Idealismo Filosófico


O idealismo é uma corrente filosófica que defende a existência de uma só razão, a subjetiva. Por essa abordagem, a razão subjetiva é válida para todo ser humano, em qualquer espaço temporal ou físico.

A partir do pensamento idealista, a realidade se resume ao que é conhecido por meio de ideias. Há, ainda, diferença entre a realidade e o conhecimento que temos sobre ela.

Ou seja, só podemos dizer que a realidade é racional para nós a partir de nossas ideias.

Idealismo Platônico

O pensamento idealista foi inaugurado por Platão. O filósofo grego resume o idealismo em "A Caverna". Na alegoria, afirma que as sombras do mundo sensorial precisam ser superadas pela luz da verdade universal e da razão.

As críticas ao idealismo platônico ocorrem porque as ideias do pensador grego alcançam o pensamento abstrato. Entre os fatos está a defesa da existência da dualidade na criação, com a existência do corpo e da alma.

Idealismo Alemão

A abordagem filosófica do idealismo na Alemanha é retomada por Immanuel Kant (1724 - 1804). Começa na década de 80 do século XVIII e se estende até a primeira metade do século XIX.

A partir do século XIX, o idealismo alemão é abordado por um grupo de filósofos denominados pós-kantianos. Eram Johann Gottlieb Fichte (1762 - 1814), Friedrich Wilhelm Joseph von Schelling (1775 - 1854) e Georg Wilhelm Hegel (1770 - 1831).

Na doutrina idealista alemã, o poder da razão é reforçado para mostrar a realidade como algo absoluto e objeto de reflexão.

Idealismo Transcendental

O idealismo transcendental de Kant é fundamentado no fato de o conhecimento não resultar de uma experiência neutra.

Kant atenta para a influência social na razão. O filósofo apontava que cada um enxerga o mundo conforme suas lentes cognitivas. As lentes resultam da influência do meio, da sociedade e do momento histórico.

Idealismo Hegeliano

Hegel, embora defensor do idealismo, criticava as ideias de Kant. O pensador afirma que a transformação da razão e de seus conteúdos é movida pela própria razão. Afirmava que a razão não está na história porque ela é a história.

Materialismo

É uma corrente filosófica que defende a existência somente por meio da matéria. Nessa linha de pensamento, a existência só pode ser explicada na perspectiva material.

O materialismo é baseado na teoria da evolução e rejeita conceitos como o criacionismo e o próprio idealismo.

A semelhança entre as duas correntes filosóficas está na valorização da ética.