Exercícios de concordância verbal e nominal

Márcia Fernandes
Márcia Fernandes
Professora licenciada em Letras

A concordância verbal e a concordância nominal garantem que as palavras se relacionam de forma harmoniosa num texto.

Confira como estão os seus conhecimentos em concordância fazendo os exercícios abaixo. De seguida, confira as respostas comentadas.

Questão 1

Identifique a única alternativa que apresenta erro de concordância verbal e nominal.

a) Alunos e eu falamos sobre a importância do estudo e da organização rigorosa.
b) Alunos e eu falaram sobre a importância do estudo e da organização rigoroso.
c) Alunos e eu falamos sobre a importância da organização e do estudo rigoroso.
d) Alunos e eu falamos sobre a importância da organização e do estudo rigorosos.
e) Eu e alunos falamos sobre a importância do estudo e da organização rigorosos.

Alternativa b) Alunos e eu falaram sobre a importância do estudo e da organização rigoroso.
Correção: Alunos e eu falamos sobre a importância do estudo e da organização rigorosa. OU Alunos e eu falamos sobre a importância do estudo e da organização rigorosos.

No que respeita à concordância verbal, quando o sujeito composto é formado por pessoas gramaticais diferentes, a concordância deve ser feita na seguinte ordem: 1.ª pessoa, 2.ª pessoa e 3.ª pessoa.

Neste caso, o verbo (falar) deveria concordar com a 1.ª pessoa (eu) e não com a 3.ª pessoa (eles, em referência aos alunos).

No que respeita à concordância nominal, como o adjetivo (rigoroso) está depois dos substantivos, ele deveria ter concordado com o substantivo mais próximo (organização), ficando neste caso "organização rigorosa".

Mas, também poderia ter concordado com todos os substantivos (estudo e organização), ficando neste caso "estudo e organização rigorosos".

Questão 2

Indique a alternativa que completa corretamente a seguinte frase:

_____ professor e alunos do sétimo e oitavo _____ .

a) Fugiu, ano.
b) Fugiram, anos.
c) Fugiram, ano.
d) Fugiu, anos.
e) Todas as alternativas estão corretas.

Alternativa e) Todas as alternativas estão corretas.

No que respeita à concordância verbal, tanto "fugiu" como "fugiram" podem concordar com o sujeito composto (neste caso, "professor" e "alunos"). Quando o sujeito composto vem depois do verbo, a concordância pode ser feita de duas formas: no singular, concordando com o sujeito mais próximo (neste caso, "professor"), OU no plural, concordando com dois sujeitos (neste caso, "professor" e "alunos").

No que respeita à concordância nominal, tanto podem ser usados "ano" como "anos", porque quando números ordinais vem antes de um substantivo (neste caso, os numerais sétimo e oitavo estão antes do substantivo ano), o substantivo pode concordar com o numeral mais próximo (oitavo ano) ou com todos eles (sétimo e oitavo anos).

Questão 3

(FGV) Assinale a alternativa correta quanto à concordância verbal.

a) Agora, trata-se de casos mais sérios, mais difíceis de resolver.
b) Vão haver tumultos na praça.
c) Não se discute mais as causas da erosão dessas terras.
d) À falta de medicamentos modernos, tratara-se com remédios caseiros os ferimentos provocados pelo mato.
e) Devem fazer dois anos que eles se mudaram daqui.

Alternativa a) Agora, trata-se de casos mais sérios, mais difíceis de resolver.
Neste caso, o pronome "se" tem a função de índice de indeterminação do sujeito. Nesses casos, o verbo deve sempre ficar na 3.ª pessoa do singular (neste caso, "trata-se").

Quanto às restantes alternativas:

b) Vão haver tumultos na praça.
Correção: Vai haver tumultos na praça. OU Haverá tumultos na praça.
Quando o verbo haver está indicando acontecimento, como neste caso, ele é impessoal e, assim, deve estar na 3.ª pessoa do singular. É errado dizer "Vão haver tumultos na praça.", tal como é errado dizer "Haverão tumultos na praça."

c) Não se discute mais as causas da erosão dessas terras.
Correção: Não se discutem mais as causas da erosão dessas terras.
Neste caso, o pronome "se" é partícula apassivadora, indicando a ação que o sujeito está sofrendo (As causas da erosão dessas terras não são discutidas mais). Neste caso, o verbo "discutir" tem que concordar com o sujeito "causas".

d) À falta de medicamentos modernos, tratara-se com remédios caseiros os ferimentos provocados pelo mato.
Correção: À falta de medicamentos modernos, trataram-se com remédios caseiros os ferimentos provocados pelo mato.
Neste caso, o pronome "se" é partícula apassivadora, indicando a ação que o sujeito está sofrendo (Os ferimentos provocados pelo mato foram tratados com remédios caseiros). Neste caso, o verbo "tratar" tem que concordar com o sujeito "ferimentos".

e) Devem fazer dois anos que eles se mudaram daqui.
Correção: Deve fazer dois anos que eles se mudaram daqui.
Quando o verbo fazer está indicando tempo, como neste caso, ele é impessoal e, assim, deve estar na 3.ª pessoa do singular.

Questão 4

Corrija a concordância verbal e nominal do texto abaixo, quando necessário:

A maior parte dos amigos não concordaram com a ideia. Mais de um quiseram explicar o motivo da discordância, mas mais de um se desentendeu. Vários de nós ficaram bastantes chateados e eu fiquei meia nervosa.

Correção:

A maior parte dos amigos não concordaram (ou concordou) com a ideia. Mais de um quis explicar o motivo da discordância, mas mais de um se desentenderam. Vários de nós ficaram (ou ficamos) bastante chateados e eu fiquei meio nervosa.

A maior parte dos amigos concordou ou concordaram estão certos, porque quando o sujeito contém expressão partitiva, como “a maior parte”, seguida de substantivo no plural (neste casos, “amigos”) a concordância pode ser feita de duas formas:

o verbo pode ficar no singular, concordando com “a maior parte”, OU pode ficar no plural, concordando com “amigos”.

Mais de um quis está certo, porque quando o sujeito contém expressão que indica quantidade aproximada, o verbo deve concordar com o numeral (neste caso, “um”).

Mais de um se desentenderam está certo, porque neste caso, o verbo desentender está expressando reciprocidade.

Vários de nós ficaram chateados ou ficamos chateados estão certos, porque quando o sujeito é um pronome indefinido, tal como “vários” e está acompanhado de “nós”, como neste caso, a concordância pode ser feita de duas formas:

o verbo pode concordar com o pronome “vários”, ficando na 3.ª pessoa do plural (neste caso, “ficaram”), OU pode concordar com “nós” (neste caso, “ficamos”).

Bastante chateados está certo, porque "bastante" é um advérbio de intensidade, e os advérbios são invariáveis.

Meio nervosa é o certo, porque "meio" é um advérbio de intensidade, e os advérbios são invariáveis.

Questão 5

(UFV-MG) Todas as alternativas abaixo estão corretas quanto à concordância nominal, exceto:

a) Foi acusado de crime de lesa-justiça.
b) As declarações devem seguir anexas ao processo.
c) Eram rapazes os mais elegantes possível.
d) É necessário cautela com os pseudolíderes.
e) Seguiram automóveis, cereais e geladeiras exportados.

Alternativa c) Eram rapazes os mais elegantes possível.

Correção: Eram rapazes os mais elegantes possíveis.
As expressões "o mais possível, o menos possível" devem concordar com o artigo que as acompanha. Assim, "os mais (elegantes) possíveis".

Questão 6

Selecione a opção correta.

a) Os Estados Unidos (é/são) um país formado por 50 estados.
b) Os Lusíadas (conferiu/conferiram) grande valor à literatura portuguesa.
c) Amazonas (promove/promovem) um dos maiores festivais folclores do país.
d) É (necessário/necessária) calma.
e) As Minas Gerais (acolhe/acolhem) bem seus visitantes.
f) A sabedoria é (necessária/necessário).
g) Os Lusíadas (é/são) uma obra fantástica.
h) É (permitido/permitida) roupa de praia.

A concordância de nomes próprios depende da presença de artigos. Nomes próprios SEM artigo devem ficar no singular, enquanto Nomes próprios COM artigo devem ficar no plural. Assim, estas são as opções corretas para:

a) Os Estados Unidos são um país formado por 50 estados.
b) Os Lusíadas conferiram grande valor à literatura portuguesa.
c) Amazonas promove um dos maiores festivais folclores do país.
e) As Minas Gerais acolhem bem seus visitantes.

No caso de nome de obras, como Os Lusíadas, se a oração for formada pelo verbo ser e por um predicativo que esteja no singular, o nome da obra pode ficar no singular. Este é o caso de:

g) Os Lusíadas é uma obra fantástica.

As expressões "é necessário, é permitido" não variam, a não ser que os substantivos estejam acompanhados de determinantes, como artigos. Assim, estas são as opções corretas para:

d) É necessário calma.
f) A sabedoria é necessária.
h) É permitido roupa de praia.

Questão 7

Leia as seguintes frases e selecione as alternativas corretas.

1) 1% não aprova a decisão.
2) 1% dos entrevistados concorda com o cancelamento da festa.
3) Fui eu e a minha colega que enviou os convites.
4) Fomos nós que enviamos os convites.
5) Fui eu quem atendi a chamada.

a) As frases erradas são 2 e 3.
b) As frases corretas são 1, 3, 4 e 5.
c) As frases erradas são 2 e 5.
d) Apenas a frase 2 está errada.
e) Todas as frases estão corretas.

Alternativa b) As frases corretas são 1, 3, 4 e 5.

1) 1% não aprova a decisão.
O verbo deve concordar com o número da porcentagem quando a porcentagem não é acompanhado por um substantivo.

3) Fui eu e a minha colega que enviou os convites.
O verbo deve concordar com o pronome que vem antes do pronome que (neste caso, "minha colega enviou")

4) Fomos nós que enviamos os convites.
O verbo deve concordar com o pronome que vem antes do pronome que (neste caso, "nós enviamos")

5) Fui eu quem atendi a chamada.
A concordância com o pronome quem pode ser feita de duas formas: concordando o verbo com o pronome que esteja antes do quem, como foi feito neste caso ("eu atendi") OU deixando o verbo na 3.ª pessoa do singular (Fui eu quem atendeu a chamada.).

Correção da frase número 2: 1% dos entrevistados concordam com o cancelamento da festa.
Concordam é o certo, porque quando o sujeito é uma porcentagem, o verbo deve concordar com o substantivo que acompanha (neste caso, "entrevistados").

Questão 8

Identifique a única alternativa que não apresenta erro de concordância verbal e nominal.

a) Perdoou-se vítima e criminoso aliviado.
b) Perdoaram-se vítima e criminoso aliviados.
c) Perdoou-se vítima e criminoso aliviados.
d) Perdoaram-se vítima e criminoso aliviado.
e) Perdoou-se criminoso e vítima aliviada.

Alternativa b) Perdoaram-se vítima e criminoso aliviados.

No que respeita à concordância verbal, uma vez que o verbo "perdoar" tem ideia de reciprocidade e vem antes dos sujeitos "vítima" e "criminoso", ele deve estar no plural (neste caso, "perdoaram-se").

No que respeita à concordância nominal, o predicativo do sujeito composto que esteja depois do sujeito, como neste caso, deve concordar com os dois sujeitos (neste caso, "vítima e criminosos aliviados").

Questão 9

Explique a diferença de sentido das frases abaixo:

a) Terminada a discussão, desistiu da petição advogado e clientes satisfeitos.
b) Terminada a discussão, desistiram da petição advogado e clientes satisfeitos.

Embora as duas frases estejam corretas, na frase a) há mais ênfase no advogado, transmitindo a ideia de que a desistência parte dele.

Por sua vez, a frase b) transmite a ideia de que a desistência é uma decisão tomada em conjunto.

Questão 10

Escolha a opção que preenche corretamente as lacunas abaixo.

Nem eu nem ela _____ no erro. Agora, eu ou ela _____ que corrigir a digitação.

a) reparamos, teremos.
b) reparou, terá.
c) reparamos, terá.
d) reparou, teremos.

Alternativa c) reparamos, terá.
Nem eu nem ela reparamos. Agora, eu ou ela terá que corrigir a digitação.

Nem eu nem ela reparamos está certo, porque quando a palavra nem é usada para unir um sujeito composto, o verbo deve ficar no plural. Neste caso, eu e ela não reparamos no erro.

Eu ou ela terá está certo, porque apenas uma pessoa corrigirá o erro, por isso, o verbo tem que fazer a concordância no singular.

Questão 11

(FCC-BA) Assinale a alternativa em que a concordância verbal e nominal está correta.

a) Já é meio-dia e meia; faltam poucos minutos para começar a reunião.
b) Comprei um óculos escuro nesta loja. Consegue-se bons descontos aqui.
c) Vão fazer dez anos que trabalho aqui e ainda é proibido a minha entrada na sala da Diretoria!
d) Duzentas gramas de queijo são demais para fazer a torta.
e) A gente fomos ao cinema no domingo, e lá haviam amigos nossos na fila.

Alternativa a) Já é meio-dia e meia; faltam poucos minutos para começar a reunião.

No que respeita à concordância nominal, "meia" faz referência a trinta minutos, ou seja, metade de uma hora. Assim, a concordância deve ser feita no feminino.

No que respeita à concordância verbal, o verbo "faltar" deve concordar com o sujeito "poucos minutos". Assim, a concordância deve ser feita no plural.

Veja também:

Márcia Fernandes
Márcia Fernandes
Professora, produtora e gestora de conteúdos on-line. Licenciada em Letras pela Universidade Católica de Santos (habilitação para Ensino Fundamental II e Ensino Médio) e formada no Curso de Magistério (habilitação para Educação Infantil e Ensino Fundamental I).