Medula Espinhal


A medula espinhal ou espinal é um cordão cilíndrico, composto de células nervosas, localizada no canal interno das vértebras. Sua função é estabelecer a comunicação entre o corpo e o sistema nervoso, e agir também nos reflexos, protegendo o corpo em situações de emergência em que é preciso que haja uma resposta rápida. Apesar de ser confundida com a medula óssea, aquela está relacionada com a produção de células sanguíneas, enquanto que a medula espinhal faz parte do sistema nervoso central.

Para saber mais sobre a Medula Óssea, leia o artigo. Leia também sobre o Sistema Nervoso.

Anatomia e Fisiologia

A medula espinhal possui formato cilíndrico, de diâmetro não uniforme, apresentando duas regiões mais dilatadas de onde partem fibras nervosas para os membros superiores e inferiores. É constituída de tecido nervoso, situada no interior da coluna vertebral e se estende desde o final do tronco encefálico (parte final do encéfalo, compreende mesencéfalo, ponte e bulbo raquidiano), a seguir do bulbo, até mais ou menos a região da segunda vértebra lombar. A medula se torna mais fina no final formando o cone medular. Abaixo da vértebra, envolvendo o cone e um filamento terminal, estão as meninges (saco dural) e raízes nervosas dos últimos nervos que juntos formam a cauda equina.

Medula Espinhal

A região interna da medula, em forma de “H”, é chamada de substância cinzenta devido à grande concentração de corpos celulares dos neurônios que lhe dão essa coloração. Enquanto a parte mais externa contêm mais dendritos e axônios e fica mais esbranquiçada, sendo denominada substância branca. Essa disposição das substâncias é contrária à encontrada no cérebro. Externamente, a medula é envolvida por 3 membranas ricas em fibras colágenas, as meninges.

Também pode querer saber sobre a doença que atinge as meninges. Leia o artigo sobre a Meningite.

Meninges

Essas membranas contêm espaços entre elas, que são lubrificados pelo liquor ou líquido cefalorraquidiano. O liquor é um fluido incolor e aquoso que ajuda a proteger o sistema nervoso central de impactos.

  • Dura-máter – mais externa e espessa, é como um saco que envolve toda a medula. Contém muitos vasos sanguíneo e está fortemente aderida aos ossos vertebrais (e do crânio, no caso do cérebro). Possui prolongamentos laterais que envolvem as raízes dos nervos raquidianos.
  • Aracnoide – camada intermediária fina. Possui filamentos delicados que a ligam à pia-máter, as trabéculas aracnoides, que lhe dão aparência semelhante a teias de aranha.
  • Pia-máter – membrana mais interna, fina e delicada. Encontra-se intimamente ligada à superfície da medula (e do encéfalo). Confere resistência aos tecidos moles do sistema nervoso.

Medula EspinhalMeninges e Raízes Nervosas da Medula

Nervos Raquidianos

Os nervos e gânglios nervosos constituem o sistema nervoso periférico. Nervos são formados por fibras nervosas ramificadas que se distribuem por todo o corpo e gânglios são dilatações de alguns nervos onde há concentração de corpos celulares dos neurônios.

Os nervos raquidianos ou espinhais são nervos mistos pois contêm fibras nervosas motoras e sensitivas. Eles se ligam à medula espinhal aos pares, um de cada lado da coluna, através dos espaços entre as vértebras. Cada nervo é composto de dois conjuntos de fibras nervosas, chamadas raízes dos nervos, as quais se ligam à parte dorsal (raiz dorsal) e à parte ventral (raiz ventral) da medula.

A raiz dorsal contem somente fibras nervosas sensitivas, enquanto que a raiz ventral contem somente fibras nervosas motoras. Na raiz dorsal de cada nervo existe um gânglio constituído de muitos corpos celulares dos neurônios sensitivos.

Se quiser saber mais, leia o artigo sobre os nervos.

Atos Reflexos Medulares

As ações reflexas são respostas rápidas, involuntárias, que são controladas pela substância cinzenta da medula antes mesmo de atingir o cérebro, sendo portanto importantes na defesa do corpo em situações de emergência. Por exemplo, quando encostamos a mão em local muito quente, graças ao ato reflexo tiramos a mão imediatamente para não nos queimarmos.

Após receber o estímulo, as fibras sensitivas da raiz nervosa dorsal passam sinais aos neurônios associativos (localizados no interior da medula, na substância cinzenta), que por sua vez, os repassam para as fibras motoras das raízes nervosas ventrais. Estas fibras enviam resposta aos órgãos que efetuarão a ação.

Saiba mais sobre o Sistema Nervoso Central.