembrar" é transitivo direto. Ele pode ser transitivo indireto - com preposição - apenas quando assume a forma pronominal "lembrou-se de que").
d) As informações de que dispomos não são suficientes para esclarecer o caso. (O verbo "dispor", com sentido de "possuir", exige complemento com preposição).
e) Não tenho dúvidas de que ele chegará breve. (O verbo "duvidar" pode ser transitivo direto ou indireto. Quando é seguido de pronome (neste caso, "ele"), deve ser acompanhado por preposição. Embora "dúvida" não seja um verbo, imaginemos a oração da seguinte forma: "Duvido de que ele chegará breve").

Questão 14

(UECE) Não ocorre erro de regência em:

a) A equipe aspirava o primeiro lugar.
b) Obedeça aos mais experientes.
c) Deu a luz a vizinha a três crianças sadias.
d) O verdadeiro amor sucede frequentes contatos.

Alternativa b: Obedeça aos mais experientes.
Isso porque o verbo "obedecer" deve ser introduzido por preposição "a"(obedecer a).

Correção das restantes frases:
a) A equipe aspirava ao primeiro lugar. ("aspirar", com sentido de "desejar" é regido por preposição "a").
c) Deu à luz a vizinha a três crianças sadias. (Na expressão "dar à luz", a palavra "luz" assume a função de objeto indireto, por isso é acompanhada pela preposição "a").
d) O verdadeiro amor sucede a frequentes contatos. (O verbo "suceder" é transitivo indireto. Assim, deve ser acompanhado pela preposição "a").

Questão 15

(UEPG) A alternativa incorreta de acordo com a gramática da língua culta é:

a) Obedeço o regulamento.
b) Custa crer que eles brigam.
c) Aspiro o ar da manhã.
d) Prefiro passear a ver televisão.
e) O caçador visou o alvo.

Alternativa a: Obedeço o regulamento.
O correto é: Obedeço ao regulamento. ("Obedecer" é um verbo transitivo indireto, por isso deve ser acompanhado por preposição).

b) O verbo "crer" exige complemento com ou sem preposição.
c) O verbo "aspirar" - com o sentido de respirar - não exige preposição.
d) O verbo "preferir" deve sempre ser seguido da preposição "a".
e) O verbo "visar" - com o sentido de mirar - não exige preposição.

Questão 16

(UGF) Assinale a frase em que há erro de regência verbal.

a) O desmatamento implica destruição e fome.
b) Chegamos na cidade antes do anoitecer.
c) Jonas reside na Rua das Marrecas.
d) Avisei-o de que devia partir.
e) Os ambientalistas assistiram a uma conferência.

Alternativa b: Chegamos na cidade antes do anoitecer.

O correto é: Chegamos à cidade antes do anoitecer. Isso porque o verbo “chegar” é regido pelas preposições “a, para” para indicar destino: “Chegamos à cidade” (preposição a + artigo a: a + a = à).

Questão 17

(FEI) Assinalar a alternativa que apresenta incorreção na regência verbal:

a) Custou-lhe entender a explicação.
b) Toda mudança implica um novo comportamento.
c) Os paraquedistas precisaram o lugar da queda.
d) As autoridades não perdoaram aos grevistas a sua ousadia.
e) Informei-lhe sobre os novos planos da empresa.

Alternativa e: Informei-lhe sobre os novos planos da empresa.

O correto é: Informei-lhe os novos planos da empresa.
O verbo "informar" é transitivo direto e indireto. Assim, exige complemento com preposição (informei a quem?) e sem preposição (o que informei?). Lembrando que o pronome “lhe” funciona como objeto indireto.

Questão 18

(Ufac) Assinale a alternativa correta segundo o padrão culto da língua portuguesa, quanto à regência verbal:

a) Os brasileiros desobedecem o código de trânsito.
b) Crianças corriam e pulavam-se no jardim.
c) Ontem assisti a um ótimo filme.
d) Os impostos devem ser pagos a Prefeitura.
e) Os vencedores se confraternizaram com os organizadores do evento.

Alternativa c: Ontem assisti a um ótimo filme.
O verbos "assisti", com sentido de "ver" é transitivo indireto, logo exige complemento com preposição.

Correção das restantes frases:
a) Os brasileiros desobedecem ao código de trânsito. ("obedecer" é verbo transitivo indireto - exige preposição).
b) Crianças corriam e pulavam no jardim. ("pular" não é um verbo reflexivo, por isso não deve ser acompanhado pelo pronome "se").
d) Os impostos devem ser pagos à Prefeitura. ("Pagar" é um verbo transitivo direto e indireto. Quando se refere a quem se paga, é indireto e, por isso, deve ser acompanhado por preposição "a").
e) Os vencedores confraternizaram com os organizadores do evento. ("Confraternizar" não é um verbo reflexivo, por isso não deve ser acompanhado pelo pronome "se").

Questão 19

(FMU) Assinale a única alternativa incorreta quanto à regência do verbo:

a) Perdoou nosso atraso no imposto.
b) Lembrou ao amigo que já era tarde.
c) Moraram na rua da Paz.
d) Meu amigo perdoou ao pai.
e) Lembrou de todos os momentos felizes.

Alternativa e: Lembrou de todos os momentos felizes.

O correto é: Lembrou todos os momentos felizes.
O verbo "lembrar" é transitivo direto. Ele pode ser transitivo indireto - com preposição - apenas quando assume a forma pronominal "lembrou-se de que".

Questão 20

(FUMEC) Com referência à regência do verbo assistir, todas as alternativas estão corretas, exceto em:

a) Assistimos ontem um belo filme na televisão.
b) Os médicos assistiram os doentes durante a guerra.
c) O técnico assistiu os jogadores no treino.
d) Assistiremos amanhã a uma missa de sétimo dia.
e) Machado de Assis assistia em Botafogo.

Alternativa a: Assistimos ontem um belo filme na televisão.

O correto é: Assistimos ontem a um belo filme na televisão.
O verbo "assistir", com o sentido de "ver", é transitivo indireto e, assim, exige preposição. O mesmo verbo, com o sentido de "ajudar", é transitivo direto, e não é acompanhado por preposição.

Questão 21

(Mackenzie) Indique a alternativa correta:

a) Prefiro correr do que nadar.
b) Prefiro mais correr que nadar.
c) Prefiro mais correr a nadar.
d) Prefiro correr a nadar.
e) Prefiro correr à nadar.

Alternativa d: Prefiro correr a nadar.

O verbo preferir deve sempre ser seguido da preposição "a". A construção de frases com esse verbo deve ser: preferir (algo) a. Na língua culta não se deve utilizar intensificadores, tal como aconteceu na alternativa c) (prefiro mais correr).

A alternativa e) está incorreta por conta da crase.

Questão 22

(UEPG) Assinale a alternativa incorreta.

a) Os professores visam à formação dos alunos.
b) O fiscal visou os documentos.
c) O atirador visa o alvo.
d) Visamos a um futuro mais feliz.
e) Os desempregados visam melhores condições de vida.

Alternativa e: Os desempregados visam melhores condições de vida.

O correto é: Os desempregados visam a melhores condições de vida.
Isso porque o verbo "visar", com sentido de "objetivo", é transitivo indireto - exige complemento com preposição. É o caso das alternativas a), d) e e).
Mas o verbo "visar" pode ser transitivo direto - sem acompanhamento de preposição - quando tem o sentido de "mirar, rubricar". É o caso das alternativas b), e c).

Questão 23

(UEPB) “Apesar de algumas preocupações do poder central pelo nordeste, ainda as duas regiões, nordeste e sul são como se fossem dois mundos, de costas um para o outro.” (Correio da Paraíba, 24/05/05)

Neste trecho, ocorrem duas falhas consideradas graves: uma de regência e outra de pontuação. Marque, entre as propostas abaixo, a única alternativa que atende à norma padrão

a) “Apesar de algumas preocupações do poder central com o nordeste, ainda as duas regiões, nordeste e sul, são como se fossem dois mundos, de costas um para o outro.”
b) “Apesar de algumas preocupações do poder central pelo nordeste, ainda as duas regiões, nordeste e sul, são como se fossem dois mundos, de costas um para o outro.”
c) “Apesar de algumas preocupações do poder central com o nordeste, ainda as duas regiões nordeste e sul, são como se fossem dois mundos, de costas um para o outro.”
d) “Apesar de algumas preocupações do poder central pelo nordeste ainda as duas regiões nordeste e sul, são como se fossem dois mundos, de costas um para o outro.”
e) “Apesar de algumas preocupações do poder central com o nordeste, ainda as duas regiões, nordeste e sul são como se fossem dois mundos, de costas um para o outro.”

Alternativa a: “Apesar de algumas preocupações do poder central com o nordeste, ainda as duas regiões, nordeste e sul, são como se fossem dois mundos, de costas um para o outro.”

b) "pelo nordeste" parece que é a região do nordeste que está preocupada e não que a preocupação é com ela.
c) e e) ", ainda as duas regiões nordeste e sul" as regiões devem estar entre vírgulas ", nordeste sul,". É assim que devemos fazer ao especificar as regiões nordeste e sul.
d) "pelo nordeste ainda as duas regiões". Além das preocupações com o nordeste, há também a preocupação com o nordeste e sul. A vírgula antes de "ainda" separa as preocupações.

Questão 24

(TRE-MG) Observe a regência dos verbos das frases reescritas nos itens a seguir:

I - Chamaremos os inimigos de hipócritas. Chamaremos aos inimigos de hipócritas;
II - Informei-lhe o meu desprezo por tudo. Informei-lhe do meu desprezo por tudo;
III - O funcionário esqueceu o importante acontecimento. O funcionário esqueceu-se do importante acontecimento.

A frase reescrita está com a regência correta em:

a) I apenas
b) II apenas
c) III apenas
d) I e III apenas
e) I, II e III

Alternativa d: I e III apenas.

A construção da frase II estava correta: Informei-lhe o meu desprezo por tudo.
O verbo "informar" é transitivo direto e indireto: informar algo a alguém. O pronome "lhe" tem a função de objetivo indireto e, assim, a preposição "de" deve ser removida da oração.

Questão 25

(TRE-RJ) "porque implica em cobrar o tempo" / porque implica cobrar o tempo. A construção do verbo implicar com a preposição em resulta, provavelmente, de um cruzamento sintático com verbo sinônimo (importar), sendo considerada errônea por alguns gramáticos. A alternativa em que há erro de regência na segunda das sentenças é:

a) Preferimos pagar juros a ficar sem o produto. / Preferimos pagar juros do que ficar sem o produto.
b) Esquecemos facilmente o belo arrazoado aquiniano. / Esquecemo-nos facilmente do belo arrazoado aquiniano.
c) Queremos informar-lhes que nossos juros são baixos. / Queremos informá-los de que nossos juros são baixos.
d) Ainda nos lembramos da belíssima aula de filosofia tomista. / Ainda nos lembra a belíssima aula de filosofia tomista.
e) Se cobrar juros é pecado, chamamos de pecadores todos os banqueiros... / Se cobrar juros é pecado, chamamos pecadores a todos os banqueiros.

Alternativa a: Preferimos pagar juros a ficar sem o produto. / Preferimos pagar juros do que ficar sem o produto.

O verbo preferir deve sempre ser seguido da preposição "a".

Questão 26

Considerando a linguagem culta, indique as alternativas com erro de regência verbal.

a) Fui no ônibus.
b) Fui no cinema.
c) Cheguei à escola.
d) Cheguei a escola.
e) Obedeceu ao pai e não saiu.

Alternativas b) Fui no cinema. e d) Cheguei a escola.

O verbo “ir” é regido pelas preposições “a, para”. Assim, a alternativa b) estaria correta da seguinte forma: “Fui ao cinema” (preposição a + artigo o).

O verbo “chegar” é regido pelas preposições “a, para” para indicar destino. Assim, a alternativa c) está correta: “Fui à escola” (preposição a + artigo a: a + a = à).

Dependendo do sentido da oração, há verbos que admitem mais do que um complemento. Assim, “Fui no cinema” está incorreto, enquanto “Fui no ônibus” está correto. Isso acontece porque o verbo “ir” seguido da preposição “em” significa a forma utilizada para ir a algum lugar (“Fui em + o (no) ônibus” significa que a pessoa foi de ônibus).

O verbo “obedecer”, por sua vez, deve ter como complemento a preposição a (obedecer a).

Questão 27

Complete as lacunas.

Quando chegou ______ cidade, foi ______ casa dos parentes, de quem sentia muitas saudades. Não simpatizava ______ os primos, mas os tios sempre faziam tudo para ______ agradar. Foi recebido com alegria, ao que respondeu ______ todos com um belo sorriso.

a) na, na, com, lhe, (sem complemento)
b) à, para a, com, lhe, a
c) à, a, lhe, o, a
d) à, à, com (sem complemento), (sem complemento)
e) na, na, com, o, a

Alternativa b: à, para a, com, lhe, a.

“Quando chegou à cidade”. O verbo “chegar” é regido pelas preposições “a, para” para indicar destino: Chegou à cidade (preposição a + artigo: a + a = à).

“foi para a casa dos parentes”. O verbo “ir” é regido pelas preposições “a, para”: “foi para a casa...” ou “foi à casa...” estão ambas corretas”.

“Não simpatizava com os primos”. O verbo “simpatizar” é seguido do complemento “com”.

“os tios sempre faziam tudo para lhe agradar.” O verbo “agradar”, quando é transitivo indireto, ou seja, é acompanhado por preposição, tem o sentido de “ser agradável”, diferente de quando é transitivo direto (sem preposição), que tem o sentido de “fazer carinho”.

Neste caso, a oração tem o sentido de “ser agradável” e, por isso, o seu complemento é objeto indireto. O pronome “lhe” funciona como objeto indireto, enquanto “o,a” funcionam como objeto direto.

“ao que respondeu a todos com um belo sorriso.”. O verbo “responder” deve ser seguido do complemento “a”.

Questão 28

Qual oração abaixo é a correta?

“Obedece às regras do jogo.” ou “Obedece as regras do jogo.”?

Obedece às regras do jogo.

O complemento do verbo “obedecer” deve ser introduzido pela preposição “a”. Assim, está correto “Obedece às regras do jogo”, cujo “a” craseado sinaliza a presença da preposição a + artigo a.

Questão 29

Comente a oração abaixo.

O pontilhismo é uma técnica de pintura que consiste de pequenos pontos que formam uma imagem.

O complemento do verbo “consistir” deve ser introduzido pela preposição “em”. Portanto, a oração abaixo contém erro de regência verbal. A oração deveria ser escrita da seguinte forma: “O pontilhismo é uma técnica de pintura que consiste em pequenos pontos que formam uma imagem.”.

Questão 30

Complete as lacunas: Agradeci ______ enfermeiros ______ cuidados prestados.

a) os, aos
b) aos, para
c) aos, aos
d) os, para
e) os, dos

Alternativa a: os, aos.

O verbo “agradecer” é um verbo transitivo direto e indireto. Assim:

Agradeci a quem? Aos enfermeiros (objeto indireto, porque exige preposição).
Agradeci o que? Os cuidados prestados (objeto direto, porque não exige preposição).

Questão 31

Há verbos cujo complemento pode resultar na mudança de significado. Explique o significado das frases abaixo.

I. A professora nova não agradou aos alunos.
II. A menina agradou o cãozinho à chegada.

Na primeira frase, o verbo “agradar” significa “não causou agrado”. Na segunda frase, o mesmo verbo significa “fez carinho”.

A mudança de transitividade pode modificar o significado de um verbo. Na primeira frase, o verbo “agradar” é transitivo indireto (regido por preposição), enquanto na segunda o verbo “agradar” é transitivo direto (regido sem preposição).

Questão 32

Indique as alternativas certas.

I. Implicou a ruptura do estoque.
II. Implicava com o funcionário.
III. Quero muito à minha família.
IV. A cliente chamou a funcionária de displicente.
V. O rapaz visou a mulher que entrou sozinha na festa.

a) II e IV
b) I, III e V
c) I, II e IV
d) II e III
e) Todas as alternativas estão certas.

Alternativa e) Todas as alternativas estão certas, porque:

O verbo “implicar” como transitivo direto (sem preposição) significa “consequência”;

O verbo “implicar” como transitivo indireto (com preposição) significa “embirrar”;

O verbo “querer” como transitivo direto (sem preposição) significa “desejar”, mas como transitivo indireto (com preposição) significa “estimar”, como é o caso da oração “Quero muito à minha família” (preposição a + artigo a).

O verbo “chamar” com o sentido de “denominar, apelidar” pode ser transitivo direto ou indireto. Assim, também estaria correto “A cliente chamou à funcionária de displicente.”.

O verbo “visar” como transitivo direto (sem preposição) significa “mirar”, mas como transitivo indireto (com preposição) significa “ter como objetivo”, como é o caso da oração “O rapaz visou à mulher...” (preposição a + artigo a).

Questão 33

Indique se as frases dos pares abaixo estão corretas e explique.

“Aspirou o escritório.” e “Aspirou ao escritório de sonho e realizou o seu desejo.”.
“Assistiu à cena.”. e “Assistiu as vizinhas que precisavam de ajuda.”.

Todas as orações acima estão corretas. Isso acontece porque há verbos que admitem mais do que um complemento, o que pode modificar o significado do verbo.

Aspirar, como verbo transitivo direto (sem preposição), tem o sentido de absorver. Já, aspirar, como verbo transitivo indireto (com preposição), tem o sentido de “desejar”.

Assistir, como verbo transitivo indireto (com preposição), tem o sentido de ver. Já, assistir, como verbo transitivo direto (sem preposição), tem o sentido de dar apoio.

Para você saber mais:

Márcia Fernandes
Márcia Fernandes
Professora, pesquisadora, produtora e gestora de conteúdos on-line. Licenciada em Letras pela Universidade Católica de Santos.