Bomba de Hidrogênio


A Bomba de Hidrogênio, bomba H, ou bomba termonuclear é a bomba atômica que tem o maior potencial de destruição.

Seu funcionamento decorre de um processo de fusão, motivo pelo qual também pode ser chamada de bomba de fusão. É a arma mais poderosa do planeta.

Bomba Atômica vs Bomba de Hidrogênio

A bomba atômica pode ser composta de urânio 235 (235U) ou de plutônio 239 (239Pu), que são elementos químicos pesados. A bomba de hidrogênio, tal como o nome indica, é composta de hidrogênio (H), que é um elemento leve.

As bombas atômicas lançadas em Hiroshima e Nagasaki (compostas respectivamente de urânio 235 e plutônio 239) resultaram do processo de fissão (divisão do núcleo do átomo).

A bomba de hidrogênio resultou do processo de fusão (junção do núcleo do átomo). Assim, o processo atômico é a principal diferença entre as bombas.

Saiba mais em Bomba Atômica.

Como Funciona

A explosão da bomba de hidrogênio decorre do processo de fusão, o qual acontece sob temperaturas altíssimas, cerca de aproximadamente 10 milhões de graus Celsius.

Os isótopos do hidrogênio (H), chamados de deutério (H2) e trítio (H3), se unem. Os isótopos têm o mesmo número de prótons e elétrons, mas não de nêutrons.

Ao se unir, o núcleo do átomo gera ainda mais energia. Isso porque são formados núcleos de hélio, cuja massa atômica é 4 vezes maior do que a do hidrogênio.

Assim, de um núcleo leve, o núcleo passa a ser pesado. Por isso, o processo de fusão é muitas ou milhares de vezes mais violento do que o de fissão.

Capacidade de Destruição

A capacidade de destruição da bomba de hidrogênio é medida em megatons. Um megaton equivale a um milhão de toneladas de dinamite. A bomba atômica, por sua vez, tem um poder de destruição equivalente a mil toneladas do mesmo explosivo químico.

Recorde que nas duas situações em que foi utilizada (durante a Segunda Guerra Mundial), a bomba atômica destruiu as cidades de Hiroshima e Nagasaki, no Japão.

Saiba como aconteceu em Bomba de Hiroshima.

Atol de Enewetak

No dia 1 de novembro de 1952 um teste nuclear, que recebeu o nome de Ivy Mike, foi realizado pelos Estados Unidos da América (EUA) no Atol de Enewetak, nas Ilhas Marshall. O resultado foi tão violento que abriu uma cratera de cerca de 2 quilômetros de diâmetro.

Tratava-se de uma ilha desabitada desde o fim da Segunda Guerra, quando havia sido transformada em campo de testes nucleares.

As pessoas começaram a regressar à ilha na década de 70 e os EUA deram início a um trabalho de descontaminação. Em 1980 a ilha era considerada livre de contaminação.

Conheça os impactos na saúde causados pelo maior acidente nuclear da história em Acidente de Chernobyl.

Atol de Bikini

O Atol de BiKini, localizado nas Ilhas Marshall, também foi utilizado pelos EUA entre 1946 e 1958.

Lá foram detonadas mais de duas dezenas de bombas de hidrogênio, motivo pelo qual o atol se tornou inabitável. O Atol de BiKini foi declarado Patrimônio Mundial da Unesco.

Projeto Manhattan

O Projeto Manhattan, liderado pelos EUA, foi o responsável pela criação da bomba atômica na década de 40.

Ele foi dirigido pelo físico Julius Robert Oppenheimer. O físico Edward Teller (1908-2003), participante desse projeto, é considerado o pai da bomba de hidrogênio.

Outro participante foi Philip Morrison (1915-2005). O físico estadunidense trabalhou na criação de reatores nucleares.