Hidrovias


As Hidrovias são os locais navegáveis que ocorrem o transporte aquático ou aquaviário realizado por embarcações (barcos, navios, barcas) que, por sua vez, podem ser: Marítimas (mares), Fluviais (rios) e Lacustres (lagos). O termo Hidrovias é a união dos termos “hidro” referente à água, e “vias” referente a rota, caminho, ou seja, são "vias navegáveis".

HidroviasHidrovia utilizada para transporte de carga no rio Mekong, Vietnã

As Hidrovias fazem parte da história das civilizações antigas, que já utilizavam rotas pelos rios e mares para deslocar cargas ou pessoas. No início, o transporte era feito em grandes troncos de árvores, até que surgiram as primeiras embarcações. Atualmente, com o avanço da cartografia e da tecnologia, surgiram muitos tipos de embarcações, os quais atravessam rios e mares, desde navios, transatlânticos, barcos, dentre outros.

Vantagens e Desvantagens

O transporte aquático é vantajoso na medida em que transportam grandes quantidades de cargas a longas distâncias, sendo um transporte muito utilizado para comércio interno e externo, bem como para o turismo (viagens de barco, cruzeiros, etc.) e transporte de pessoas (barcos, bascas, navios). Além disso, é considerado o transporte de menor impacto ambiental, visto que em relação aos outros, apresenta baixos índices de poluição.

Em relação a outros meios, os transportes feitos pelas hidrovias são mais demorados que outras modalidades de transporte (rodoviário, ferroviário, aéreo), posto que muitas vezes dependem das condições climáticas (maritimidade, ventos, etc.), no entanto, seu custo de implementação, transporte e manutenção é muito inferior aos outros, o que faz com que seja um transporte muito utilizado até os dias atuais.

Hidrovias no Brasil

A despeito de o Brasil possuir cerca de 4 mil quilômetros de costa atlântica navegável (com uma costa litorânea total de aproximadamente 7 mil quilômetros) e reunir as maiores bacias hidrográficas do mundo, o potencial do transporte hidroviário no país ainda é pequeno, na medida em que não há muito investimento na área, tal qual ocorre com o transporte rodoviário.

No caso do Brasil, as construções das hidrovias no país iniciaram a partir da década de 80, sendo que a concentração das hidrovias mais utilizadas está na região sudeste e sul do país, por exemplo nos trechos das hidrovias Tietê-Paraná e Taguari-Guaíba.

Note que a grande parte dos rios do Brasil apresentam dificuldade de navegação (Rio Grande, Tietê, Paraná, São Francisco, etc.), por serem rios de planaltos, e os rios de planícies, por exemplo, o rio Paraná e o rio Amazonas estão longe dos maiores centros industriais.

Outro fator, é que as hidrovias do Brasil não desembocam no oceano, o que encarece o custo do transporte, uma vez que a carga passa por outros portos antes, demorando para chegar ao destino final.

Para além disso, muitos deles vêm sofrendo com as alterações climáticas nos últimos anos, como é o caso do Rio São Francisco (Velho Chico), um dos mais importantes rios do país que atravessa 5 estados do país, posto que nas últimas décadas tem apresentado grande redução do volume de água. Estudos recentes apontam que num período de 40 anos, o volume total de água do rio chegou a 35%, o que já apresenta em alguns pontos, dificuldade de navegação.

Para saber mais: Bacia Hidrográfica, Rios do Brasil e Hidrografia do Brasil

Principais Hidrovias do Brasil

As 6 principais hidrovias do Brasil são:

  • Hidrovia Tocantins-Araguaia
  • Hidrovia Solimões-Amazonas
  • Hidrovia São Francisco
  • Hidrovia da Madeira
  • Hidrovia Tietê-Paraná
  • Hidrovia Taguari-Guaíba