Transporte Ferroviário


O Transporte Ferroviário é aquele realizado por veículos que percorrem linhas de ferro, composta por carris, por exemplo os trens. Eles são indicados para transportar cargas pesadas (minérios, produtos agrícolas, siderúrgicos, alimentares) e pessoas a médias e longas distâncias, sendo um transporte pouco utilizado do Brasil.

Transporte FerroviárioTrem de Carga

História

Interessante notar que o transporte ferroviário já era utilizado nas civilizações antigas, tal qual os gregos que construíram vias férreas primitivas para o transporte de cargas. Na Idade Média, as ferrovias começaram a adquirir espaço, no entanto, foi somente com a Revolução Industrial Inglesa (máquinas e locomotivas ao vapor) no século XVIII e a necessidade de transportar cargas maiores, que as linhas de ferro se desenvolveram, sendo considerado um dos transportes mais inovadores e utilizados na época.

A partir disso, o crescimento ferroviário se alastrou pelo mundo, sendo que atualmente todos os continentes possuem vias férreas. No entanto, desvantagens como a lentidão do transporte (em relação ao transporte aéreo e rodoviário) levou à diminuição desse tipo de transporte, embora já existam trens de alta velocidade movidos a eletricidade, os quais atingem 320 km/h aproximadamente, tal qual os TGV (em francês “Train à Grande Vitesse).

No Brasil, o predomínio entre os transportes terrestres, é sem dúvida, o rodoviário. Na Europa, o transporte ferroviário é um meio muito comum e utilizado para o transporte de pessoas e de cargas, com destaque para a Alemanha, França e Holanda, que possuem as maiores linhas ferroviárias do continente europeu.

Dentre os países do mundo que possuem as maiores vias férreas estão a Rússia (com cerca de 87 mil quilômetros), seguido da China (cerca de 70 mil quilômetros) e da Índia (cerca de 60 mil quilômetros).

Vantagens e Desvantagens

Embora os investimentos para a construção e implementação das linhas férreas sejam altos, os transportes ferroviários são mais seguros, de baixo impacto ambiental e possuem um custo operacional e de manutenção baixos, em relação à quantidade de carga que eles transportam. Nesse sentido, é um transporte vantajoso pois possui maior capacidade de carga (em relação aos transportes rodoviários e aéreos), além de percorrer grandes distâncias com baixo consumo de energia.

A despeito de não haver problemas de congestionamentos (como ocorre no transporte rodoviário, por exemplo), há transportes ferroviários lentos, o que leva a maior utilização de outros que sejam mais rápidos. Ademais, os transportes ferroviários apresentam baixa flexibilidade pela rigidez dos horários bem como das limitações das extensões da malha férrea, ou seja, não tem possibilidade de percorrer outros caminhos.

Transporte Ferroviário no Brasil

Concentrada nas regiões sul e sudeste, sobretudo para o transporte de cargas, a primeira ferrovia do Brasil, foi inaugurada em 1854. A Estrada de Ferro Mauá, tinha cerca de 16 km de extensão e ligava os portos das cidades cariocas de Mauá e Fragoso e atualmente o trecho entre Piabetá e Vila Inhomirim está ativo. Por conseguinte, no século XIX, outras Companhias Ferroviárias foram inauguradas em diversos estados do país, a saber:

  • Estrada de Ferro Recife ao São Francisco: inaugurada em 1858 no estado do Pernambuco, possuía extensão aproximada de 30 km
  • Estrada de Ferro Bahia São Francisco: primeira ferrovia do estado da Bahia, inaugurada em 1860 com extensão aproximada de 120 km
  • São Paulo Railway: primeira ferrovia do estado de São Paulo, inaugurada em 1867, ligava o planalto paulista ao litoral
  • Estrada de Ferro de Baturité: primeira ferrovia do estado do Ceará, inaugurada em 1873, ligava o centro de Fortaleza ao bairro de Parangaba
  • Estrada de Ferro Leopoldina: primeira ferrovia do estado de Minas Gerais, inaugurada em 1874, ligava os estados de Minas, Rio de Janeiro e Espírito Santo
  • Estrada de Ferro Campos a Carangola: inaugurada em 1879, no estado do Espírito Santo

Esse momento do desenvolvimento ferroviário ficou conhecido como a “Era das Ferrovias” que durou de 1870 a 1920. Diante de tanta expansão nas malhas de ferro do país (com total aproximado de 30 mil quilômetros de extensão), seria estranho pensar que nos dias de hoje, o meio de transporte ferroviário é o menos utilizado no país. A década de 50 foi o início desse declínio, com a estatização de muitas companhias ferroviárias bem como a expansão das rodovias (transporte rodoviário).