Fome no Mundo


A fome é a realidade de 805 milhões de pessoas no mundo que, pela privação de alimentos, estão em estado de subnutrição. O Brasil saiu do Mapa da Fome em 2014. Os especialistas que tratam do assunto, denominam a situação de fome como "segurança ou insegurança alimentar".

O órgão responsável pelo monitoramento da oferta adequada de alimentos à população é a ONU (Organização das Nações Unidas) e seus órgãos acessórios, a FAO (Organização para a Alimentação e Agricultura), o FIDA (Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola) e o PMA (Programa Mundial de Alimentos).

Pela definição da ONU, "a segurança alimentar só existe quando todas as pessoas, em todos os momentos, têm acesso físico, social e econômico a uma alimentação suficiente, segura e nutritiva que satisfaça as suas necessidades dietéticas e preferências alimentares par uma vida ativa e saudável".

O monitoramento anual das entidades aponta que a situação mais grave em relação à oferta de alimentos atendendo às definições da ONU é registrada na África Subsaariana, onde uma a cada quatro pessoas está cronicamente desnutrida.

A fome é, também, a realidade de 526 milhões de asiáticos, e atinge 37 milhões de pessoas na América Latina e no Caribe. A pobreza que impõe a fome é observada em 63 países em que seus governantes firmaram compromissos políticos para melhorar a situação da população, onde a renda per capita (por pessoa) não ultrapassa R$ 2,36 por dia.

Saiba mais sobre a Desnutrição.

Países em Situação Mais Grave

Os países africanos, assolados pela guerras civis e explorações estão entre os que menos evoluem no combate à fome, segundo os dados anuais da ONU.

Hoje, a situação é considerada grave em Botswana, Costa do Marfim, Madagáscar, Malawi, Namíbia, Uganda, República Unida da Tanzânia e Zâmbia.

Na Ásia, as piores condições de acesso a alimentos são encontradas na República Democrática da Coreia, no Iraque e Tajiquistão. El Salvador e Guatemala são os países latino-americanos de pior situação em relação à oferta de alimentos à população.

Saiba mais sobre a Fome na África.

O Combate à Fome no Brasil

O Brasil saiu do Mapa a Fome elaborado pela FAO em 2014. A entidade apontou que no período de 2002 a 2013, o Brasil implantou programas para aumentar e melhorar a oferta de alimentos à população.

Entre os pontos está a inserção em 2010 do princípio Constitucional de que "todo ser humano tem direito à alimentação adequada" na ocasião do lançamento do Programa Fome Zero.

Segundo a FAO, outros programas considerados fundamentais para a saída do Brasil do Mapa da Fome são o Bolsa Família - para distribuição de renda - e o PAF (Programa de Fortalecimento da Agricultura Familiar).

Além da geração de renda e fomento à agricultura, houve aumento na oferta da merenda escolar, redução do analfabetismo e a criação de meios para subsidiar a educação, como o Fies (Fundo de Investimento no Ensino Superior).

Saiba mais: