11 exercícios sobre Egito Antigo (com gabarito e comentários)

Thiago Souza
Thiago Souza
Professor de História

Egito Antigo é um tema muito cobrado em diversos vestibulares.

Também é um tema muito importante no currículo escolar, sempre presente em provas ao longo do ano letivo.

Elaboramos e selecionamos 11 exercícios sobre o tema, abordando política, religião, geografia e economia.

Bons estudos e boa sorte!

Nível fácil

Questão 01

Imperador responsável pela unificação do Baixo e Alto Egito, em 3.200 a.C.:

a) Amenófis IV.
b) Menés.
c) Ramsés II.
d) Amenhotep III.
e) Tutancâmon.

Resposta: B.

Antes da unificação, realizada por Menés, o Alto e o Baixo Egito possuíam governantes distintos. Após a unificação, o Egito Antigo passou a ter um faraó para comandar ambas as regiões.

Questão 02

A sociedade egípcia antiga foi, na maior parte do tempo, politeísta, com diversos deuses. A religião para esses povos tinha uma importância muito grande. A sociedade egípcia foi uma sociedade:

a) Absolutista.
b) Teocrática.
c) Democrática.
d) Anarquista.
e) Socialista.

Resposta: B.

a) ERRADA: O regime absolutista foi uma forma de governo europeia praticada a partir da Baixa Idade Média, séculos a frente do período do Egito Antigo.
b) CORRETA. A teocracia é um sistema político onde o poder está fundamentado no poder religioso.
c) ERRADA: A democracia foi um modelo político desenvolvido na Grécia Antiga, séculos posteriormente.
d) ERRADA: O anarquismo é um sistema político idealizado no século XIX.
e) ERRADA: O socialismo é um sistema político idealizado no século XVIII.

Questão 03

O Rio Nilo foi importante para os egípcios, pois:

a) Suas cheias tornavam a terra fértil.
b) Era utilizado pelos egípcios para pesca.
c) Garantia a unidade política do Egito, pois era uma via utilizada para interligar os territórios.
d) Todas as alternativas anteriores.

Resposta: D.

O rio Nilo foi de extrema importância para o desenvolvimento do Egito Antigo, em diversos aspectos, como as alternativas apresentam.

Questão 04

Sobre as pirâmides no Egito Antigo, assinale a alternativa INCORRETA:

a) As pirâmides foram construídas com o objetivo de serem túmulos para abrigar os corpos dos faraós, que eram mumificados após sua morte.
b) A maior pirâmide do mundo é a de Quéops, com 230 metros de largura na base e 174 metros de altura.
c) A grandiosidade das pirâmides procurava representar a grandiosidade do faraó.
d) Nas construções, tanto escravizados quanto trabalhadores livres deviam trabalhar.
e) Até hoje não foram elaboradas teorias de como os egípcios conseguiram carregar e elevar pedras tão pesadas para a construção das pirâmides.

Resposta: E.

a) CORRETA: A função das pirâmides era servir como túmulos para os faraós.
b) CORRETA: Existem 123 pirâmides catalogadas no Egito, sendo a de Quéops a maior.
c) CORRETA: Construir grandes obras como demonstração de poder foi e é uma prática comum de governos ao longo da história.
d) CORRETA: Escravos e trabalhadores livres foram mão de obra para as construções. Os camponeses realizavam esse serviço durante as cheias do Nilo, quando estavam impossibilitados de trabalhar nas lavouras.
e) ERRADA: Existem diversas teorias sobre como esse trabalho foi realizado. Entre as mais aceitas temos a que afirma que a areia era molhada no caminho que as pedras percorreriam, para que elas deslizassem com maior facilidade.

Nível médio

Questão 05

Sobre o trabalho e os diferentes grupos sociais no Egito Antigo, assinale a alternativa INCORRETA:

a) Os camponeses e artesãos tiveram como única função desenvolver trabalhos nos campos. Nos períodos de cheia do Nilo, eles deveriam trancar-se em casa para rezar aos deuses solicitando uma boa colheita no futuro.
b) Os sacerdotes possuíram grande importância na vida política e religiosa egípcia. Eles ficavam responsáveis pelos rituais e festas religiosas.
c) Os escribas foram funcionários do Estado que tinham como função o registro dos principais eventos da sociedade e vida do faraó.
d) O faraó era quem deteve o maior poder no governo egípcio. Ele era visto como um deus, sendo seu cargo transmitido de forma hereditária.

RESPOSTA: A.

a) ERRADA: Em períodos de cheia do Nilo, os camponeses deveriam realizar trabalhos na construção das pirâmides e os artesãos deveriam preparar itens para a decoração do seu interior.
b) CORRETA: A vida espiritual e terrena dos egípcios mesclou-se muito. Por conta disso, os sacerdotes, indivíduos responsáveis pelos ritos religiosos, tiveram muito prestígio.
c) CORRETA: Os escribas tiveram grande destaque na sociedade egípcia, entre outros motivos, pela capacidade de registrar histórias e organizar setores administrativos.
d) CORRETA: Chamamos o governo egípcio de um governo teocrático, dada a importância da religião na política.

Questão 06

Sobre a arte no Egito Antigo, considere V para as afirmativas verdadeiras e F para as falsas.

( ) A maior parte das obras de arte egípcias tiveram como tema central a religiosidade.
( ) A dimensão dos indivíduos retratados nas pinturas tinham como objetivo demonstrar os níveis hierárquicos sociais. Quanto menor o indivíduo, menor seu prestígio e poder na sociedade.
( ) Um ponto marcante nas pinturas egípcias foi o predomínio das três dimensões nos desenhos.
( ) Segundo a Lei da Frontalidade, o troco e os olhos dos indivíduos deveria sempre ser representado de frente. Já a cabeça, pernas e pés, de perfil.
( ) As esfinges egípcias possuíam a cabeça humana e o corpo de leão para que a cabeça representasse a sabedoria e o corpo, a força.

a) V-V-V-F-V.
b) F-V-F-V-V.
c) V-V-F-F-V.
d) V-V-F-V-V.
e) V-F-V-V-V

RESPOSTA: D.

III - FALSA: As pinturas egípcias foram marcadas pela ausência de três dimensões, possuindo apenas duas.

Questão 07

Acerca das práticas religiosas no Egito Antigo, assinale a alternativa correta:

a) Da mesma forma que no cristianismo, os egípcios acreditavam na possibilidade da vida após a morte. Contudo, apenas os indivíduos de camadas sociais mais baixas poderiam alcança-la, pois eram os únicos vistos pelos deuses como verdadeiros merecedores.
b) O processo de mumificação, realizado em corpos de faraós, sacerdotes e alguns nobres, não tinha relação com a ideia de vida após a morte, mas sim com a crença de que o corpo após o falecimento deveria manter-se intacto para que as futuras gerações pudessem conhecer os principais líderes dessa civilização.
c) Os sacerdotes tinham um importante papel na religiosidade egípcia, sendo responsáveis por manter a “ordem cósmica”.
d) Uma característica importante dos deuses gregos antigos foi o antropozoomorfismo: a ideia de que os deuses viveriam entre os camponeses e escravos para vigiar os humanos e escolher os que poderiam encontrar a salvação.
e) Nenhuma das anteriores.

RESPOSTA: C.

a) ERRADA: A vida após a morte poderia ser alcançada por todos, indiferentemente de sua posição social.
b) ERRADA: A mumificação tinha uma relação direta com a crença na vida após a morte.
c) CORRETA. Os sacerdotes tinham grande prestígio para os egípcios.
d) ERRADA: O antropozoomorfismo é a característica dos deuses egípcios, que eram representados com a cabeça humana e o corpo de um animal. Antropo: homem; Zoo: animal; Morfismo: forma.
e) ERRADA: A alternativa C está correta.

Questão 08

Assinale V para as sentenças verdadeiras e F para as falsas.

( ) Na sociedade egípcia era praticamente inexistente a mobilidade social.
( ) O escriba ficava responsável por realizar o controle de impostos e outras funções administrativas, além de registrar os fatos importantes da vida do faraó.
( ) Os egípcios possuíam um calendário de 365 dias baseado na observação da trajetória do sol.
( ) O faraó não poderia recolher impostos sobre a produção dos camponeses, pois as terras eram privadas, de posse dos nobres.

a) F-V-V-F.
b) V-V-V-V.
c) V-F-V-V.
d) V-V-V-F.
e) V-F-V-F.

RESPOSTA: D.

IV - FALSA: Todas as terras no Egito Antigo eram de posse do Faraó. Todos deveriam pagar impostos a ele.

Nível difícil

Questão 09

(PUC – GO 2019) – Leia a sinopse do filme Os deuses do Egito (2016):

“A sobrevivência da humanidade vê-se ameaçada quando Set, o impiedoso deus das trevas, se apodera do trono do Egito e transforma o próspero Império em um caos. Na esperança de salvar o mundo e resgatar seu verdadeiro amor, um mortal chamado Bek forma uma improvável aliança com o poderoso deus Horus. Sua batalha contra Set e seus escudeiros atravessa o além e os céus para um confronto épico.”

(Disponível em: https://g.co/kgs/HquKrA. Acesso em: 15 jul. 2018. Adaptado.)

O roteiro desse filme baseia-se em alguns aspectos mitológicos da antiga civilização egípcia. Destaca-se a luta de Osíris e Horus contra Set, o que representava a continuidade do nascer do sol e, consequentemente, da vida. Sabendo-se que Osíris, o deus assassinado por Set, é considerado o primeiro faraó do Egito e que os faraós subsequentes eram representantes do Sol, marque a alternativa correta:

a) A unificação religiosa tentada por Amenófis IV, em torno do deus solar Aton, indica um esforço para reforçar o poder faraônico, relacionando, provavelmente pela primeira vez na história, o monoteísmo à dominação de um único líder.
b) A luta entre as divindades Osiris e Set é uma forma poética de narrar o conflito entre os faraós Tutankamon e Akhaenaton, que empreenderam uma guerra que deixou o Egito arrasado e permitiu a dominação dos hebreus.
c) As pirâmides de Gizé foram templos voltados para a realização do culto popular ao deus solar Aton. O povo egípcio construiu três delas para representar os três filhos de Ramsés II, fundador da última dinastia egípcia, que o seguiram na função de faraós.
d) A maior prova da mistura entre religião e política no Egito antigo é a imposição da obrigatoriedade de mumificar os faraós, que era fielmente obedecida pelo povo egípcio. Com tal prática, a população reconhecia que a soberania faraônica possuía continuidade no mundo dos mortos, reinado de Anúbis.

RESPOSTA: A.

Durante o reinado de Amenófis IV, com o intuito de diminuir o poder dos sacerdotes, o faraó instituiu a adoração a um único deus, o Sol. Logo após sua morte, o politeísmo foi restaurado no Egito Antigo.

Questão 10

(FACERES – 2018) – Leia o trecho a seguir:

“A imagem do Egito antigo que temos no senso comum do ocidente contemporâneo é tão artificial que uma criança dificilmente associa o Egito ao seu continente, a África (...). O povo do Egito antigo era negro. Diversos textos antigos (gregos e árabes) assim os relatam. Na historiografia moderna, porém, esses textos são ignorados. O processo de construção de uma imagem eurométrica do povo egípcio se dá de forma maquínica: a arte, a literatura e a mídia ocidentalizam sua imagem (embranquecem a pele e normativizam suas relações sociais pelo padrão europeu); sua existência enquanto povo é dissociada da África”.

(COURI, Aline. O embranquecimento histórico do Egito. 11 abr. 2016. Disponível em https://www.geledes.org.br Acesso em 25 fev. 2018).

Segundo o ponto de vista exposto no texto pela pesquisadora Aline Couri, a respeito desse processo de “branqueamento” do Egito antigo, é correto afirmar que:

a) Ele é fruto do desejo daquele povo em se assemelhar aos europeus da época, potencialmente superiores.
b) É um processo oriundo dos documentos históricos que descreveram o povo egípcio de tez clara, caucasiana.
c) Trata-se de um racismo reverso, pois os egípcios de hoje procuram se distanciar de seu passado europeizado.
d) Trata-se de um racismo historiográfico, que negligenciou a negritude de um dos mais importantes povos africanos.
e) Trata-se de uma visão oriunda das crianças árabes e gregas, que não associam o Egito ao seu continente, a África.

RESPOSTA: D.

A questão aborda o modo como o “branqueamento” dos Egípcios através da historiografia, arte e das mídias modernas está relacionado ao chamado racismo historiográfico.

Dessa forma, a imagem criada a respeito do Egito Antiga procurou aproximá-los dos valores e cultura ocidentais e afastá-los das características de outros povos que viveram geograficamente próximos a eles, no continente africano.

Questão 11

(SÃO CAMILO – 2019) – Os egípcios viam a criação do mundo como uma espécie de ilha de ordem cercada pelas forças do caos, que a ameaçavam constantemente de aniquilação, da mesma forma como o Delta e o Vale férteis e organizados estavam cercados pelos desertos hostis e anárquicos.

(Ciro F. S. Cardoso. O Egito Antigo, 1982. Adaptado.)

O texto ajuda compreender o motivo de, no Egito Antigo, as práticas religiosas

a) estarem desconectadas da experiência cotidiana, pois se acreditava que as divindades pouco interferiam nos movimentos da natureza e nos destinos humanos.
b) dependerem da intermediação de sacerdotes, que condenavam atitudes dos fiéis, como o ócio, a busca da riqueza ou a prática sexual não voltada à procriação.
c) serem utilizadas pelos governantes como forma de iludir e enganar a população pobre, que passou a acreditar que os faraós eram representantes dos deuses na Terra.
d) penetrarem todos os aspectos da vida pública e privada, como nas cerimônias para garantir a chegada da inundação, agradecer a colheita ou procriar.
e) restringirem-se à nobreza e aos sacerdotes, uma vez que a maior parte da população era analfabeta e não tinha acesso aos textos míticos e às obras religiosas.

RESPOSTA: D.

a) ERRADA: as práticas religiosas no Egito Antigo estavam relacionadas a todos os aspectos da vida desses povos. O excerto apresenta isso ao demonstrar um paralelo claro entre os aspectos físicos da geografia egípcia com as questões místicas.
b) ERRADA: as características listadas não estavam entre as condenações realizadas pelos sacerdotes.
c) ERRADA: é preciso compreender os aspectos da religiosidade egípcia para além de um simples jogo de interesses entre os diferentes grupos sociais.
Compreender nobres e faraós como “espertos” e camponeses e artesãos como “tolos” reforça uma visão errônea e estereotipada sobre a civilização egípcia.
d) CORRETA. No Egito Antigo, a vida espiritual e terrena se mesclam.
e) ERRADA: o fato de a maior parte da população ser analfabeta e não ter acesso aos textos místicos não a exclui das práticas religiosas.

Leia mais:

Thiago Souza
Thiago Souza
Graduado em História pela Universidade Estadual de Londrina em 2018. Ministra aulas de História desde 2018 para turmas do Fundamental II e Ensino Médio.