Giordano Bruno


Giordano Bruno (1548-1600) foi um filósofo, matemático, teólogo e religioso italiano.

Defendia a teoria heliocêntrica, afirmava a existência de outros mundos e ainda questionava a natureza divina de Jesus Cristo.

Biografia

Giordano Bruno
Giordano Bruno

Giordano Bruno nasceu em 1548, na cidade de Nola, localizada na Itália. Era filho único dos nobres Giovanni Bruno e Fraulissa Savolino, que o batizaram como Filippo Bruno.

A família considerou que tinha vocação religiosa e, por isso, foi encaminhado a um convento na cidade de Nápoles. Bruno tinha 13 anos e passou a estudar Humanidades, Lógica e Dialética. Aos 17 anos, mudou o nome para Giordano por ocasião da celebração onde recebeu o hábito dominicano.

Foi ordenado sacerdote em 1572, e terminou em 1575 os estudos em teologia. Por manifestar ideias diferentes do senso comum, foi acusado de heresia e forçado a deixar Nápoles em 1576.

No mesmo ano, Giordano Bruno deixa a batina e em Genebra se aproxima do Calvinismo. Nesta cidade se envolveria em polêmicas, acusado de heresia e expulso.

A partir de 1582, passa a ensinar em Paris e nesta mesma época um dos seus primeiros trabalhos foi publicado: De Umbris Idearum.

A produção literária de Giordano Bruno volta-se para a teoria do heliocentrismo no período de 1583 e 1585, na Inglaterra. Suas ideias, que corroboram com as de Nicolau Copérnico (1473 - 1543) são publicadas, como De l’infinito universo e mondi.

Como o ambiente inglês não lhe era mais favorável - a embaixada da França havia sido atacada por sua causa - Giordano Bruno se dirige a Paris e mais tarde, tenta ensinar nas universidades alemãs.

Na Alemanha, consegue ensinar a filosofia de Aristóteles por dois anos e, posteriormente, obtém um posto de professor na cidade de Helmstedt, onde seria excomungado pelos seguidores do luteranismo.

Em 1591, Bruno vai viver em Frankfurt, onde compõe poemas e aprofunda nos estudos de mnemônica, uma técnica de memorização. Convidado pelo nobre Giovanni Mocenigo, vai a Veneza para demonstrar a mnemônica.

Mocenigo, impressionado com a desenvoltura de Bruno, acredita que o processo de memorização é magia e o denuncia à Santa Inquisição. Ele é preso e julgado em Veneza. Contudo, foi transferido e novamente julgado em Roma, mas a sentença final só foi anunciada sete anos mais tarde.

Para alguns historiadores, Bruno caiu em uma armadilha montada pela Igreja com auxílio do nobre.

A Inquisição exigiu a retratação integral de suas teorias. Giordano Bruno defendia que o Universo era infinito e estava inacabado. Ou seja, não era a obra perfeita e concluída por Deus, como postulado pela Igreja Católica.

O filósofo também colocava Jesus Cristo como um mágico dotado de grandes habilidades e não parte integrante da pessoa de Deus, juntamente com o Espírito Santo.

Questionado pelos inquisidores, Giordano Bruno destacou que suas ideias eram filosóficas e não religiosas. O argumento não foi aceito.

Em 1599, a Igreja Católica exige a retratação de Bruno que, se o fizesse, estaria livre da pena de morte. Ele não aceitou negar seu pensamento e, pela sentença proferida pelo Papa Clemente VIII (1592-1605) seria queimado vivo.

Durante oito dias antes da execução da sentença, vários padres tentaram, sem sucesso, convencê-lo de renegar seu pensamento.

Giordano Bruno foi morto em 17 de fevereiro em 1600, em Roma.

Filosofia

A filosofia de Bruno reinterpreta o neoplatonismo e de Nicolau de Cusa.

Para ele, a realidade natural (seres materiais) e a alma cósmica (Deus, seres espirituais) são a mesma coisa. A mente de Deus estaria em todas as criaturas. O que os distinguiria seria a forma que elas apresentam.

Esta união entre a natureza e Deus nos faz pensar sobre a questão da finitude do universo. Este não poderia estar pronto e terminado, porque o próprio Deus é infinito.

Esta filosofia vai exatamente contra ao pregado pelo Cristianismo em geral que faz a distinção entre a matéria e o espírito.

Pluralismo Cósmico

Estabelece, em particular, a ideia da pluralidade dos mundos numa época em que os estudos indicavam o universo como uma esfera em torno do sol, constituindo assim, um mundo fechado.

Giordano Bruno defende que cada uma das estrelas teria um planeta que giraria em torno dela. Assim, a Terra não estaria sozinha no universo.

Igualmente, o universo estaria preenchido de alguma substância que poderia ser o ar ou o espírito que sempre estaria em movimento. Deste modo, ele rejeita categoricamente a ideia de um universo estático e hierarquizado.

Frases

  • "O mundo é infinito porque Deus é infinito. Como acreditar que Deus , ser infinito, possa ter se limitado a si mesmo criando um mundo fechado e limitado?"
  • "Não é fora de nós que devemos procurar a divindade, pois que ela está do nosso lado, ou melhor, em nosso foro interior, mais intimamente em nós do que estamos em nós mesmos."
  • "Se eu manejasse um arado, pastoreasse um rebanho, cultivasse uma horta, remendasse uma veste, ninguém me daria atenção, poucos me observariam, raras pessoas me censurariam e eu poderia facilmente agradar a todos. Mas, por ser eu delineador do campo da natureza, por estar preocupado com o alimento da alma, interessado pela cultura do espírito e dedicado à atividade do intelecto, eis que os visados me ameaçam, os observados me assaltam, os atingidos me mordem, os desmascarados me devoram. E não é só um, não são poucos, são muitos, são quase todos."

Principais Obras

  • A sombra das ideias (1582)
  • A causa, o Princípio e o Uno (1584)
  • Acerca do Infinito Universo e Mundos (1584)
  • Expulsão da besta triunfante (1584)
  • Os heroicos furores (1585)
  • Sobre o Tríplice Mínimo e a Tríplice Medida (1591)
  • A Mônada, o Número e a Figura (1591)
  • Sobre o inumerável, imenso e não configurável (1591)

Curiosidades

  • No Campo de Fiori, onde ocorreu a execução da pena, foi erguido um monumento em homenagem a Giordano Bruno. O projeto foi concluído em 1889 e a execução da obra ficou sob a responsabilidade do escultor Ettore Ferrari (1845 - 1929).
  • A vida de Giordano Bruno foi transformada em filme em 1973 e dirigida pelo italiano Giuliano Montaldo.
  • Em 2017, o desaparecimento de um rapaz no estado do Acre, comoveu a sociedade brasileira. Deixando vários escritos sobre a vida extraterrestre, o menino era um grande admirador das obras de Giordano Bruno.

Leia mais:

Heliocentrismo
Geocentrismo