Concordância Verbal e Nominal

Márcia Fernandes
Márcia Fernandes
Professora licenciada em Letras

Concordância verbal e nominal é relação que garante que as palavras concordem umas com as outras.

A concordância verbal garante que os verbos concordem com os sujeitos, enquanto a concordância nominal garante que os substantivos concordem com adjetivos, artigos, numerais e pronomes.

Exemplo: Nós estudaremos regras e exemplos complicados juntos.

Neste exemplo, quando concordamos o sujeito (nós) com o verbo (estudaremos) estamos fazendo a concordância verbal.

Por sua vez, quando concordamos os substantivos (regras e exemplos) com o adjetivo (complicados) estamos fazendo concordância nominal.

Regras de concordância verbal

Para garantir a concordância verbal, precisamos respeitar as relações de número e pessoa entre verbo e sujeito. Vejamos algumas regras.

1. Concordância de sujeito composto antes do verbo

Quando o sujeito é composto e vem antes do verbo, esse verbo deve estar sempre no plural. Exemplos:

  • Maria e José conversaram até de madrugada.
  • Construção e pintura ficarão prontas amanhã.

2. Concordância de sujeito composto depois do verbo

Quando o sujeito composto vem depois do verbo, o verbo tanto pode ficar no plural como pode concordar com o sujeito mais próximo. Exemplos:

  • Discursaram diretor e professores.
  • Discursou diretor e professores.

3. Concordância de sujeito formado por pessoas gramaticais diferentes

Quando o sujeito é composto, mas as pessoas gramaticais são diferentes, o verbo deve ficar no plural. No entanto, ele concordará com a pessoa que, a nível gramatical, tem prioridade.

Isso quer dizer que 1.ª pessoa (eu, nós) tem prioridade em relação à 2.ª (tu, vós) e a 2.ª tem prioridade em relação à 3.ª (ele, eles). Exemplos:

  • Nós, vós e eles vamos à festa.
  • Tu e ele falais outra língua?

Regras de concordância nominal

Para garantir a concordância nominal, precisamos respeitar as relações de gênero e número entre substantivos, adjetivos, artigos, numerais e pronomes. Vejamos algumas regras.

1. Concordância entre substantivo e mais do que um adjetivo

Quando há mais do que um adjetivo para um substantivo, há duas formas de concordar:

Colocar o artigo antes do último adjetivo. Exemplos:

  • A língua francesa e a italiana são encantadoras.
  • A música clássica e a popular são manifestações artísticas.

Colocar o substantivo e o artigo que o acompanha no plural. Exemplos:

  • As línguas francesa e italiana são encantadoras.
  • As músicas clássica e popular são manifestações artísticas.

2. Concordância entre substantivos e um adjetivo

Quando há mais do que um substantivo e apenas um adjetivo, há duas formas de concordar:

Se o adjetivo vem ANTES dos substantivos, o adjetivo deve concordar com o substantivo mais próximo. Exemplos:

  • Linda filha e bebê.
  • Querido filho e filha.

Se o adjetivo vem DEPOIS dos substantivos, o adjetivo deve concordar com o substantivo mais próximo ou com todos os substantivos. Exemplos:

  • Pronúncia e vocabulário perfeito.
  • Vocabulário e pronúncia perfeita.
  • Pronúncia e vocabulário perfeitos.
  • Vocabulário e pronúncia perfeitos.

Exercícios de concordância verbal e nominal

1. (Mackenzie) Há uma concordância inaceitável de acordo com a gramática:

I. Os brasileiros somos todos eternos sonhadores.
II. Muito obrigadas! – disseram as moças.
III. Sr. Deputado, V. Exa. está enganada.
IV. A pobre senhora ficou meio confusa.
V. São muito estudiosos os alunos e as alunas deste curso.

a) em I e II
b) apenas em IV
c) apenas em III
d) em II, III e IV
e) apenas em II

Alternativa c: apenas em III.
Sr. Deputado, V. Exa. está enganada.

Correção: Sr. Deputado, V. Exa. está enganado.
Para haver concordância nominal, o adjetivo "enganado" deve concordar com o substantivo "deputado".

2. (IBGE) Indique a opção correta, no que se refere à concordância verbal, de acordo com a norma culta:

a) Haviam muitos candidatos esperando a hora da prova.
b) Choveu pedaços de granizo na serra gaúcha.
c) Faz muitos anos que a equipe do IBGE não vem aqui.
d) Bateu três horas quando o entrevistador chegou.
e) Fui eu que abriu a porta para o agente do censo.

Alternativa c: Faz muitos anos que a equipe do IBGE não vem aqui.

Para haver concordância verbal, quando o verbo "fazer" tem sentido de tempo transcorrido deve ser usado no singular.

3. (Mackenzie) Indique a alternativa em que há erro:

a) Os fatos falam por si sós.
b) A casa estava meio desleixada.
c) Os livros estão custando cada vez mais caro.
d) Seus apartes eram sempre o mais pertinentes possíveis.
e) Era a mim mesma que ele se referia, disse a moça.

Alternativa d: Seus apartes eram sempre o mais pertinentes possíveis.

Correção: Seus apartes eram sempre os mais pertinentes possíveis.
Para haver concordância nominal, o artigo "o" deve concordar em gênero e número com o substantivo "apartes" (os apartes mais pertinentes possíveis)

Leia também:

Vídeo sobre concordância verbal e nominal

Assista ao vídeo abaixo do canal do Toda Matéria e aprendas regras de concordância verbal e nominal.

Referências Bibliográficas

NETO, Pasquale Cipro; INFANTE, Ulisses. Gramática da Língua Portuguesa. 3. ed. São Paulo: Scipione, 2009.

Márcia Fernandes
Márcia Fernandes
Professora, produtora e gestora de conteúdos on-line. Licenciada em Letras pela Universidade Católica de Santos (habilitação para Ensino Fundamental II e Ensino Médio) e formada no Curso de Magistério (habilitação para Educação Infantil e Ensino Fundamental I).