Filósofos Brasileiros que Você Precisa Conhecer

Pedro Menezes

Que a Filosofia nasceu na Grécia antiga todo mundo sabe. Que teve um importante momento na Alemanha e na França também. Mas hoje, vamos falar da filosofia em terras tupiniquins. Escolhemos, dentre muitos, oito filósofos e filósofas do Brasil que buscam popularizar a filosofia e que você já conhece ou deveria conhecer.

Os autores e autoras dão continuidade à área de conhecimento nascida na Grécia antiga e propõem, cada um a seu jeito, formas filosóficas interessantes de interpretar a realidade.

1. Mario Sergio Cortella (1954)

Mario Sergio Cortella

Mario Sergio Cortella é formado em Filosofia e Doutor em Educação pela PUC-SP, tendo sido orientado por Paulo Freire.

Seu pensamento engloba, principalmente, as questões relativas ao cotidiano e suas relações com a Ética e a Educação. Acredita na democratização dos conhecimentos e da filosofia. Busca viabilizar o acesso ao pensamento filosófico tradicional e sua relação com o dia a dia. Utiliza as redes sociais e a internet para divulgar seus trabalhos.

Tem livros publicados que fazem esse elo de ligação, como A Sorte Segue a Coragem! Oportunidades, competências e tempos de vida (2018), Por que Fazemos o que Fazemos? - Aflições vitais sobre trabalho, carreira e realização (2016), Ética e Vergonha na Cara! (com Clóvis de Barros, 2014), Descartes: A Paixão pela Razão (1988), entre outros.

O conhecimento serve para encantar as pessoas, não para humilhá-las.

2. Djamila Ribeiro (1980)

Djamila Ribeiro

Djamila Ribeiro, mestre em filosofia política pela Unifesp, é especialista em questões de desigualdades raciais e de gênero, além de ser um dos grandes nomes da filosofia atualmente.

Seu livro O que É Lugar de Fala? (2017) tornou-se referência e é uma leitura incontornável para quem se interessa pelos temas.

Nele é abordada a questão de privilégios a partir de uma noção de que o padrão do homem branco é entendido como padrão universal. Essa perspectiva coloca à margem e silencia todas as outras falas (de mulheres, negros e negras e outros grupos silenciados historicamente). A autora propõe a quebra do silêncio e a promoção da fala desses grupos.

Também é autora do livro Quem tem Medo do Feminismo Negro? (2018), é colunista da revista Carta Capital e possui uma ampla atuação na mídia e nas redes sociais.

Minha luta diária é para ser reconhecida como sujeito, impor minha existência numa sociedade que insiste em negá-la.

3. Luiz Felipe Pondé (1959)

Luiz Felipe Pondé

Luiz Felipe Pondé é doutor em Filosofia pela Universidade de São Paulo (USP) e pós-doutor pela Universidade de Tel Aviv, em Israel.

Em 2012, lançou o Guia Politicamente Incorreto da Filosofia. No livro, o autor afirma que os grupos sociais excluídos reivindicam para si o monopólio do sofrimento e defendem uma "mentira universal" chamada de "politicamente correto".

O filósofo se considera um liberal conservative ou liberal-conservador. Segundo ele, o pensamento do filósofo inglês David Hume é uma união entre o pensamento liberal para a economia com o conservadorismo dos costumes.

Como pesquisador, é especialista em Pascal, tendo publicado alguns livros sobre o pensamento do filósofo e matemático francês.

Escreve para uma coluna no jornal Folha de São Paulo onde comenta sobre a política e questões relativas ao cotidiano.

Quando se deixa de acreditar em Deus, passa-se a acreditar em qualquer besteira… na natureza, na história, na ciência ou em si mesmo. Essa última eu acho, é a pior de todas. Coisa de gente cafona.

4. Marcia Tiburi (1970)

Marcia Tiburi

Marcia Tiburi é doutora em Filosofia pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), especialista no pensamento de Adorno e na Escola de Frankfurt. Seus trabalhos estão relacionados com a filosofia contemporânea.

A filósofa aborda temas sobre a indústria cultural, comunicação de massa e as redes sociais. Durante anos, participou de um programa de tv em que comentava questões cotidianas e relacionadas ao feminismo.

Atua também politicamente. Em 2018, foi candidata e disputou as eleições para a prefeitura do Rio de Janeiro pelo Partido dos Trabalhadores.

É autora dos livros:

  • Filosofia pop (2011);
  • Como Conversar com Um Fascista - Reflexões sobre o cotidiano autoritário brasileiro (2015);
  • Ridículo Político: uma investigação sobre o risível, a manipulação da imagem e o esteticamente correto (2017);
  • Delírio do poder – Psicopoder e loucura coletiva na era da desinformação (2019), em que narra sua experiência nas eleições cariocas.

Se levarmos em conta que falar qualquer coisa está muito fácil, que falamos em excesso e falamos coisas desnecessárias, um novo consumismo emerge entre nós, o consumismo da linguagem. O problema é que ele produz, como qualquer consumismo, muito lixo. E o problema de qualquer lixo é que ele não retorna à natureza como se nada tivesse acontecido. Ele altera profundamente nossas vidas em um sentido físico e mental. O que se come, o que se vê, o que se ouve, numa palavra, o que se introjeta, vira corpo, se torna existência.

5. Marilena Chauí (1941)

Marilena Chauí

Marilena Chauí é uma das mais importantes filósofas do Brasil. É especialista em Spinoza e possui importantes trabalhos sobre o autor. É autora de diversos livros didáticos e de introdução à filosofia utilizados em todo o país.

A filósofa também possui uma grande atuação política. Foi membro-fundadora do Partido dos Trabalhadores e secretária de cultura da cidade de São Paulo.

É professora da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo (FFLCH-USP), foi laureada com títulos de doutora honoris causa por diversas universidades do Brasil e do mundo.

É autora dos livros O que é Ideologia? (1980), Convite à Filosofia (1994), vencedor do Prêmio Jabuti, Nervura do Real (2000), vencedor do mesmo prêmio, entre outros.

A lógica ideológica só pode manter-se pela ocultação de sua gênese, isto é, a divisão social das classes, pois sendo missão das ideologias dissimular a existência dessa divisão, uma ideologia que revelasse sua própria origem se autodestruiria.

6. Silvio Gallo (1963)

Silvio Gallo

Silvio Gallo é um filósofo e educador formado em Filosofia pela PUC-Campinas e doutor em Educação pela Unicamp.

Seu trabalho se volta para a área de educação e o pensamento de uma educação libertária e anarquista. Relaciona a filosofia contemporânea, sobretudo a de Foucault e Deleuze, e os processos educativos.

É autor dos livros:

  • Pedagogia do Risco: Experiências Anarquistas em Educação (1995);
  • Ética e Cidadania: Caminhos da Filosofia (1997);
  • Educação do Preconceito - ensaios sobre poder e resistência (2004);
  • Pedagogia Libertária - Anarquistas, Anarquismos e Educação (2007), entre outros.

Também é autor do livro didático Filosofia - experiência do pensamento (2013), amplamente utilizado nas escolas.

7. Viviane Mosé (1964)

Viviane Mosé

Viviane Mosé é doutora em filosofia pelo Instituto de Filosofia e Ciências Sociais da Universidade Federal do Rio de Janeiro (IFCS-UFRJ) e especialista em Nietzsche.

Durante 2005-2006, apresentou um quadro no Fantástico (programa de tv) onde abordava conceitos filosóficos e os relacionava com questões cotidianas como forma de popularizar a filosofia.

A filósofa é também psicanalista, autora de livros de poesia e ministra palestras por todo o país.

É autora de livros como Assim Falou Nietzsche (1999), Beleza, Feiúra e Psicanálise (2004), Nietzsche hoje (2018), entre outros.

A dor da alma nada mais é do que seus limites se rasgando para caber mais mundo.

8. Leandro Konder (1936-2014)

Leandro Konder

Leandro Konder foi um filósofo brasileiro reconhecido internacionalmente. Buscou compreender as questões da filosofia mais ligadas às questões sociais. Foi um dos maiores especialistas no pensamento de Marx no país.

Formou-se em direito e teve uma intensa carreira na militância partidária. Estudioso do pensamento marxista, sofreu uma grande influência do pensamento de Lukács e da Escola de Frankfurt. Durante a ditadura militar, foi preso, torturado e exilou-se do país. Na Alemanha, deu início a seu doutorado em filosofia, concluído no regresso ao Brasil.

Professor da PUC-Rio, publicou diversos livros. Dentre eles, Introdução ao Fascismo (1977), O que é Dialética (1981), o romance A Morte de Rimbaud (2000) e o autobiográfico Memórias de um Intelectual Comunista (2008).

Qualquer teoria – mesmo as melhores! – pode ser invocada para dar apoio à besteira.

Artistas Filósofos

Além destes pensadores e pensadoras que a filosofia que tornou famosos, temos alguns famosos que também são amantes do conhecimento:

  • Tony Ramos - o ator é formado em filosofia pela PUC-SP.
  • Cláudia Abreu - Além de atriz, produtora e roteirista, dedicou-se ao estudo da filosofia, formada pela PUC-Rio.
  • Vinny - o cantor famoso pelo hit "Heloísa, mexe a cadeira", decidiu se ausentar dos palcos e se formou em filosofia pelo Instituto COC de Ribeirão Preto. Depois, foi cursar o mestrado em Ciências Sociais em uma universidade Argentina.
  • Marcos Mion - o apresentador foi aluno do curso de filosofia da USP.

Interessou? Estes textos também podem te ajudar:

Pedro Menezes
Pedro Menezes
Licenciado em Filosofia pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ) e Mestrando em Ciências da Educação pela Universidade do Porto (FPCEUP).