Vozes verbais ou Vozes do verbo

Márcia Fernandes

As vozes verbais, ou vozes do verbo, são a forma como os verbos se apresentam na oração a fim de determinar se o sujeito pratica ou recebe a ação. Elas podem ser de três tipos: ativa, passiva ou reflexiva.

Voz ativa Sujeito é o agente da ação. Exemplo: Vi a professora.
Voz passiva Sujeito sofre a ação. Exemplo: A professora foi vista.
Voz reflexiva Sujeito pratica e sofre a ação. Exemplo: Vi-me ao espelho.

Voz ativa

Na voz ativa o sujeito é agente, ou seja, pratica a ação.

Exemplos:

  • Bia tomou o café da manhã logo cedo.
  • Aspiramos a casa toda.
  • Já fiz o trabalho.

Voz passiva

Na voz passiva o sujeito é paciente e, assim, não pratica, mas recebe a ação.

Exemplos:

  • A vítima foi vista ontem à noite.
  • Aumentou-se a vigilância desde ontem.

A voz passiva pode ser analítica ou sintética.

Formação da voz passiva analítica

A voz passiva analítica é formada por:

Sujeito paciente + verbo auxiliar (ser, estar, ficar, entre outros) + verbo principal da ação conjugado no particípio + agente da passiva.

Exemplos:

  • O café da manhã foi tomado por Bia logo cedo.
  • A casa toda foi aspirada por nós.
  • O trabalho foi feito por mim.

Formação da voz passiva sintética

A voz passiva sintética, também chamada de voz passiva pronominal (devido ao uso do pronome se), é formada por:

Verbo conjugado na 3.ª pessoa (no singular ou no plural) + pronome apassivador "se" + sujeito paciente.

Exemplos:

  • Tomou-se o café da manhã logo cedo.
  • Aspirou-se a casa toda.
  • Já se fez o trabalho.

Temos certeza de que estes textos podem te ajudar mais ainda:

Voz reflexiva

Na voz reflexiva o sujeito é agente e paciente ao mesmo tempo, uma vez que ele pratica e recebe a ação.

Exemplos:

  • A velhinha sempre se penteia antes de sair.
  • Eu me cortei hoje quando estava cozinhando.

Formação da voz reflexiva

A voz reflexiva é formada por:

Verbo na voz ativa + pronome oblíquo (me, te, se, nos, vos), que serve de objeto direto ou, por vezes, de objeto indireto, e representa a mesma pessoa que o sujeito.

Exemplos:

  • Atropelou-se em suas próprias palavras.
  • Machucou-se todo naquele jogo de futebol.
  • Olhei-me ao espelho.

Voz reflexiva recíproca

A voz reflexiva também pode ser recíproca. Isso acontece quando o verbo reflexivo indica reciprocidade, ou seja, quando dois ou mais sujeitos praticam a ação, ao mesmo tempo que também são pacientes.

Exemplos:

  • Eu, meus irmãos e meus primos damo-nos bastante bem.
  • Aqui, os dias passam-se com muitas novidades.
  • Sofia e Lucas amam-se.

Vozes verbais e sua conversão

Geralmente, por uma questão de estilo, podemos passar a voz verbal ativa para a voz verbal passiva.

Ao fazer a transposição, o sujeito da voz ativa torna-se o agente da passiva e o objeto direto da voz ativa torna-se o sujeito da voz passiva.

Exemplo na voz ativa: Aspiramos a casa toda.

Sujeito da ativa: Nós (oculto)
Verbo: Aspiramos (transitivo direto)
Objeto direto: a casa toda.

Exemplo na voz passiva: A casa toda foi aspirada por nós.

Sujeito: A casa toda
Verbo auxiliar: foi
Verbo principal: aspirada
Agente da passiva: por nós.

Observe que o verbo auxiliar "foi" está no mesmo tempo verbal que o verbo "aspiramos" estava na oração cuja voz é ativa. O verbo "aspiramos" na oração cuja voz é passiva está no particípio.

Assim, a oração transposta para a voz passiva é formada da seguinte forma:

Sujeito + verbo auxiliar (ser, estar, ficar, entre outros) conjugado no mesmo tempo verbal que o verbo principal da oração na voz ativa + verbo principal da ação conjugado no particípio + agente da passiva.

É importante lembrar que somente os verbos transitivos admitem transposição de voz. Isso porque uma vez que os verbos intransitivos não necessitam de complemento, não têm objeto que seja transposto em sujeito.

Exercícios de vozes verbais

1. Indique as vozes verbais das orações abaixo:

a) Até que enfim os vistos foram obtidos!
b) Cortei-me quando fazia o jantar.
c) Diversos funcionários foram demitidos pela empresa.
d) Invadiu a casa à procura do refém.
e) Eles nos venceram…
f) O chefe não me chamou para a reunião.

a) Voz passiva analítica, afinal o sujeito é paciente. A oração é formada por sujeito paciente (os vistos) + verbo auxiliar (foram) + verbo principal da ação conjugado no particípio (obtidos).

b) Voz reflexiva, afinal o sujeito é agente e paciente. A oração é formada por verbo na voz ativa (Cortei) + pronome oblíquo (me).

c) Voz passiva, afinal o sujeito é paciente. A oração é formada por sujeito paciente (Diversos funcionários) + verbo auxiliar (foram) + verbo principal da ação conjugado no particípio (demitidos) + agente da passiva (pela empresa).

d) Voz ativa, afinal o sujeito é agente, ou seja, pratica a ação (Invadiu a casa).

e) Voz ativa, afinal o sujeito é agente, ou seja, pratica a ação (Eles (nos) venceram).

f) Voz ativa, afinal o sujeito é agente, ou seja, pratica a ação (O chefe não (me) chamou).

2. Agora, faça as transposições possíveis das vozes verbais das mesmas orações acima.

a) Até que enfim os vistos foram obtidos! > Até que enfim conseguimos obter os vistos! ou Conseguimos obter os vistos. Até que enfim!
A voz verbal da oração foi transposta para a voz ativa. Assim, o sujeito paciente (os vistos) passou a ser o objeto direto, enquanto o sujeito passou a ser "nós" — (Nós) Conseguimos obter os vistos.

b) Como em "Cortei-me quando fazia o jantar." o sujeito é agente e paciente, não é possível converter a voz verbal, afinal não faz sentido dizer "Fui cortado por mim mesmo quando fazia o jantar.".

c) Diversos funcionários foram demitidos pela empresa. > A empresa demitiu diversos funcionários.
A voz verbal da oração foi transposta para a voz ativa. Assim, o sujeito paciente (diversos funcionários) passou a ser o objeto direto, enquanto o sujeito passou a ser "a empresa".

d) Invadiu a casa à procura do refém. > À procura do refém, a casa foi invadida. ou A casa foi invadida à procura do refém.
A voz verbal da oração foi transposta para a voz passiva. Assim, o sujeito da voz ativa — "(Ele/ela) invadiu" tornou-se o agente da passiva, enquanto o objeto direto da voz ativa (a casa) tornou-se o sujeito da voz passiva.

e) Eles nos venceram… > Fomos vencidos por eles.
A voz verbal da oração foi transposta para a voz passiva. Assim, o sujeito da voz ativa (Eles) tornou-se o agente da passiva, enquanto o objeto direto da voz ativa (nos) tornou-se o sujeito da voz passiva — (Nós) Fomos vencidos.

f) O chefe não me chamou para a reunião. > Não fui chamada para a reunião pelo chefe.
A voz verbal da oração foi transposta para a voz passiva. Assim, o sujeito da voz ativa (O chefe) tornou-se o agente da passiva, enquanto o objeto direto da voz ativa (me) tornou-se o sujeito da voz passiva — (Eu) Não fui chamada.

Márcia Fernandes
Márcia Fernandes
Professora, pesquisadora, produtora e gestora de conteúdos on-line. Licenciada em Letras pela Universidade Católica de Santos.