Satélites Naturais

Atualizado em

Satélites naturais, chamados de luas, são corpos celestes sólidos que orbitam planetas.

Há luas de todos os tamanhos e formas, e aproximadamente 200 orbitam os planetas do nosso Sistema Solar.

Entre os planetas terrestres, somente Mercúrio e Vênus não têm luas.

A Terra tem um satélite natural, a Lua. Marte tem dois, chamados de Fobos e Deimos.

Júpiter, Saturno, Urano e Netuno – denominados gigantes gasosos – têm mais de 100 luas confirmadas.

A explicação dos cientistas para a grande quantidade de satélites naturais desses planetas está em seus campos gravitacionais, que seriam intensos o suficiente para atrair e capturar outros objetos.

O planeta com o maior número de satélites naturais do Sistema Solar é Saturno, com 82 satélites conhecidos.

Titã é o maior satélite natural de Saturno, e o segundo maior do sistema solar.

O gigante Júpiter é orbitado por 79 luas conhecidas, cuja característica está em movimentos de revolução opostos ao planeta. O maior satélite natural do Sistema Solar é o Ganimedes, de Júpiter. Ele possui 5268 km de diâmetro.

Em torno do planeta Urano orbitam 27 satélites naturais conhecidos, sendo a lua Miranda a de maior destaque.

Outro planeta que exibe uma grande quantidade de satélites naturais é Netuno, com 14, sendo o maior Tritão, cujas dimensões são semelhantes aos do planeta-anão Plutão.

Satélites Naturais
A Lua é o satélite natural da Terra

A Lua da Terra

A formação da Lua – que orbita a Terra – ocorreu após o choque de outro planeta do tamanho de Marte com o nosso planeta.

Conforme a previsão dos cientistas, a colisão fez com que poeira e detritos fossem acumulados na órbita terrestre e ao longo de 4,5 bilhões de anos, o material formou o nosso satélite natural.

Entre as características da Lua está a atmosfera escassa, condição que facilita o impacto de asteroides, meteoros e cometas que desenharam imensas crateras na superfície.

A Lua é a responsável pelo regime de marés da Terra porque sua gravidade literalmente puxa o mar. A influência da Lua sobre as marés é alvo de estudos das mais antigas culturas.

Uma das curiosidades em relação à posição de nosso satélite natural está na ilusão de estar sempre a exibir a mesma face.

Isso ocorre porque a Lua gira em seu eixo na mesma velocidade em que gira em torno da Terra. A sincronia é a responsável pela ilusão.

Saiba mais sobre a Lua. Leia Características da Lua.

Missões e Visita do Homem à Lua

A primeira missão não-tripulada à Lua ocorreu em 1959 pelas naves espaciais Luna 1 e Luna 2, que foram coordenadas pela antiga URSS (União das Repúblicas Socialistas Soviéticas).

Entre 1961 e 1965, o governo norte-americano enviou três missões para preparar a visita humana à Lua.

O trabalho ainda prossegui entre 1966 e 1967, mas o homem só chegou à Lua em 20 de julho de 1969. O astronauta Neil Armstrong foi o primeiro homem a pisar em solo lunar.

Doze astronautas estiveram na Lua no período de 1969 a 1972. As missões foram interrompidas e somente em 1990 os Estados Unidos enviaram as missões robóticas Clementine e Lunar.

Em 2003, cientistas da União Europeia também enviaram missões. Ainda naquele ano, também enviaram missões os governos do Japão e China. A Índia encaminhou missões em 2007 e 2008.

Leia também: Satélites artificiais e Corpos celestes.