As Pirâmides do Egito


As pirâmides do Egito são túmulos construídos em pedra para abrigar os corpos dos reis do Egito Antigo, os faraós. As dimensões representam a importância e o poder do faraó na sociedade.

Há 123 pirâmides conhecidas, mas as três principais abrigam os corpos dos reis Quéops, Quéfren e Miquerinos, na península de Gizé. O conjunto arquitetônico é guardado pela Esfinge, com um corpo de leão e a cabeça de um faraó.

Os egípcios acreditavam que os faraós viveriam para sempre e, por isso, seus corpos eram preservados em um processo denominado mumificação. A arquitetura das pirâmides é considerada um mistério por conta dos poucos recursos tecnológicos da época. Ainda assim, foram projetadas de forma a preservar os corpos dos faraós e seus pertences.

Os estudiosos egípcios escolheram a forma de pirâmide para representar o raio do Sol - Rá era o deus mais poderoso da religião egípcia. A forma de pirâmide, na avaliação dos cientistas do Egito, permitiria a ascensão ao céu do faraó.

Segredos das Pirâmides

As pirâmides foram construídas em um período em que o Egito abrigava uma civilização rica e poderosa. Sua edificação começou no Antigo Império e perdurou até o século IV d.C, mas o pico das construções é registrado entre a Terceira Dinastia e a Sexta Dinastia, 2325 a.C.

Nesse período, o Egito vivia sob estabilidade e prosperidade econômica e os faraós acreditavam ser uma espécie de divindade escolhida para serem mediadores entre deuses e humanos. Após a morte física, os egípcios acreditavam que o espírito do rei, que era conhecido como Ka, permanecia no corpo e necessitava de cuidados especiais.

No processo de preservação do corpo, a mumificação, o rei era circundado com tudo o que necessitaria após a morte, seus órgãos, seus tesouros, alimentos e, até, móveis. Familiares, sacerdotes e funcionários também eram sepultados junto ao faraó.

Até o início da Primeira Dinastia, 2950 a.C, as tumbas eram esculpidas em rocha e cobertas com estruturas denominadas "mastabas". Essas eram as precursoras das pirâmides. A primeira pirâmide a ser construída usou um estrutura inicial de mastaba e pertencia à Terceira Dinastia, do rei Djoser. A construção é datada de 2630 a.C.

Essa pirâmide exibe seis degraus de pedra que, juntos, somam 62 metros de altura. Era o túmulo mais alto da época e foi cercado de santuários e tempos para o rei Djoser desfrutar durante a morte.

A pirâmide de Djoser estabeleceu um parâmetro para os enterros reais. Entre os reis que viveram tempo suficiente para coordenar a construção de um templo com as mesmas dimensões estava Sneferu, que viveu entre 2631 e 2589 a.C.

As Pirâmides do EgitoA obra das pirâmides começou na Primeira Dinastia

É o sucessor dele, contudo, que consegue construir a maior de todas as pirâmides conhecidas na península de Gizé. O túmulo de Quéops é a maior pirâmide do mundo. Cada um dos lados dos pés tem 230 metros e sua altura é de 174 metros.

Três pequenas pirâmides foram construídas em alinhamento ao túmulo de Quéops e serviram para abrigar os corpos das rainhas. Há, ainda, uma tumba com o sarcófago da rainha Hetepheres, mãe de Quéops e outras pirâmides menores e mastabas para abrigar os corpos de funcionários do rei.

A pirâmide de Quéops é constituída por 2,3 milhões de blocos de pedra que pesam cera de 2,5 toneladas cada. O trabalho de construção teria durado 20 anos e contou com a força de 100 mil homens. Entre os operários usados como mão-de-obra estariam estrangeiros escravizados e camponeses egípcios que trabalhavam durante o regime de cheias do Nilo.

A segunda maior pirâmide na península de Gizé foi edificada para abrigar o corpo de Quéfren, com 143 metros de altura e, ao lado dela está a Esfinge. A estátua, a maior do mundo antigo, mede 200 metros de comprimento e 74 de altura.

Já a menor de todas as pirâmides foi construída para o corpo de Miquerinos, que reinou entre 2532 e 2503 a.C. Tem 65 metros de altura e uma base de 105 metros. As proporções menores da pirâmide de Miquerinos influenciam as demais construções de túmulos.

À medida em que o poder e a riqueza dos reis do Egito diminuíam, o ritmo das construções caiu. Ao longo da quinta e sexta dinastias, as edificações eram menores, mas também há outra forma de manifestação dentro dos túmulos.

No túmulo do rei Unas, que viveu entre 2375 e 2345 a.C., são encontrados relatos e fatos de seus evento. Essas são as primeiras composições que permitem o conhecimento do Egito antigo. O último dos grandes construtores foi Pepy II, segundo rei da Sexta Dinastia e viveu entre 2278 e 2184 a.C.

Após a morte de Pepy II, o Egito entrou em colapso e, somente na 12ª Dinastia a construção de pirâmides foi retomada, mas sem a grandiosidade anterior.

As Pirâmides do EgitoA Esfinge guarda as pirâmides na Península de Gizé

Como Foram Construídas as Pirâmides?

A construção das pirâmides está entre os maiores mistérios da engenharia, mesmo atualmente. Ao fim de 2014, cientistas norte-americanos apresentaram a última das teorias aceitas e que implicaria o uso de água para mover os blocos de pedra que seriam usados nas obras.

A teoria surgiu a partir da observação de imagens de uma pessoa jogando água à frente do que seria um trenó onde estava assentada uma pedra puxada por pelo menos 150 trabalhadores. Estudiosos entendiam que a imagem retratava um ritual religioso, mas os cientistas dos EUA reproduziram o ato e perceberam que a areia tinha o atrito reduzido com quando a água era jogada e o trenó deslizava com mais facilidade.

Os Nomes das Pirâmides

Os nomes usados para denominar as pirâmides são os dos reis faraós em que os corpos foram sepultados. Cada uma delas representa a grandeza do faraó para povo e para os deuses.

Curiosidades

Não eram somente os familiares e serviçais do rei que queriam compartilhar de sua glória na morte. É o demonstram as pesquisas sobre a importância espiritual da Península de Gizé.

Em 2010, pesquisadores descobriram que o povo também tencionava ficar próximo ao rei a partir do levantamento de uma vala com 400 corpos de pessoas desnutridas. Era gente do povo que queria ficar próxima a rei e, por isso, também foram sepultadas com seus pertences pessoais.

A expressão "obra faraônica" advém das construções no Egito Antigo e estão relacionadas à grandeza das edificações. Isso ocorre porque o conjunto arquitetônico na Península de Gizé ainda é um dos mais significativos do mundo. A pirâmide de Quéops, por exemplo, foi o prédio mais alto do Planeta até o século 14, quando foi construída a Catedral de Lincoln, na Inglaterra.