O Poema Processo

Daniela Diana

O poema processo foi um movimento artístico de vanguarda que ocorreu no Brasil entre 1967 a 1972, em plena Ditadura Militar.

Surgiu em duas capitais do país simultaneamente: Rio de Janeiro (RJ) e em Natal (RN), se espalhando pelo Brasil.

Foi fundado por diversos poetas dos quais se destacam: Wlademir Dias Pino, Moacy Cirne, Neide de Sá e Álvaro de Sá.

Esse movimento visava apresentar uma nova forma de fazer poesia a partir de uma nova linguagem. Com um espírito revolucionário, o grupo de poetas do movimento inovaram os poemas visuais, já explorados anteriormente pelo movimento concretista.

Note que ele está relacionado com a poesia concreta uma vez que surgiu dela, no entanto, apresentam diferenças.

Assim, enquanto na poesia concreta as palavras eram as principais ferramentas, o poema processo vem rejeitar seu uso, empregando além delas, símbolos e, portanto, extrapolando os limites do poema.

A exploração desses signos não verbais no poema processo é mediada por figuras geométricas, perfurações no papel e gráficos. Assim, o poema processo é um poema semiótico e visual para ser visto antes de ser lido.

Segundo um dos fundadores e expoentes do movimento, Moacy Cirne (1943-2014):

E aqui estamos diante de uma diferença radical em relação à poesia concreta, por exemplo: toda poesia concreta é acabada, “fechada”, monolítica; já o poema/processo, para ser de fato um poema/processo, implica trans/formações.”

Muitos artistas do movimento rejeitavam alguns escritores brasileiros como Carlos Drummomd, Vinícius de Moraes João Cabral de Mello Neto. Isso porque eles se posicionavam contra a estrutura tradicional da poesia, desde os formalismos e academicismos.

Principais características do poema processo

  • Linguagem não verbal;
  • Espírito revolucionário e inovador;
  • Poema experimental e visual;
  • Uso de símbolos visuais.

Principais autores do movimento

Os principais representantes do poema processo no Brasil foram:

  • Moacy Cirne
  • Neide Dias de Sá
  • Álvaro de Sá
  • Ariel Tecla
  • José Cláudio
  • Ronaldo Werneck
  • Aquiles Branco
  • Dailor Varela
  • Anabela Cunha
  • Cristina Felício dos Santos
  • Nei Leandro de Castro
  • Celso Dias

Exemplo de poema processo

Para exemplificar a produção do poema processo segue abaixo o “Poema da Picotagem” (1968) de Moacy Cirne:

“Três folhas brilhosas (meio-ofício) em cores diferentes: vermelho, amarelo e preto. Distribuídas no interior de um envelope, como partes de um mesmo poema. Em traçados retilíneos, mas não paralelos, sete cortes picotados. O leitor é "convidado" a picotar, criando possibilidades formais sempre novas e diferenciadas a cada parte do poema "jogada" fora. O leitor também poderia embaralhar as folhas, aumentado assim as possibilidades criativas do poema.”

Complemente sua pesquisa com a leitura:

Daniela Diana
Daniela Diana
Licenciada em Letras pela Universidade Estadual Paulista (Unesp) em 2008 e Bacharelada em Produção Cultural pela Universidade Federal Fluminense (UFF) em 2014. Amante das letras, artes e culturas, desde 2012 trabalha com produção e gestão de conteúdos on-line.