Literatura de Catequese

Daniela Diana

A Literatura de Catequese, também chamada de Literatura dos Jesuítas, representou uma categoria de textos elaborados durante o movimento literário quinhentista.

Essa categoria literária de caráter religioso, foi considerada uma das primeiras manifestações literárias no Brasil, explorada sobretudo, pelos jesuítas.

Eles eram membros religiosos da “Companhia de Jesus” enviados durante o período colonial com o intuito principal de catequizar os índios.

A ideia central era obter mais fiéis para a igreja católica, uma vez que na Europa vinha sofrendo cada vez mais com a Reforma Protestante (1517).

Embora se aproximassem da Literatura de Informação, que representavam textos sobre as características das novas terras descobertas pelos portugueses, a Literatura de Catequese foi escrita exclusivamente pelos jesuítas.

Eles eram encarregados de apresentar aos índios, o que os portugueses consideravam como o “certo”, sobretudo sobre aspectos da religião cristã.

Essa produção literária tinha o objetivo de informar aos nobres portugueses e ao Rei sobre a nova terra. Isso incluía não somente as descrições do local, mas dos sujeitos como aparência, estrutura social, rituais, etc.

Mais tarde adquiriram um cunho pedagógico e educacional. Vale destacar que além do trabalho de catequese realizado entre os índios, os jesuítas promoveram a educação no país, de forma que fundaram os primeiros colégios no Brasil.

Principais Características

As principais caraterísticas da literatura de catequese são:

  • Literatura de caráter documental e religioso;
  • Crônicas históricas, de viagens, teatro pedagógico e poesia didática;
  • Textos informativos e descritivos;
  • Linguagem simples;
  • Temas cotidianos e religiosos pautados na fundamentação religiosa cristã.

Principais Autores e Obras

Os principais jesuítas que se dedicaram a Literatura de Catequese foram:

José de Anchieta (1534-1597)

José de Anchieta foi o precursor do teatro no Brasil e a figura principal da literatura de catequese.

Foi um padre jesuíta espanhol que escreveu cartas, sermões, poemas e peças teatrais sobre o Brasil. De sua obra merecem destaque:

  • Arte de Gramática da Língua mais Usada na Costa do Brasil;
  • Poema à Virgem; A Cartilha dos Nativos (Gramática Tupi-Guarani);
  • Auto da festa de São Lourenço (peça teatral).

Manuel da Nóbrega (1517-1570)

Jesuíta e missionário português, Padre Manuel da Nóbrega chegou ao Brasil em 1549. De suas obras, destacam-se:

  • Diálogo Sobre a Conversão do Gentio;
  • Caso de Consciência Sobre a Liberdade dos Índios;
  • Informação das Coisas da Terra e Necessidade que há para Bem Proceder Nela;
  • Cartas do Brasil;
  • Tratado Contra a Antropofagia e contra os Cristãos Seculares e Eclesiásticos que a Fomentam e a Consentem.

Fernão Cardim (1549-1625)

Jesuíta português e membro da Companhia de Jesus (Ordem dos Jesuítas) a partir de 1566, foi enviado como missionário para o Brasil em 1583.

De sua literatura jesuítica destacam-se as obras:

  • Do Clima e da Terra do Brasil;
  • Do Princípio e Origem dos Índios do Brasil;
  • Narrativa Epistolar de Uma Viagem e Missão Jesuítica.

Exemplo

Para exemplificar, segue abaixo um exemplo da literatura de catequese, um trecho do poema do Padre José Anchieta:

Poema da Virgem

Por que ao profundo sono, alma, tu te abandonas,
e em pesado dormir, tão fundo assim ressonas?
Não te move a aflição dessa mãe toda em pranto,
que a morte tão cruel do filho chora tanto?
O seio que de dor amargado esmorece,
ao ver, ali presente, as chagas que padece?
Onde a vista pousar, tudo o que é de Jesus,
ocorre ao teu olhar vertendo sangue a flux.
Olha como, prostrado ante a face do Pai,
todo o sangue em suor do corpo se lhe esvai.
Olha como a ladrão essas bárbaras hordas
pisam-no e lhe retêm o colo e mãos com cordas.
Olha, perante Anás, como duro soldado
o esbofeteia mau, com punho bem cerrado
.”

Leia também:

Daniela Diana
Daniela Diana
Licenciada em Letras pela Universidade Estadual Paulista (Unesp) em 2008 e Bacharelada em Produção Cultural pela Universidade Federal Fluminense (UFF) em 2014. Amante das letras, artes e culturas, desde 2012 trabalha com produção e gestão de conteúdos on-line.