Folhetos Embrionários


Folhetos Embrionários ou folhetos germinativos (ectoderma, endoderma e mesoderma) são camadas de células que dão origem aos órgãos e tecidos dos seres vivos.

Surgem na fase de embrião, mais precisamente durante a gastrulação, ou seja, entre a terceira e oitava semanas de gestação no caso dos humanos.

Na sequência, no processo da organogênese são formados os órgãos.

Ectoderma

É a camada das células que se localiza mais no exterior. Ela é a responsável pela formação da epiderme e anexos epidérmicos (unha, pelo) do sistema nervoso e das cavidades (boca, nariz, ânus).

Endoderma

Localizada mais no interior das células, é a endoderme que forma o sistema respiratório e alguns órgãos do sistema digestório - o fígado e o pâncreas.

Mesoderma

É o folheto intermediário, ou seja, aquele que se localiza entre a ectoderma e a endoderma.

A mesoderme origina a derme, os ossos e os músculos, bem como os sistemas circulatório e reprodutor.

Folhetos Embrionários

O que são Diblásticos e Triblásticos?

Os seres vivos podem ser classificados de acordo com os folhetos embrionários que apresentam na sua formação.

São chamados de diblásticos os animais que apresentam apenas dois folhetos: endoderma e ectoderma. São exemplos os cnidários (corais e medusas).

Os triblásticos, por sua vez, têm os três folhetos embrionários na sua composição: ectoderma, endoderma e mesoderma. São exemplos: os anelídeos (minhocas, sanguessugas) e os platelmintos (solitárias e tênias).

Os animais triblásticos podem ser celomados, acelomados ou pseudocelomados.

Saiba mais em Celoma.

E Anexos Embrionários?

Anexos embrionários ou estruturas extra embrionárias são órgãos e membranas que surgem dos folhetos embrionários mas que não são parte constituinte do embrião. São eles: alantoide, âmnio, cório e vesícula vitelina.

Acresce, ainda, a placenta e o cordão umbilical, mas esses são característicos apenas nos mamíferos.

Conheça as etapas do embrião humano em Desenvolvimento Embrionário Humano.