Rio Amazonas


O rio Amazonas, localizado na América do Sul, é o maior rio do mundo em volume de água e o maior rio do mundo em extensão, com 6.992,06 km.

O rio Amazonas tem sua origem na nascente do rio Apurimac, na encosta do Nevado Mismi, na Cordilheira dos Andes, no Peru, a 5.600 metros acima do nível do mar.

Resumo sobre o rio Amazonas

O rio Amazonas recebe vários nomes e diversos afluentes em seu curso no Peru, até receber o nome de Solimões, na fronteira do Brasil, no município de Tabatinga, no estado do Amazonas, onde segue seu curso até encontrar o rio Negro, próximo à cidade de Manaus, onde recebe o nome de Rio Amazonas.

Assim, o Rio Amazonas atravessa os estados do Amazonas e do Pará até chegar a sua foz, com 300 km de largura no grande Delta do Amazonas, entre os estados do Amapá e do Pará.

Rio AmazonasRio Amazonas

Ao entrar no território brasileiro, no município de Tabatinga (AM), o Rio Amazonas está a apenas 60 m de altitude e percorre quase 3.000 km numa região de planície, para desaguar no Atlântico.

Ao longo desse trecho ele apresenta uma inexpressiva queda de 20 mm por quilômetro. O leve desnível proporciona excelentes condições de navegabilidade, desde sua foz até a cidade de Manaus.

Afluentes do rio Amazonas

O rio Amazonas possui aproximadamente 1.100 afluentes que formam a maior bacia hidrográfica do mundo, com extensão de 7.008.370 km².

O rio Amazonas percorre territórios do Peru, Brasil, Colômbia, Bolívia, Equador, Guiana e Venezuela. No Brasil o rio se estende por 3.843.402 km² e banha os estados do Acre, Amazonas, Amapá, Rondônia, Roraima, Pará e Mato Grosso.

O rio Amazonas possui afluentes em ambos os lados de suas margens, e por estarem nos dois hemisférios (norte e sul) permitem a dupla captação de águas das cheias de verão.

Principais afluentes do Rio Amazonas na margem direita: Javari, Purus, Madeira, Tapajós, Xingu etc.

Principais afluentes do Rio Amazonas na margem esquerda: Iça, Japurá, Negro, Trombetas, Jari etc.

Cheias e secas do rio Amazonas

Todos os anos, com o degelo nos Andes e a estação de chuvas na região Amazônica, ocorre o fenômeno das cheias que atingem os municípios que estão nas margens dos rios Solimões, Amazonas, Tapajós, Negro, Juruá, Purus, Japurá, Madeira, entre outros.

Com a cheia de 2011, o rio Tapajós atingiu 7,48 metros e foi considerada a maior cheia dos últimos tempos. Já no período da estiagem, o fenômeno das secas também atingem a região; em 2010 ocorreu a maior seca dos últimos 100 anos.

Pororoca

A pororoca é o fenômeno caracterizado pelo encontro de um grande rio com o mar sendo que esse choque provoca um enorme barulho e gera grandes e violentas ondas causando forte destruição em ser percurso, modificando, assim, as margens dos rios e destruindo a vegetação ribeirinha.

Rio AmazonasPororoca

No rio Amazonas, a pororoca acorre na foz, no encontro com o oceano atlântico, normalmente nos meses de outubro. Durante o fenômeno, as ondas aproximam-se de três metros de altura, podendo chegar a uma velocidade de 50 km por hora.

Curiosidades sobre o rio Amazonas

  • O rio Amazonas atravessa uma das maiores florestas tropicais do mundo, a Floresta Amazônica. A flora da Amazônia apresenta grande variedade de espécies, sendo a maior biodiversidade do planeta, incluindo mais de 1,5 milhões de espécies vegetais catalogadas.
  • O rio Negro é o segundo maior rio do mundo em volume de água e o maior afluente da margem esquerda do Rio Amazonas. Suas águas escuras se encontram com as águas barrentas do rio Solimões próximo à cidade de Manaus, onde correm lado a lado, sem se misturarem ao longo de 6 km.