Jean-Paul Sartre


Jean-Paul Sartre foi um filósofo e crítico francês. É considerado um dos maiores pensadores do século XX e representantes da filosofia existencialista, ao lado dos filósofos Albert Camus e Simone de Beauvoir.

A corrente existencialista é pautada na liberdade do ser humano e de acordo com Sartre: “Estamos condenados a ser livres.

Biografia

Jean-Paul Sartre

Jean-Paul Charles Aymard Sartre nasceu em Paris, dia 21 de Junho de 1905. Era filho de Jean-Baptiste Marie Eymard Sartre e de Anne-Marie Schweitzer.

Ficou órfão de pai muito cedo, quando tinha apenas um ano de vida. Diante disso, mudou-se com sua mãe para a cidade de Meudon, próximo à capital, onde passaram a viver na casa de seus avós maternos.

Desde cedo, Sartre lia muitos clássicos e se interessava pelas artes, especialmente o cinema, o que mais tarde, o levaria a escrever peças de teatro e novelas.

Com apenas 10 anos, ganhou sua primeira máquina de escrever e ingressou no Liceu Henri VI de Paris.

(...) por ter descoberto o mundo através da linguagem, tomei durante muito tempo a linguagem pelo mundo. Existir era possuir uma marca registrada, alguma porta nas tábuas infinitas do Verbo; escrever era gravar nela seres novos foi a minha mais tenaz ilusão, colher as coisas vivas nas armadilhas das frases.

Com 19 anos, ingressa no curso de Filosofia da “Escola Normal Superior”, onde conheceu Simone de Beauvoir, sua parceira intelectual e amante por toda a vida.

Graduou-se em 1928, trabalhou como professor e, com isso, decidiu aprofundar seus conhecimentos na filosofia existencialista para assim, criar sua própria teoria.

Logo, ganhou uma bolsa de estudos e foi estudar no Instituto Francês em Berlim. Nesse momento, dedica-se aos estudos da fenomenologia e existencialismo dos filósofos: Edmund Husserl (1859-1938), Martin Heidegger (1889-1976), Karl Jaspers (1883-1969), Max Scheller (1874-1928) e Soren Kierkegaard (1813-1855).

Participou da segunda guerra mundial, como meteorologista. Ficou preso nos campos de concentração de Trier e, por motivo de doença foi liberado.

Por conseguinte, fundou o grupo “Socialismo e Liberdade”. Espírito inquieto, Sartre foi um intelectual engajado, filiou-se ao partido comunista Francês, donde participou de muito movimentos sociais, tal qual o movimento estudantil de 1968.

Em 1945, junto aos intelectuais, Simone de Beauvoir (1908-1986), Merleau-Ponty (1908-1961) e Raymnond Aron (1905-1983), fundou a revista de filosofia “Os Tempos Modernos.”

Um fato curioso de sua vida é que Sartre se recusou a receber o Prêmio Nobel de Literatura, em 1964:

Nela invoquei duas espécies de razões; razões pessoais e razões objetivas. As razões pessoais são as seguintes: minha negativa não é um ato improvisado. Sempre recusei as distinções oficiais.

Faleceu em sua cidade natal, dia 15 de Abril de 1980, com 75 anos.

Principais Ideias e Obras

Sartre foi um ávido leitor e escritor. Produziu textos filosóficos, romances, novelas, contos e ensaios.

Sua obra mais destacada intitula-se “O Ser e o Nada: ensaio de ontologia fenomenológica”, publicada em 1943

Esse tratado filosófico aborda sobre a filosofia de Heidegger e alguns pensamentos sobre a liberdade humana. No entanto, foi essencial para configurar sua própria teoria sobre o existencialismo.

De acordo com Sartre, o ser humano existe como uma coisa e uma consciência (mente).

Em 1938, publicou a novela “Náusea”, seu primeiro sucesso literário:

Os homens. É preciso amar os homens. Os homens são admiráveis. Sinto vontade de vomitar – e de repente aqui está ela: a Náusea. Então é isso a Náusea: essa evidência ofuscante? Existo – o mundo existe -, e sei que o mundo existe. Isso é tudo. Mas tanto faz para mim. É estranho que tudo me seja tão indiferente: isso me assusta. Gostaria tanto de me abandonar, de deixar de ter consciência de minha existência, de dormir. Mas não posso, sufoco: a existência penetra em mim por todos os lados, pelos olhos, pelo nariz, pela boca… E subitamente, de repente, o véu se rasga: compreendi, vi. A Náusea não me abandonou, e não creio que me abandone tão cedo; mas já não estou submetido a ela, já não se trata de uma doença, nem de um acesso passageiro: a Náusea sou eu.”

Outras obras que se destacam:

  • O Muro (1939)
  • A Idade da razão (1945)
  • Com a morte na Alma (1949)
  • As Moscas (1943)
  • Mortos sem sepultura (1946)
  • A engrenagem (1948)
  • A Imaginação (1936)
  • A Transcendência do Ego(1937)
  • Esboço de uma Teoria das Emoções (1939)
  • O Imaginário (1940)
  • As palavras (1964)

Para saber mais sobre a filosofia existencialista, leia também: Existencialismo

Frases

  • O homem deve ser inventado a cada dia.”
  • Eu mudo para continuar o mesmo.”
  • Quando os ricos fazem a guerra, são sempre os pobres que morrem.”
  • Nasci para satisfazer a grande necessidade que eu tinha de mim mesmo.”
  • Todos os homens têm medo. Quem não tem medo não é normal; isso nada tem a ver com a coragem.”
  • Viver é isso: Ficar se equilibrando o tempo todo, entre escolhas e consequências.”
  • Não fazemos o que queremos e, no entanto, somos responsáveis pelo que somos: eis a verdade.”
  • Um amor, uma carreira, uma revolução: outras tantas coisas que se começam sem saber como acabarão.”