Anglicanismo


Anglicanismo é uma doutrina protestante, vertente do Cristianismo, propulsionada pelo rei Henrique VIII, que surgiu na Inglaterra em 1534.

A Reforma

Por ocasião da Reforma Protestante - movimento que rompia as relações com a Igreja Católica - foram surgindo doutrinas que se distinguiam pelo fato de assumirem características conforme os seus precursores.

Assim, a primeira doutrina protestante surge na Alemanha, em 1517, e é conhecida como Luteranismo, uma vez que seu precursor foi Martinho Lutero.

Lutero, que era um monge católico, discordava de certas práticas e ia contra, especialmente, ao pagamento das indulgências em desagravo dos pecados cometidos pelas pessoas.

Assim, com o objetivo de “reformar” a igreja, e não de dividi-la, Martinho Lutero contestou alguns pontos da doutrina cristã e o tornou público ao pregar na porta da igreja de Wittemberg, na Alemanha.

Esse manifesto conhecido como 95 teses propiciou a divisão da igreja ao mesmo tempo em que o então papa Leão X excomungava Lutero.

Na sua sequência surgiu na França o Calvinismo, de João Calvino. Em 1533 Calvino converteu-se ao Protestantismo e tornou-se um defensor da doutrina, tendo sido perseguido na altura da Inquisição.

Finalmente, surge o Anglicanismo, de encontro às anteriores doutrinas, esta surgia como uma nítida expressão da supremacia do rei Henrique VIII.

Leia também: Reforma Protestante.

Como Surgiu?

O rei Henrique VIII era casado com Catarina de Aragão, mas pelo fato de a sua descendência ser comprometida em decorrência de entre os filhos que tiveram apenas uma única filha sobreviver, o rei não tinha um descendente que assumisse o trono em seu lugar.

Deste modo, o rei pretendia se divorciar para se casar novamente. Porém, o pedido de anulação de seu casamento não foi aceito pelo papa Clemente VII.

Logo, no ano de 1534, o rei obrigou - através do chamado Ato de Supremacia - que fosse criada a igreja anglicana, com a qual sobrepunha o poder do Estado sob o poder da Igreja.

Além de deixar de estar sob a autoridade o papa, garantindo, assim, a ampliação do poder da monarquia, o Estado expropriava inúmeras terras pertencentes à Igreja.

Nesse momento, a igreja na Inglaterra deixa de ser católica romana e passa a ser católica reformada.

Anglicanismo e Catolicismo

As crenças, doutrinas e dogmas da Igreja Anglicana assemelham-se às católicas.

Dentre as principais semelhanças destacamos os fatos de os anglicanos acreditarem na palavra contida na Escritura Sagrada, bem como de praticarem os sacramentos do Batismo e da Eucaristia.

No que respeita às diferenças, destaca-se a questão das imagens, que não são aceites pelos anglicanos, bem como o não reconhecimento da autoridade papal.

Leia também sobre o Catolicismo.

Luteranismo e Calvinismo

As principais diferenças entre as doutrinas protestantes concentram-se especialmente na forma como a salvação é alcançada pelos homens.

Os luteranos acreditam que a salvação é obtida em decorrência das nossas atitudes e pela fé.

Os Calvinistas, por sua vez, pregam a Doutrina da Predestinação - crença de que o destino de cada um já estaria traçado por Deus.

Saiba mais sobre esses temas em: Luteranismo e Calvinismo.

No Brasil e no Mundo

Inicialmente o anglicanismo foi difundido pelos países que eram colônias inglesas, mas sua propagação foi tão alargada que atualmente a igreja anglicana ocupa o terceiro lugar em número de seguidores cristãos em todo o mundo. Com cerca de 80 milhões de fieis, ela está atrás da Igreja Católica Apostólica Romana e da Igreja Ortodoxa.

No caso do Brasil, o Tratado de Comércio e Navegação entre Portugal e Inglaterra foi o responsável pela sua difusão em nosso país, onde a igreja anglicana existe legalmente desde 2009.

Leia mais: