Regiões Geoeconômicas do Brasil

O Brasil possui 3 regiões geoeconômicas, também chamadas de macrorregiões econômicas ou complexos regionais. São elas: a Amazônia, o Nordeste e o Centro-Sul.

Essa classificação foi elaborada em 1967 pelo geógrafo Pedro Pinchas Geiger, considerando que essas regiões possuem aspectos naturais, históricos, humanos, sociais e econômicos bem distintos.

Para compreender melhor a localização de cada uma delas, veja o mapa abaixo:

Mapa das regiões geoeconômicas do Brasil
Mapa das regiões geoeconômicas do Brasil: Amazônia (1), Centro-Sul (2) e Nordeste (3)

1. Região geoeconômica da Amazônia

Estados abrangidos: Amazonas, Acre, Rondônia, Roraima, Pará, Amapá, Tocantins, parte oeste do Maranhão e grande parte do Mato Grosso.

Informações gerais: maior região macroeconômica e que abrange cerca de 60% do território nacional. Possui baixa densidade populacional abrigando menos de 10% da população do país, sendo a região menos desenvolvida de todas. Nesse complexo regional está localizada a Floresta Amazônia, a maior floresta tropical do mundo.

Problemas Sociais e econômicos: má distribuição de renda e falta de acesso à saúde e a educação.

Cidades de maior destaque: Manaus e Belém.

Principais atividades econômicas: agropecuária, extrativismo vegetal, mineração, indústria (com destaque para a zona franca de Manaus).

2. Região geoeconômica do Centro-sul

Estados abrangidos: pequena parte do sul do Mato Grosso e do sul de Tocantins, Mato Grosso do Sul, Goiás, grande parte de Minas Gerais, Espírito Santo, São Paulo, Rio de Janeiro, Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul.

Informações gerais: segunda maior região macroeconômica que abrange cerca de 25% do território nacional. É a região mais urbanizada e populosa de todas, abrigando cerca de 70% da população brasileira. Dos complexos regionais é o mais desenvolvido, apresentando altos índices de desenvolvimento social e econômico com bons acessos à saúde e a educação.

Problemas sociais e econômicos: má distribuição de renda, altos índices de desemprego, favelização e desigualdade social.

Cidades de maior destaque: São Paulo, Rio de Janeiro, Brasília, Curitiba e Belo Horizonte.

Principais atividades econômicas: agropecuária, mineração, exploração petrolífera e indústria.

3. Região geoeconômica do Nordeste

Estados abrangidos: parte leste do Maranhão, Piauí, Ceará, Rio Grande do Norte, Paraíba, Pernambuco, Alagoas, Sergipe, Bahia e uma parcela do norte de Minas Gerais.

Informações gerais: menor região macroeconômica que abrange cerca de 15% do território nacional e abriga 20% da população brasileira. Dos três complexos regionais é o único que está dividido em 4 sub-regiões devido aos contrastes existentes em cada uma delas. São elas: Meio norte, Sertão, Agreste e Zona da Mata.

mapa das sub-regiões nordestinas
Mapa das sub-regiões nordestinas: Meio norte (1), Sertão (2), Agreste (3) e Zona da Mata (4)

Problemas sociais e econômicos: má distribuição de renda, que gera diversos problemas sociais, tais como a pobreza, o analfabetismo, a favelização e a violência.

Cidades de maior destaque: Fortaleza, Salvador, Recife e São Luís.

Principais atividades econômicas de cada sub-região:

  • Meio norte: agricultura, pecuária e extrativismo vegetal.
  • Sertão: agricultura e pecuária.
  • Agreste: agricultura, pecuária e indústria.
  • Zona da Mata: agricultura, exploração de petróleo e indústria.

Regiões geoeconômicas e Divisão regional do Brasil

Diferente da classificação das regiões geoeconômicas, que desconsidera os limites estaduais, a oficial divisão regional do Brasil engloba 5 regiões: norte, nordeste, centro-oeste, sudeste e sul. Estas são determinadas pelos limites políticos-administrativos das unidades da federação.

mapa das regiões do Brasil
Mapa das regiões do Brasil: norte, nordeste, centro-oeste, sudeste e sul

Leia também:

Referências Bibliográficas

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE
Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Atlas geográfico escolar. Rio de Janeiro: IBGE, 2002.