Fases da vida humana: as 4 etapas e suas divisões

Rubens Castilho
Rubens Castilho
Professor de Biologia

Os seres humanos passam por 4 fases na vida, que são: infância, adolescência, idade adulta e velhice. Elas ocorrem dentro do ciclo da vida que possui dois grandes eventos: o nascimento e a morte.

Cada uma delas ocorre na espécie humana a partir de uma idade específica, embora não seja igual para todos. A infância vai do nascimento aos 11 anos de idade, a adolescência dos 12 aos 20 anos, a fase adulta dos 21 aos 65 anos e a velhice dos 65 anos em diante.

Os seres humanos passam por diversas mudanças e as etapas do ciclo vital é uma delas. As fases da vida se subdividem e isso pode gerar algumas confusões quanto a quantidade exata de etapas. Portanto, vale esclarecer que são apenas 4 fases da infância à velhice.

Fases da vida humana
As 4 fases da vida humana.

Nos seres humanos, assim como em outros mamíferos como gatos, cachorros e leões, as mudanças são percebidas nas alterações que ocorrem no corpo e nos comportamentos e essas mudanças são as fases da vida.

Por exemplo, se você já teve ou viu um gato na infância deve ter presenciado muitas brincadeiras, como correr, pular ou lutar com algum objeto. Esses comportamentos são naturais nessa espécie, na verdade, são estímulos à caça. Contudo, quando atingem a adolescência esse comportamento muda, brincam menos e iniciam outras atividades como a própria caça. Até que se tornam adultos e ficam mais sossegados, concentram seus movimentos para terem mais precisão e gastarem menos energia.

Infância

Infância: 1ª fase da vida
Infância: 1ª fase da vida.

A fase da infância é um período importante na vida de todo ser humano. Nela se aprende a identificar o mundo, interpretá-lo, fortalecer os laços familiares e iniciar suas relações sociais e de aprendizado através das experiências.

Para alguns cientistas essa fase é dividida em 3 etapas:

  • Primeira infância: do nascimento aos 3 anos de idade;
  • Segunda infância: dos 3 aos 6 anos;
  • Terceira infância: dos 6 aos 11 anos.

O final da terceira infância e o início da adolescência é marcado por mudanças aceleradas no corpo. Crescimento, surgimento de pelos, engrossamento da voz, aumento dos quadris são algumas delas. Estes processos são desencadeados pelo sistema endócrino, através da ação dos hormônios.

Os hormônios produzidos pelas glândulas atuam em sistema de cascata. Por exemplo, a hipófise produz dois hormônios, o LH (Luteinizante) e o FSH (Folículo Estimulante) que através da corrente sanguínea chegam às gônadas, testículos (meninos) e ovários (meninas), que produzem os hormônios testosterona, estrogênio e progesterona, fato que leva ao amadurecimento sexual.

Este processo é conhecido na biologia como puberdade.

Adolescência

2ª fase: Adolescência
Adolescência: 2ª fase da vida.

A adolescência é uma fase de agitação, expansão de atividades, formação de grupos, identidade e padrões que estarão presentes no indivíduo na idade adulta.

Os meninos, ao atingirem a puberdade, engrossam a voz, aumentam a massa muscular e apresentam pelos na região pubiana e axilas, além de barba e bigode. As meninas aumentam os seios, acumulam mais gordura nas coxas, alargam os quadris e também manifestam pelos nas axilas e região pubiana.

A adolescência é dividida em:

  • Pré-adolescência ou adolescência menor: dos 11 aos 14 anos de idade;
  • Adolescência média: dos 14 aos 17 anos;
  • Adolescência maior ou juventude: dos 17 aos 20 anos.

É importante destacar que essas alterações podem variar de organismo para organismo a depender da genética. É comum nas meninas a puberdade acontecer antes do que nos meninos.

Leia mais sobre: Genética.

Idade Adulta

Adultos
Idade adulta: 3ª fase da vida.

Nessa fase da vida humana, as mudanças corporais são menores e mais lentas, porém progressivas. É nela que surgem importantes alterações psicológicas, assim como o completo desenvolvimento do sistema nervoso, com o pleno amadurecimento do cérebro. O ser humano passa a entender sua participação na sociedade e na vida, e oferece ao mundo tudo aquilo que construiu nas fases anteriores.

A fase adulta é dividida em 2 etapas:

  • Adulto jovem: dos 21 aos 40 anos de idade;
  • Meia idade: dos 40 aos 65 anos.

O corpo humano entre os 30 e os 40 anos de idade atinge o auge de seu desenvolvimento. Para entender melhor, pense em uma flor. Ela inicia seu ciclo de vida toda enrolada e, aos poucos, começa a se abrir, certo? E quando desabrocha fica completamente aberta, ou seja, ela atinge o máximo de seu desenvolvimento. Assim é o ser humano nessa fase, como uma flor aberta, no auge.

Velhice

Idosos
Velhice: 4ª fase da vida.

Após seu máximo desenvolvimento as flores começam a murchar, o mesmo acontece com o ser humano. Na fase da velhice, o corpo passa por mudanças lentas, porém não como na fase adulta, mas ao contrário.

A definição da idade da velhice é motivo de debate, por causa da melhoria da qualidade de vida que a tecnologia e os avanços na área da saúde proporcionaram. Cada vez mais pessoas atingem os 65 anos saudáveis e ainda no mercado de trabalho.

Alguns cientistas dividem a velhice em duas etapas:

  • Idoso jovem: dos 65 aos 75 anos de idade;
  • Idoso mais velho: acima dos 75 anos.

O ser humano conforme avança nessa etapa sente o corpo, aos poucos, diminuir as capacidades, como agilidade, reflexos, audição, visão, etc. Além das alterações na fisiologia, ou seja, no funcionamento do corpo, como por exemplo, o coração bater em uma frequência menor do que a de um adulto de 35 anos.

Leia mais sobre:

Referências Bibliográficas

GONÇALVES, J. P. Ciclo Vital: Início, desenvolvimento e fim da vida humana possíveis contribuições para educadores. Revista Contexto & Educação, v. 31, n. 98, p. 79, 2016.

LOURENÇO, B.; QUEIROZ, L. B. Crescimento e desenvolvimento puberal na adolescência. Revista de Medicina, v. 89, n. 2, p. 70–75, 2010.

PAIVA, V. M. B. A velhice como fase do desenvolvimento humano. Rev. psicol, v. 4, n. 1, p. 15–23, 1986.

PAIXÃO, C. G. et al. Ontogenia: Do nascimento à velhice. Revista de Psicofisiologia, v. 2, p. 1–13, 2005.

Rubens Castilho
Rubens Castilho
Biólogo (Licenciado e Bacharel), Mestre e Doutorando em Botânica - Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ).