Geocentrismo

Rosimar Gouveia

O Geocentrismo é uma teoria astronômica que considera a Terra fixa no centro do Universo, com todos os outros corpos celestes orbitando ao seu redor.

Na antiguidade, os filósofos buscavam explicações para os movimentos dos astros que observavam e criavam modelos que descrevessem esses movimentos.

Dentre eles, destacam-se Aristóteles, Aristarco, Eudoxo, Hiparco, entre outros. Contudo, os modelos eram extremamente complexos e muitas vezes não explicavam alguns fatos observados.

O astrônomo grego Cláudio Ptolomeu, no século II d.C., concebeu um modelo geocêntrico mais simples e eficiente para explicar o movimento dos corpos celestes.

Modelo geocêntrico
Modelo Ptolomaico

A teoria do geocentrismo foi apresentada por volta do ano 150, quando Ptolomeu publicou “A Grande Síntese” (também conhecida como Almagesto).

A obra apresentava o modelo cosmológico que explicava o movimento dos corpos celestes em torno da Terra.

No modelo de Ptolomeu os planetas moviam-se em círculos. Esses círculos giravam em torno da Terra, na seguinte ordem: Lua , Mercúrio, Vênus, Sol, Marte, Júpiter, Saturno.

Este modelo foi o mais aceito desde a Antiguidade até a Idade Média.

Geocentrismo e Heliocentrismo

Como o modelo de Ptolomeu previa de forma relativamente correta a posição dos planetas e se ajustava perfeitamente aos dogmas religiosos da época, este sistema foi aceito por mais de 13 séculos.

Contudo, com o surgimento de instrumentos astronômicos mais precisos, foi necessário fazer modificações para tornar o modelo mais adequado às observações. Desta forma, o modelo foi se tornando cada vez mais complicado.

No século XVI, Nicolau Copérnico propôs um modelo mais simples em substituição ao modelo Ptolomaico. O sistema de Copérnico considerava o Sol em repouso e os planetas girando ao seu redor, em órbitas circulares.

Inicialmente, o modelo heliocêntrico de Copérnico sofreu muita oposição, principalmente por contrapor os ensinamentos religiosos da época.

Contudo, com as contribuições de Galileu Galilei, Johannes Kepler, dentre outros, a teoria geocêntrica foi sendo substituída pela teoria heliocêntrica.

Geocentrismo e a Igreja Católica

O modelo do geocentrismo era aceito pela Igreja Católica porque coincidia com os textos bíblicos que colocavam o homem como figura central da criação divina.

Estando o homem na Terra, permanecia na posição de imagem e semelhança de Deus, portanto, no centro do universo.

Já a obra de Copérnico foi condenada pela Santa Inquisição. A Igreja condenava à morte os opositores a suas doutrinas.

Foi o que ocorreu com Giordano Bruno, morto na fogueira ao apoiar o modelo do heliocentrismo.

Um dos mais importantes estudiosos da astronomia, Galileu Galilei também comprovou o heliocentrismo com base em observações. Porém, foi obrigado a retratar-se perante a Igreja para não ser condenado à morte.

Para saber mais, leia também:

Rosimar Gouveia
Rosimar Gouveia
Bacharelada em Meteorologia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) em 1992, Licenciada em Matemática pela Universidade Federal Fluminense (UFF)em 2006 e Pós-Graduada em Ensino de Física pela Universidade Cruzeiro do Sul em 2011.