Filogenia

Lana Magalhães

A filogenia ou filogênese consiste em definir hipóteses sobre as histórias evolutivas das espécies, desde os seus ancestrais até os seres recentes.

A Filogenia nasceu em 1966, a partir dos estudos de Willi Henning.

Com os princípios da teoria da evolução de Darwin, a determinação da história de vida dos descendentes e a elaboração de cladogramas são fundamentais para elaborar um sistema de classificação dos seres vivos. Daí a importância da filogenia.

Filogenia e Cladística

A filogenia é a história genealógica de uma espécie e de suas hipotéticas relações de ancestrais e descendentes. Baseia-se em estudos morfológicos, comportamentais e moleculares.

A cladística ou filogenética é o ramo da sistemática que reconstrói a filogenia. A sistemática é a área da Biologia que se preocupa principalmente em compreender a filogenia, ou seja, a história evolutiva das espécies.

Para estudos de sistemática, a descrição da espécie é fundamental. Assim, as características genéticas, ecológicas, fisiológicas, evolutivas, entre outras, proporcionam melhores resultados.

Saiba mais sobre a Classificação dos Seres Vivos.

Cladogramas

O cladograma é um diagrama no qual são representadas as relações evolutivas entre os seres vivos. Um cladograma é composto pela raiz, ramos, nós e terminais.

Cladograma
Cladograma

A raiz representa um provável grupo ou espécie ancestral.

O nó é o ponto de onde partem as ramificações, os ramos. Cada nó indica um evento cladogenético.

Os ramos são as linhas do cladograma e conduzem a um ou mais grupos terminais. Os grupos de seres vivos compõem os terminais nos cladogramas.

Saiba mais sobre as Teorias da Evolução e Ontogenia.

Lana Magalhães
Lana Magalhães
Licenciada em Ciências Biológicas (2010) e Mestre em Biotecnologia e Recursos Naturais pela Universidade do Estado do Amazonas/UEA (2015). Doutoranda em Biodiversidade e Biotecnologia pela UEA.