Martinho Lutero

Juliana Bezerra

Quem foi Martinho Lutero?

Martinho Lutero foi um monge e teólogo, nascido em Eisleben, Alemanha, em 10 de novembro de 1483 e falecido em 18 de fevereiro de 1546, na mesma cidade. Foi o responsável pelo início do movimento da Reforma Protestante, no século XVI.

Lutero era crítico ao poder da Igreja Católica e ao comportamento equivocado por parte do clero. Além dele, outros teólogos e políticos criticaram as ações da Igreja como o rei Henrique VIII, Thomas Müntzer, João Calvino ou Felipe Melanchthon.

As ideias de Martinho Lutero se espalharam por vários territórios do Sacro Império-Germânico, Holanda, Países Escandinavos, Suíça, Reino Unido e parte da França.

Em 1525, casou-se com a ex-monja Katharina von Bora, com quem teve seis filhos, dos quais apenas um chegou à vida adulta.

Biografia

Filho dos camponeses Hans Luther e Margaret Ziegler, Martinho Lutero (em alemão, Martin Luther), recebeu uma educação rígida e centrada nos preceitos católicos. Como seu pai desejava que ele fosse advogado, entrou na Universidade de Erfur para estudar leis.

Martinho Lutero
Martinho Lutero, retratado por Lucas Cranach, em 1529

Apesar de ser um homem de fé, a vocação para a vida religiosa veio por acaso. Um dia, em 1505, ao voltar da casa de seus pais, uma grande tempestade o alcançou no meio do caminho e Lutero foi quase atingido por um raio. Com medo, faz uma promessa de que ele se tornaria monge se sobrevivesse à tempestade.

Assim, ingressa no Mosteiro de santo Agostinho, em Erfurt, em 1507. Ali continuaria seus estudos, matriculando-se na Universidade de Wittemberg, para cursar Teologia.

Depois de formado, lecionaria na mesma universidade. Naquela época, vários pensadores católicos discutiam sobre a necessidade de reformar a Igreja e o clero, e Lutero não era indiferente a estes debates.

Assim, numa das discussões promovidas pela faculdade, Lutero convoca seus alunos para debater 95 teses de sua autoria, nas quais criticava a riqueza excessiva da Igreja, a falta de preparo do clero e a venda indiscriminada das indulgências.

Para isso, ele prega este documento na porta da Igreja de Todos os Santos, em Wittemberg, em 31 de outubro de 1517.

Este evento foi considerado a fundação do movimento protestante. No entanto, é preciso esclarecer que ao fazer isso, Lutero apenas cumpria um dos requisitos para o debate acadêmico. Em hipótese nenhuma, o teólogo alemão já tinha intenção de fundar uma nova igreja.

Reforma Protestante

Os debates em Wittemberg prosseguem e Lutero consolida sua doutrina resumindo-a no princípio de “salvação pela fé”. Ele argumentava que o fiel poderia prescindir da Igreja para conseguir sua salvação.

Em 1520, o papa Leão X ditou uma bula condenando a maioria das afirmações das 95 Teses. Ao receber o documento, Lutero o queimou em público, agravando a situação.

Ao mesmo tempo, parte da nobreza alemã começou a apreciar as ideias de Lutero. Afinal, vários príncipes viam uma oportunidade de se apoderar das terras da Igreja e não precisar mais pagar impostos ao clero ou lutar nas guerras convocadas pelo Papa.

Um ano após a atitude do papa Leão X, o imperador Carlos V convocou uma assembleia dos príncipes do Saco Império Romano-Germânico, chamada "Dieta Imperial", celebrada na cidade de Worms.

Lutero foi convidado para se retratar, mas ele se negou. Desta maneira, foi considerado herege. Assim, após a Dieta de Worms, Lutero refugiou-se no castelo de Wartburg, onde iniciou a tradução da Bíblia.

Seguiram-se guerras religiosas entre os principados católicos e protestantes, que só terminariam em 1555, pela "Paz de Augsburgo". Este acordo determinava o princípio de que cada governante dentro do Sacro Império poderia escolher sua religião e a de seus súditos.

Como morreu Lutero?

Muitas pessoas acreditam que Lutero tenha sido assassinado por conta das perseguições. Na verdade, com o Edito de Worms, em 1521, o teólogo havia sido declarado fora da lei e qualquer pessoa poderia matá-lo sem sofrer consequências.

Mas o certo é que Lutero morreu muitos anos depois e embora não haja consenso de qual teria sido a causa, ele terminou seus dias em casa e assistido por médicos.

Faleceu em sua cidade natal, dia 18 de fevereiro de 1546, aos 63 anos de idade, vítima de derrame cerebral ou angina pulmonar.

O que é o Luteranismo?

A doutrina de Martinho Lutero ficou conhecida como Luteranismo. Embora rejeitasse o nome, seus seguidores passaram a ser identificados como "luteranos", porém o próprio Lutero preferia o termo "evangélico".

A ideia central desta doutrina religiosa é a “justificação pela fé”. Para Lutero, Deus não salvará o ser humano pelos seus atos e sim pela fé de cada em Jesus Cristo.

Desta maneira, a relação entre os fiéis e Deus é direta, sem a mediação da Igreja e esta somente seria encarregada de ensinar e orientar os fiéis.

Como consequência, Lutero só admite a Bíblia como fonte para a fé e rejeita a Tradição Oral usada pelos católicos. Em 1580, porém, os luteranos definem outros escritos que podem ser usados para aprofundar a crença como o "Credo de Niceia" e o "A Confissão de Augsburgo".

Lutero também propôs a simplificação da liturgia. As igrejas luteranas têm poucos ornamentos e os hinos são feitos a partir de melodias fáceis para que toda assembleia possa acompanhar. O próprio Lutero, que tocava alaúde, compôs vários cantos religiosos.

Lutero só reconheceu dois sacramentos: o batismo e a ceia. Quanto ao clero, instituiu que o ministro da palavra, seria o responsável pela instrução da congregação, mas sem estar acima da comunidade. Os pastores luteranos poderiam casar e constituir família.

As igrejas luteranas não possuem uma liderança mundial e organizam-se de maneira nacional e local. No entanto, várias denominações luteranas se congregam em torno à Federação Luterana Mundial e ao Concílio Luterano Internacional.

Temos mais textos sobre o assunto para você:

Juliana Bezerra
Juliana Bezerra
Bacharelada e Licenciada em História, pela PUC-RJ. Especialista em Relações Internacionais, pelo Unilasalle-RJ. Mestre em História da América Latina e União Europeia pela Universidade de Alcalá, Espanha.