Olhos

Lana Magalhães

Os olhos são os órgãos responsáveis pela visão dos animais. O olho humano é um complexo sistema óptico capaz de distinguir até 10 mil cores.

Os olhos apresentam como funções principais a visão, nutrição e proteção.

Ao receber a luz, os olhos a convertem em impulsos elétricos que são enviados ao cérebro, de onde são processadas as imagens que vemos.

As lágrimas, produzidas pelas glândulas lacrimais, protegem os olhos de poeiras e corpos estranhos. O ato de pestanejar também contribui para manter o olho sempre hidratado e limpo.

Nem as câmeras fotográficas mais modernas chegam perto da complexidade e perfeição dos olhos ao capturar imagens.

Anatomia e Histologia dos Olhos

Os olhos apresentam forma de uma esfera com 24 mm de diâmetro, 75 mm de circunferência, 6,5 cm3 de volume e peso de 7,5 g. Eles estão protegidos em cavidades ósseas no crânio chamadas órbitas e pelas pálpebras.

Assim, eles ficam protegidos de lesões e as pálpebras impedem a entrada de sujeiras. A sobrancelha também dificulta a passagem de suor para os olhos.

Histologicamente, os olhos são formados por três camadas ou túnicas: externa, média e interna.

Componentes do Olho Humano

Olho humano
Estruturas do olho humano

Os principais componentes do olho são:

  • Esclera: é uma membrana fibrosa que protege o globo ocular, sendo vulgarmente chamada de o “branco dos olhos”. É recoberta por uma membrana mucosa, delgada e transparente, denominada conjuntiva.
  • Córnea: é a parte transparente do olho, constituída por uma fina e resistente membrana. Tem como função a transmissão de luz, refração e proteção do sistema óptico.
  • Coroide: é uma membrana rica em vasos sanguíneos, responsável pela nutrição do globo ocular.
  • Corpo ciliar: tem como função secretar o humor aquoso e contém a musculatura lisa responsável pela acomodação do cristalino.
  • Íris: é um disco diversamente colorido e envolve a pupila, porção central que controla a entrada de luz no olho.
  • Retina: a parte mais interna e importante do olho. A retina possui milhões de fotorreceptores, que enviam sinais pelo nervo óptico até ao cérebro, onde são processados para criar uma imagem.
  • Cristalino ou lente: é um disco transparente localizado atrás da íris com a função de realizar a acomodação visual, pois pode alterar a sua forma para garantir a focalização da imagem.
  • Humor aquoso: líquido transparente localizado entre a córnea e o cristalino com a função de nutrir essas estruturas e regular a pressão interna do olho.
  • Humor vítreo: líquido que ocupa o espaço entre o cristalino e a retina.

No olho humano existem dois tipos de fotorreceptores: os cones e os bastonetes. Os cones possibilitam a visão em cores, enquanto os bastonetes são usados para visão no escuro em preto e branco.

Por trás do olho localiza-se o nervo óptico, responsável por conduzir os impulsos elétricos até o cérebro para que sejam interpretados.

Como funcionam os olhos?

Formação da imagem no olho humano
Formação da imagem no olho humano

Inicialmente, a luz atravessa a córnea e chega a íris, onde a pupila controla a intensidade de luz a ser recebida pelo olho. Quanto maior a abertura da pupila, maior é a quantidade de luz que entra nos olhos.

A imagem chega então ao cristalino, uma estrutura flexível que acomoda e focaliza a imagem na retina.

Na retina existem diversas células fotorreceptoras que através de uma reação química transformam as ondas luminosas em impulsos elétricos. A partir daí, o nervo ótico os conduzem até o cérebro, onde ocorre a interpretação da imagem.

Cabe ressaltar que no cristalino a imagem sofre refração, logo, forma-se uma imagem invertida na retina. É no cérebro que ocorre o correto posicionamento.

A cor dos olhos humanos

A cor dos olhos é determinada através de herança genética poligênica, ou seja, existe a atuação de diversos genes para a definição desta característica.

Assim é a quantidade e tipos de pigmentos que existem na íris que irão determinar a cor dos olhos de uma pessoa.

Por sua vez, a cor da íris não é uniforme, consta de dois círculos, o externo, em regra mais escuro que o interno, e entre os dois, uma zona clara, intermediária. Ela se apresenta em quatro colorações principais: o castanho, o verde, o azul e o cinzento.

No centro da íris encontra-se a pupila, que consiste num pequeno círculo que altera o seu tamanho conforme a intensidade de luz do ambiente.

Pupila
A pupila muda de tamanho conforme a intensidade de luz que recebe

Doenças dos Olhos

Algumas doenças podem acometer os olhos. As principais são:

  • Alergia ocular: é uma inflamação dos olhos causada pelo contato com determinada substância. A alergia mais frequente é a conjuntivite alérgica.
  • Astigmatismo: ocorre quando a córnea apresenta uma alteração nos eixos da sua curvatura, resultando em visão desfocada.
  • Blefarite: inflamação comum e persistente das pálpebras.
  • Catarata: opacidade total ou parcial do cristalino produzindo visão desfocada e cores desvanecidas.
  • Conjuntivite: inflamação da conjuntiva.
  • Estrabismo: desvio ocular por perda da correspondência retiniana normal de um dos olhos, com perda do alinhamento.
  • Hipermetropia: formação da imagem visual por trás da retina.
  • Miopia: erro de refração que afeta a visão à distância.
  • Terçolho: é a infecção de uma pequena glândula da pálpebra, geralmente forma um pequeno nódulo palpável, doloroso e avermelhado.
Lana Magalhães
Lana Magalhães
Licenciada em Ciências Biológicas (2010) e Mestre em Biotecnologia e Recursos Naturais pela Universidade do Estado do Amazonas/UEA (2015). Doutoranda em Biodiversidade e Biotecnologia pela UEA.