Castelos Medievais

Juliana Bezerra

Os castelos medievais começam a ser erguidos quando a Europa Ocidental foi invadida pelos povos nórdicos.

Diante do perigo houve a necessidade de aumentar a defesa do território construindo estruturas mais sólidas para resistir aos ataques dos chamados "povos bárbaros" .

Origem

Castelo de Bodiam

Castelo de Bodiam, na Inglaterra.

Os castelos começaram a ser construídos por volta do ano de 800 sobre ruínas de construções e fortificações romanas. Esses primeiros castelos eram estruturas de madeira protegidas por paliçadas e mais tarde, muros de pedras e rochas.

Ficavam sempre na parte mais alta do terreno, de preferência no topo de uma colina, a fim de facilitar a vigilância. Também podiam estar junto ao rio que formava uma defesa natural.

Com o aumento das invasões nórdicas e o fim do Império Romano, a madeira foi sendo substituída por pedras e, até as construções civis, como mosteiros e igrejas, seguiram o estilo defensivo.

Os muros cresceram de tamanho e passaram a ser enormes muralhas onde os cavaleiros e soldados podiam circular em caso de ataque.

É importante ressaltar que os castelos não serviam apenas para a defesa, mas também aumentavam a autoridade do senhor feudal sobre seu feudo.

Afinal, eles permitiram que se controlasse a área circundante e se formasse um centro de administração, proporcionando ao senhor um lugar para manter a corte.

Assim, os castelos passaram a simbolizar o poder do nobre e da família que nele habitava. Por isso, foram introduzidas melhorias próprias de um lar como chaminés, cozinhas, mobiliário, pinturas e grandes tapetes para minimizar o frio do inverno.

Leia mais sobre Feudalismo.

Características

Um castelo medieval tem características facilmente reconhecíveis como muros altos, torres, janelas pequenas, canhoneiras, etc. No calabouço, havia celas que acolhiam os prisioneiros de guerra.

O ponto mais sensível deste tipo de construção era a entrada principal. Para isso, os arquitetos inventaram todo tipo de proteção.

Desde escavar um fosso e enchê-lo de água e dejetos, fabricar uma dupla porta a utilizar pontes. Igualmente, portões de ferro que poderiam ser abertos e abaixados verticalmente através de mecanismos movidos por roldanas.

Construção

Os castelos demoravam anos para serem edificados e empregavam um grande número de trabalhadores para sua construção. Talhadores, pedreiros, artesãos, carpinteiros e marceneiros dedicavam-se a moldar pedras, levantar torres e abrir janelas.

Muitas vezes eram empregados os prisioneiros de guerra para realizar determinadas tarefas como reparar as partes danificadas.Para transportar o material e erguê-lo a grandes alturas eram utilizadas a força animal, moinhos movidos à àgua ou tração humana.

A matéria-prima usada era principalmente a pedra e isto poderia ser um problema quando havia escassez do material. Certas muralhas foram edificadas com pedras retiradas de antigos cemitérios romanos, por exemplo.

Outros castelos foram edificadas com pedras trazidas de locais mais distantes alargando o tempo de construção.

Igualmente, a madeira era usada para o acabamento e sustentação. Florestas inteiras foram devastadas para edificar castelos e também as casas dos servos que vivieriam ao redor do senhor feudal.

Saiba mais sobre a Arquitetura Medieval.

Castelo, atalaia, fortaleza, cidadela ou palácio?

Carcassone

Cidadela de Carcassone, na França, com dupla muralha.

Apesar da palavra "castelo" ser usada genericamente, nem todo castelo era um palácio. Descubra as principais diferenças entre essas construções:

Castelo – construção capaz de repelir os invasores e proteger os ocupantes por longos períodos de tempo. A família do senhor feudal e seus colaboradores mais próximos moravam no seu interior.

Atalaia - edificação composta geralmente de uma só torre a fim de vigiar o terreno circundante. Todo castelo tinha sua atalaia, mas nem toda atalaia era um castelo.

Fortaleza – tinha função exclusivamente militar e nenhuma família residia nestes lugares, apenas os soldados. Começam a ser erguidos pelos nobres quando estes podiam fazer uma fortaleza exclusiva para seus exércitos. Também quando são formados os Estados Nacionais

Cidadela – é a parte protegida da cidade medieval para onde os habitantes do entorno poderiam se refugiar em caso de guerra.

Palácio – onde um membro da realeza, geralmente o rei, morava. Na verdade era construído para mostrar a pompa e a riqueza da família reinante e não tinha função defensiva.

Decadência dos Castelos

Os castelos deixaram de ser construídos, na Europa, por volta do século XVI. Vários motivos explicam o abandono desta edificação:

  • o uso generalizado da pólvora que causava danos irreparáveis às muralhas,
  • o crescimento populacional fazendo que o território fosse cada vez maior e impossível de fortificá-lo,
  • o êxodo rural que deslocou a mão de obra para as cidades,
  • a consolidação do Estado Nacional que centraliza o poder das armas nas mãos do rei criando os primeiros Exércitos nacionais.

O fim dos castelos está inserido na própria decadência da Idade Média. Para saber mais, leia o post Baixa Idade Média e entenda as transformações ocorridas neste período.

Curiosidades

  • O castelo de Doué-la-Fontaine, na França, erguido por volta de 950, é considerado o mais antigo da Europa.
  • O castelo de Malbork é apontado como o maior da Europa. Localizado na Polônia, construído a partir de 1217, possui 210.000 m².
  • Também os mouros levantaram castelos na Europa. Um dos melhores exemplares desse tipo de construção – chamado “alcázar” – é Alhambra (a Vermelha) que fica na cidade de Granada, Espanha.
Juliana Bezerra
Juliana Bezerra
Bacharelada e Licenciada em História, pela PUC-RJ. Especialista em Relações Internacionais, pelo Unilasalle-RJ. Mestre em História da América Latina e União Europeia pela Universidade de Alcalá, Espanha.