Contrarreforma

Juliana Bezerra

A Reforma Católica, antes chamada Contrarreforma, é um movimento católico que culminou em 1545 com o Concílio de Trento.

A reativação da Inquisição e o fortalecimento da Companhia de Jesus caracterizam esse acontecimento histórico.

Concílio de Trento

Entre 1545 e 1563, o Concílio se reuniu na cidade de Trento, na Itália.

ContrarreformaIlustração do Concílio de Trento de Autor não Identificado

Ante de mais nada, o que é um Concílio? É uma reunião dos bispos da Igreja Católica convocada pelo Papa quando surge uma questão grave sobre a fé.

O primeiro Concílio da história da Igreja foi o de Jerusalém e o último, o do Vaticano II, em 1965.

O objetivo desta reunião é justamente conciliar as diferentes visões sobre o tema proposto ou condená-lo por heresia. Por tradição, os Concílios recebem o nome da cidade onde foram realizados.

Desta maneira, o Concílio de Trento reunia representantes da Igreja Católica de toda a Europa. Tinha como alvo rever certas práticas da igreja como o comércio de cargos eclesiásticos e indulgências.

A Igreja Católica vinha sendo desacreditada e estava perdendo adeptos, especialmente na Inglaterra, na França e na Alemanha.

Martinho Lutero havia publicado as “95 teses”, texto preparado para uma discussão pública e que consistia numa crítica ao catolicismo.

Sua rápida divulgação, através da impressão e distribuição de exemplares por seus alunos, fez surgir outra vertente do Cristianismo, o Luteranismo, primeira doutrina do Protestantismo.

Leia também:

Reforma Católica ou Contrarreforma?

Havia muito tempo que vários membros da Igreja Católica pediam a revisão de certas práticas levadas pela Igreja. Por isso, o Concílio de Trento passou a ser conhecido historicamente como contrarreforma.

Atualmente, os historiadores interpretam este fenômeno como Reforma Católica. Afinal, o objetivo do Concílio de Trento não foi apenas dar uma resposta a Lutero e seus seguidores.

Assim, o papa Paulo III convocou o Concílio de Trento, que veio se tornar a mais longa assembleia religiosa da história.

Na ocasião foram discutidos vários problemas doutrinários, os quais visavam fortalecer o poder do papa e, consequentemente, da Igreja.

Resumo

Para alcançar êxito no propósito dessa reforma católica, um dos meios foi reativar o Tribunal do Santo Ofício, mais conhecido como a Inquisição, criada no século XII. Esse tribunal julgava os considerados hereges, muitos deles filósofos e cientistas.

Dentre as ferramentas usadas contra as práticas contrárias ao dogma católico estão:

  • a condenação de tortura e morte na fogueira aos considerados culpados;
  • a criação do Index Librorum Prohibitorum (Índice de Livros Proibidos).

O Índex, que consistia numa lista de livros proibidos considerados imorais pela Igreja, eram queimados e seus criadores perseguidos.

A reação da Igreja Católica ao avanço da reforma protestante deu-se, ainda, através da Companhia de Jesus, criada em 1534 por Inácio de Loyola.

Chamados de jesuítas, seus membros ficaram também conhecidos como “soldados de Cristo” e, por meio, do ensino e da catequese, divulgavam a fé católica.

Igualmente, reafirmou certos dogmas que foram rechaçados por Martinho Lutero como a presença real de Cristo na Eucaristia e a veneração aos santos, entre outros. Desta forma, se dava uma resposta à Reforma Protestante iniciada em 1517.

Leia mais sobre a Idade Moderna.

Juliana Bezerra
Juliana Bezerra
Bacharelada e Licenciada em História, pela PUC-RJ. Especialista em Relações Internacionais, pelo Unilasalle-RJ. Mestre em História da América Latina e União Europeia pela Universidade de Alcalá, Espanha.