Francesco Petrarca


Francesco Petrarca foi um poeta, orador e escritor humanista italiano. Um dos precursores do Renascimento italiano, bem como o fundador do Humanismo, a Petrarca está atribuída a criação e disseminação da forma fixa literária chamada “soneto” (poema formado por catorze versos).

Para saber mais: Renascimento, Soneto e Humanismo

Biografia

Francesco Petrarca nasceu em Arezzo, Itália, dia 20 de julho de 1304. Desde pequeno, sua família morou em diversas cidades francesas e italianas, uma vez que seu pai fora um exilado político. Estudou Direito em Montpellier, na França, curso que terminou em Bolonha, Itália, no ano de 1326.

Além disso, Petrarca estudou línguas, literatura, gramática, retórica e dialética. Durante sua vida, obteve grande influência na sociedade a partri do momento em que foi devoto da igreja, entrando para o Clero, em 1330. Já reconhecido como poeta e grande intelectual da época, Petrarca recebeu o título de “Poeta Laureado” em 18 de abril de 1341. Foi amigo do poeta italiano Giovanni Boccaccio (1313-1375), que o considerava seu mestre espiritual e cultural.

Um fato curioso de sua vida foi quando Petrarca avista Laura, seu grande amor e musa inspiradora, na igreja de Avignon, na França. Ela foi mencionada em diversas obras como “Laura de Noves”, personagem esposa de um nobre francês. Petrarca Faleceu em Arquà, Itália, em 19 de julho de 1374, vítima de malária.

Petrarquismo

O “Petrarquismo” foi um movimento literário italiano surgido no século XV que se prolongou até o século XVII, o qual influenciou diversos escritores europeus. Seu principal foco de estudo foi a poesia lírica de Petrarca, baseada nos temas amorosos. A poética petrarquista destacou-se como exemplo de perfeição a partir de uma linguagem simples e inovações métricas, tal qual o uso de versos hendecassílabos (verso composto de onze sílabas poéticas).

Principais Obras

A obra de Petrarca é bem vasta, entretanto o humanista destacou-se na poesia, escrevendo mais de 300 sonetos; as principais obras do escritor são:

  • Cancioneiro e o Triunfo (“Canzoniere e o Trionfi”)
  • Meu livro secreto (“Secretum”)
  • Itinerário para a Terra Santa (“Itinerarium”)

Frases

  • Cinco grandes inimigos da paz habitam dentro de nós: a avareza, a ambição, a inveja, a cólera e a vaidade. Se conseguíssemos desterrá-los, gozaríamos inevitavelmente da perpétua paz.”
  • Inimiga da paz, fonte de inquietação, causa de brigas que destroem toda a tranqüilidade, a mulher é o próprio diabo.”
  • O valor tomará armas contra o furor. E que seja curto o combate! Pois a coragem antiga ainda não morreu No coração dos italianos.”
  • Para as almas nobres a morte é o fim de uma prisão escura; é, porém, tristeza para aqueles que no lodo puseram todos os seus cuidados.”
  • Livros têm levado algumas pessoas ao saber, outras à insânia.”
  • As duas cartas de amor mais difíceis de escrever são a primeira e a última.”