Região Norte


A Região Norte do Brasil é a maior região em extensão territorial, possuindo uma área de 3.853.676.948 km², o equivalente a 42,27% do território nacional e uma população de cerca de 17 231 027 de habitantes (2014).

Os sete estados da Região Norte e suas capitais são:

Região NorteRegião Norte do Brasil

Fronteiras

A região Norte faz fronteira com a Bolívia, Peru, Colômbia, Venezuela, Guiana, Suriname e a Guiana Francesa, e com os estados do Maranhão, Piauí, Bahia, Goiás e Mato Grosso.

Clima e vegetação

O clima predominante na maior parte da Região norte do Brasil é o equatorial úmido, apresentando elevadas temperaturas, com médias acima de 25°C, chuvas abundantes durante todo o ano, superiores a 2.000 a 3.000 mm anuais, variando conforme os movimentos das massas de ar.

Em todo estado do Tocantins e no sudeste do Pará predomina o clima tropical, com duas estações bem definidas, uma chuvosa e uma seca.

No noroeste do Pará e leste de Roraima predomina o clima equatorial semiúmido, com curtos períodos de seca e temperaturas elevadas durante todo o ano.

A vegetação da Região Norte está intimamente ligada ao clima, ao solo e ao relevo. Além da floresta, que ocupa a maior parte da região, aparecem campos úteis para a criação de gado.

A Floresta Amazônica, que ocupa 40% do território brasileiro, apresenta três degraus de vegetação, tendo como base os níveis de altitude:

A mata de terra firme, parte da floresta que se localiza em terrenos mais elevados, que não são atingidos pelas inundações dos rios.

Nessa região se encontra o mogno, o cedro, o angelim, a andiroba, o guaraná, o caucho (planta que fornece o látex) e a castanheira, árvore nativa que pode atingir 30 metros de altura.

A mata de várzea, parte da floresta sujeita a inundações periódicas. Situa-se entre a mata de terra firme e a do igapó, apresentando grande diversidade de espécies, predominando árvores que fornecem o látex, a maniçoba, a maçaranduba etc.

A mata de igapó é a parte da floresta que se localiza em terrenos baixos, próximo dos rios, ocupando o solo permanentemente alagado, onde predomina a vitória régia, a piaçava etc.

Na Região Norte, localiza-se a Floresta Amazônica, a maior floresta tropical do mundo, o rio Amazonas, o maior rio do mundo em extensão, a Bacia Amazônica, a maior bacia hidrográfica do mundo e Pico da Neblina, o ponto mais alto do Brasil, com 2.993,78 metros de altitude.

O Pico da Neblina está situado no Parque Nacional do Pico da Neblina, na serra Imeri, no município de Santa Isabel do Rio Negro, no estado do Amazonas.

Saiba mais sobre o Clima da Região Norte.

Relevo

Na Região Norte predominam três áreas de relevo:

A planície amazônica que acompanha a grande bacia fluvial, com altitudes que variam de 100 a 200 metros acima do nível do mar.

A região de planaltos, entre 200 a 800 metros de altitude, em áreas de chapadas e serras, entre elas, a serra dos Carajás, serra Pelada, serra de Tumucumaque, a serra do Acarai e a serra do Cachimbo no estado do Pará; a serra Dourada, a chapada das Mangabeiras, no Tocantins e a chapada dos Parecis em Rondônia.

As regiões de maiores altitudes, acima de 800 metros, entre elas, a serra do Parima e do Pacaraima, no estado de Roraima, na fronteira com a Venezuela e a serra do Imeri, no estado do Amazonas, onde se localiza o Pico da Neblina e o Pico 31 de Março.

Hidrografia

A Região Norte do Brasil possui duas grandes bacias, a Bacia Amazônica e a Bacia do Tocantins. A Bacia Amazônica, a maior bacia hidrográfica do mundo, é formada pelo rio Amazonas e seus mais de mil afluentes.

Com 3.869,953 km de extensão, em território brasileiro, possui 22.000 km de rios navegáveis.

A Bacia do Tocantins, a maior bacia hidrográfica totalmente brasileira, é formada pelo rio Tocantins e seus afluentes. O rio Tocantins nasce no estado de Goiás, atravessa os estados de Tocantins, do Maranhão e do Pará, até desaguar no Golfo Amazônico, próximo à cidade de Belém.

Na época das cheias apresenta grande parte de seus rios navegáveis. A hidrelétrica de Tucuruí, localizada no estado do Pará, é a maior usina hidrelétrica totalmente brasileira.

Economia

A Região Norte começou a receber grande número de migrantes, por volta de 1870, que se embrenhavam pela floresta a procura da seringueira, para extração do látex, usado na fabricação da borracha.

Em 1910, metade da borracha consumida no mundo saía da Amazônia. O extrativismo do látex e da castanha-do-pará, atraiu imigrantes espanhóis, portugueses e franceses.

Estimulando o crescimento da região, foram construídos os portos de Belém e Manaus, além de outros em cidades menores.

o Acre foi comprado em negociações com a Bolívia; foram construídas ferrovias para escoar toda a produção extrativista; foram instaladas pequenas indústrias de bens de consumo; as cidades de Manaus e Belém se modernizaram, com a construção de teatros, bibliotecas públicas, palacetes, jardins públicos, energia elétrica, serviço de bonde etc.

A primeira reserva extrativista de seringueiros e castanheiros foi criada em 1990, em Xapuri, no estado do Acre, após o assassinato, em 1988, do seringueiro e líder sindical Chico Mendes.

A cidade de Marabá, no Pará, é o maior centro exportador de castanha-do-pará. A Brazil nut (nome da castanha no mercado internacional) é exportada para os Estados Unidos, Japão e países da Europa.

A Região Norte possui imensos recursos minerais. A cassiterita (da qual se extrai o alumínio) é explorada desde 1958 em Rondônia. Por volta de 1967, foram descobertas na Serra dos Carajás, no sudeste do Pará, grande jazidas de minério de ferro e de manganês, ouro, cassiterita, bauxita, níquel e cobre.

A bacia do rio Negro e Solimões é rica em petróleo e gás natural, com destaque para a província petrolífera de Urucu, a 600 quilômetros de Manaus. O complexo de produção se estende por mais de 70 poços.

A Região Norte do Brasil era pouco industrializada, até meados de 1960, quando a cidade de Manaus recebeu incentivos fiscais para a instalação de indústrias.

O Distrito Industrial foi planejado e recebeu várias empresas nacionais e estrangeiras, principalmente de origem japonesa (Sanyo, Sony, Toshiba, Yamaha, Honda etc.), além de empresas norte-americanas, alemães, francesas e outras, principalmente do setor de eletroeletrônicos, que se beneficiaram com as facilidades de importação de peças e componentes.

Com a criação daZona Franca de Manaus, outros setores da economia local e regional foram beneficiados, como o comércio, a prestação de serviços em geral, transportes urbanos, além do setor de turismo e hotelaria.

Cultura

A cultura da região Norte é muito rica, e fortemente influenciada pelos indígenas, europeus, africanos, bem como pelos migrantes.

Leia também: Estados do Brasil.