Gustav Klimt


Gustav Klimt (1862-1918) foi um pintor e desenhista austríaco simbolista e um dos grandes nomes da art nouveau.

Foi precursor do movimento vienense moderno, denominado “Movimento da Secessão de Viena”. Nele, diversos artistas se reuniram em oposição ao classicismo e ao academicismo e se aliaram ao movimento simbolista nas artes.

Klimt foi um artista extravagante e singular de destaque sendo sua obra mais conhecida “O Beijo” (1908).

Biografia

Gustav Klimt

Gustav Klimt nasceu na cidade de Baumgarten, Viena, no dia 14 de julho de 1862. Filho do ourives Ernest Klimt e da cantora Anna Flinster Klimt, nasceu no seio de uma família pobre e desde a juventude Klimt esteve próximo das artes.

Foi estudante da "Escola de Artes e Ofícios de Viena". Esse momento marcou o início de sua carreira como desenhista, pois começa a produzir retratos para vender.

Além disso, auxiliou seu professor na produção de murais, e em pouco tempo, já estava recebendo propostas de trabalho. Com 18 anos, ele e o irmão abriram um ateliê de decoração, onde receberam diversas encomendas.

Seu trabalho começa a ganhar notoriedade por se diferenciar de outros da época.

Nesse momento, Klimt se reúne com outros artistas empenhados em deixar de lado o academicismo e conservadorismo das artes. Assim, em 1890 foi um dos fundadores da “Associação Austríaca de Artistas Figurativos”.

Seu estilo peculiar e extremamente decorativo foi essencial para que recebesse encomendas para realizar suas pinturas em prédios públicos como murais, painéis, tetos, etc.

Como exemplo, podemos citar a Universidade de Viena, o Teatro Municipal e o Museu Histórico da Arte.

Em 1900 recebeu o "Grande Prêmio na Feira Mundial de Paris". Em 1907 liderou o "Movimento da Secessão de Viena", momento em que aderiu ao simbolismo com foco na Art Nouveau.

Esse grupo foi responsável pela edição do jornal “Ver Sacrum”, onde Klimt apresentou alguns de seus trabalhos como desenhista e ilustrador.

Nesse período, o artista pintou diversos retratos principalmente de mulheres seminuas, em poses obscenas e sensuais. Por isso, recebeu muitas críticas da sociedade vienense da época.

Participou da Bienal de Viena em 1910 e recebeu o prêmio na Exposição Internacional de Roma em 1911. Em 1917, Klimt foi eleito membro honorário da Academia de Arte de Viena.

Morte

Gustav Klimt faleceu em Viena, dia 6 de fevereiro de 1918 vítima de um acidente vascular cerebral (AVC). Seu corpo foi sepultado no Cemitério de Hietzing (Viena). Portanto, em 2018 comemora-se o centenário de sua morte.

Características das obras

A obra de Klimt é dividida em duas grandes fases: a Fase Histórico-Realista e a Fase Dourada.

A primeira, como o próprio nome indica, inclui obras de caráter mais histórico. Já a segunda fase, reúne obras de cunho mais decorativo, com a produção de retratos e o uso excessivo da cor dourada.

Nesse segundo momento, a qual ele teve maior destaque, suas obras estiveram carregadas de sensualismo e erotismo, onde a figura feminina foi a mais explorada.

Por esse motivo, foi muitas vezes criticado pelos setores mais tradicionais da sociedade da época.

Com forte estilo decorativo e uso de formas geométricas, ele produziu retratos de mulheres seminuas e paisagens, repleto de detalhes, como flores e adornos.

Além disso, uma característica marcante de suas obras foi o uso do dourado e do prateado, o qual se aproximou da arte bizantina.

Principais Obras

Judith I (1902-1907)

Judith I

O friso de Beethoven (1902)

O friso de Beethoven

Retrato de Adele Bloch-Bauer (1907)

Retrato de Adele Bloch-Bauer

O Beijo (1907-08)

O beijo

Danaë (1907-08)

Danae

Esperança II (1907-08)

Esperança II

Árvore da Vida (1909)

Árvore da Vida

O Chapéu de Plumas Negras (1910)

O chapéu de plumas negras

A Virgem (1913)

A virgem

A Vida e a Morte (1916)

a vida e a morte

Curiosidades

  • Emilie Flöge foi sua amante durante anos e supostamente seria a figura retratada na obra “O Beijo”.
  • Klimt usou ouro de verdade para a produção de algumas obras do período dourado.
  • Alguns estudiosos do artista afirmam que Klimt teve 14 filhos.
  • Grande parte de sua obra está reunida no Museu Belvedere em Viena, Áustria. O local recebe cerca de 2 mil visitantes por ano.

Leia mais sobre a Arte Moderna.