Osmose reversa


A osmose reversa ou inversa é um processo de separação de substâncias através de uma membrana que retém o soluto.

Nesse caso, o solvente flui do meio mais concentrado para o menos concentrado e isola-se do soluto, por uma membrana que permite a sua passagem.

É, portanto, um processo inverso ao que ocorre naturalmente durante a osmose, onde a água flui de um meio menos concentrado (hipotônico) para outro mais concentrado (hipertônico).

Na osmose reversa, o soluto é forçado a passar para o meio menos concentrado. Isso só é possível graças à pressão exercida, fazendo com que a membrana semipermeável permita apenas a passagem da água, retendo o soluto.

Porém, para que isso aconteça é necessária a aplicação de uma pressão maior do que a pressão osmótica natural.

Osmose reversa
Esquema do processo de osmose reversa

Durante a osmose reversa, até 99% dos solutos de baixo peso molecular como os sais ou moléculas orgânicas simples são retidos. Também podem ser isoladas bactérias, vírus e outros tipos de sólidos dissolvidos, purificando a água.

Leia também:

Aplicações

O maior uso da osmose reversa é para a dessalinização da água do mar. Esse é um procedimento importante para solucionar o problema da falta de água potável em alguns locais do mundo.

Para realizar a dessalinização, exerce-se uma pressão superior a pressão osmótica natural, isso é alcançado através de motores. Assim, a membrana semipermeável retém o soluto, separando o sal da água.

Vale ressaltar que também são eliminados microrganismos da água, tornando a água pura.

A osmose reversa também é muito utilizada em indústrias. Dentre outras de suas aplicações estão:

  • Irrigação: os sais presentes na água são retidos, impedindo a acumulação dessas substâncias no solo;
  • Máquinas de hemodiálise: o processo filtra o sangue e retém as impurezas.
  • Fabricação de bebidas, como alguns tipos de água mineral.

Saiba também sobre Propriedades Coligativas.