Prudente de Moraes


Prudente de Moraes foi um político brasileiro e o 3° Presidente do Brasil República, que governou o país durante o período de 1894 a 1898.

Prudente de MoraesPrudente de Moraes foi o 3º presidente do Brasil

Biografia

Prudente José de Moraes Barros nasceu no município de Itu, interior de São Paulo, dia 4 de outubro de 1841. Filho dos fazendeiros José Marcelino de Barros e Catarina Maria de Moraes. Ficou órfão de pai cedo (que fora assassinado por um escravo), o que levou sua família a outra cidade do interior paulista: Constituição (atual Piracicaba).

Resolveu seguir carreira política e, mais tarde ingressou na Faculdade de Direito do Largo São Francisco, em São Paulo, bacharelando-se em 1863. Por conseguinte, em 1866, casou-se com Adelaide Benvida, com quem teve 9 filhos. Faleceu em Piracicaba, dia 3 de dezembro de 1902, com 61 anos, vítima de tuberculose.

Governo de Prudente de Moraes

Desde jovem, Prudente de Moraes voltou-se para as leis. Atuou como advogado e, ainda, exerceu diversos cargos políticos, consolidando assim sua imagem: primeiro Presidente Civil do Brasil República, presidente da Câmara Municipal e Vereador da Cidade de Constituição (atual Piracicaba), deputado provincial do Estado de São Paulo (eleito três vezes) e deputado da Assembleia Geral do Império.

No governo provisório de Marechal Deodoro, após a Proclamação da República (1889), foi indicado para o cargo de governador da província de São Paulo, permanecendo até o ano seguinte. Curioso notar que, em 1891, Moraes disputou a presidência da república contra Marechal Deodoro, no entanto não chegou a exercer o cargo.

Não obstante, após o governo de Floriano Peixoto, Prudente novamente se candidata para o cargo da presidência, disputando com Afonso Pena, o qual vence com 276.583 votos contra 38.291 de seu adversário, dando início ao período que ficou conhecido como “República das Oligarquias”, caracterizada pelo domínio dos fazendeiros paulistas e mineiros, para os cargos políticos do país.

Ademais, Rui Barbosa pôs fim ao período República da Espada (Governo de dois militares: Marechal Deodoro e Floriano Peixoto) sendo o primeiro civil a ocupar o cargo da Presidência do Brasil, tomando posse dia 15 de novembro de 1894.

Durante seu governo, resolveu questões diplomáticas (com a Inglaterra, França, Portugal, Suíça, Japão), propôs um plano econômico, combateu a inflação, entretanto, aumentou a dívida externa do País, uma vez que a política do encilhamento (1890), proposta anteriormente por Rui Barbosa, representou uma das piores crises econômicas do país. Assim, para tentar manter o equilíbrio, Prudente aumentou a dívida externa e contraiu empréstimos para conter a inflação.

Durante sua trajetória política, mudou de partido politico: inicialmente (no Império) fazia parte do Partido Liberal (PL), onde permaneceu até 1873; e o Partido Republicano (paulista e federal), filiado de 1873 até 1902.

Leia mais:

Guerra de Canudos e Revolução Federalista

Durante seu governo, Rui Barbosa possuía grande popularidade, e ficou conhecido como o “pacificador” uma vez que tomou medidas de paz para cessar a Revolução Federalista (1893-1895), no sul do país, e a Guerra de Canudos (1896 e 1897), no sertão da Bahia.

A despeito de defender a paz, Prudente de Morais defendia a república, o abolicionismo e a unidade nacional. Nas palavras de político: “Sou Prudente no nome, prudente por princípios, e prudente por hábito. Sou também prudente, procurando evitar questões pessoais odiosas.”

Para saber mais:
Guerra de Canudos;
e Abolicionismo.