Joan Miró: vida e obra do artista espanhol

Laura Aidar

O artista espanhol Joan Miró é um dos grandes nomes da pintura do século XX.

Sua obra carrega simplicidade, equilíbrio e muitos elementos imaginativos.

Com composições poéticas, muitas vezes trazendo explosões cromáticas, Miró produziu um trabalho inovador e tornou-se referência no movimento surrealista.

joan miró
À esquerda, Autorretrato (1919). À direita, retrato de Joan Miró

Biografia de Miró

Joan Miró i Ferrá nasceu em 20 de abril de 1893, na cidade catalã de Barcelona. Sua família era bem estruturada e valorizava ideias como o trabalho e o conforto material, além da disciplina.

Seu pai, Miquel Miró i Adzerias, era um ourives de sucesso, e sua mãe, Dolors Ferrà, uma dona de casa de origem maiorquina.

Infância e juventude de Miró

Miró teve uma infância solitária na cosmopolita Barcelona. Encontrava alegria quando visitava familiares em Tarragona e Palma de Maiorca. Lá, podia aproveitar o contato com a natureza, que o fascinava e o inspirava em seus primeiros desenhos infantis.

O tímido Joan não demonstrava entusiasmo pela aprendizagem escolar formal, interessando-se apenas pelas aulas de desenho. Por conta disso, seus pais o retiraram da escola em 1907, aos 14 anos, e o incentivaram a seguir carreira no comércio.

Início dos estudos artísticos

Nessa mesma época, Miró matricula-se na Escola de Belas-Artes de Barcelona, à revelia de seus pais, que em 1910 interferiram novamente na carreira do filho, arranjando para ele um emprego na área de contabilidade.

Tal situação abalou Miró, que adoeceu de depressão e tifo. Depois desse acontecimento, a família o envia à Tarragona. Lá, Miró consegue recuperar-se e decide, enfim, dedicar-se à arte.

Estuda então na Academia Galí, que discutia as vanguardas modernas da arte e o incentivou a desenvolver a sensibilidade.

Depois de concluídos os estudos, Miró continua sua busca e produção artística. Em 1918, realiza sua primeira exposição individual. Com telas inspiradas nos movimentos fauvistas, cubistas e futuristas, a mostra não foi bem aceita pelo público.

O artista inicia, então, uma fase com influência em estampas orientais e artistas como Henri Rousseau, um dos precursores da arte naif.

Joan Miró e o surrealismo

Em 1920, Miró conhece Paris e no ano seguinte se muda para lá, a capital da efervescência artística. Envolve-se com o movimento dadaísta e sofre influência de outros artistas, como Giorgio de Chirico.

Mais tarde, entra em contato com os surrealistas e conhece as teorias psicanalíticas de Sigmund Freud, assim, passa a integrar essa corrente.

Entretanto, mantém sua autonomia e discrição, não participando das acaloradas discussões com os outros membros do grupo, o que gera algumas desconfianças entre eles.

De qualquer maneira, Miró chegou a afirmar sobre o surrealismo:

Em contato com os surrealistas compreendi uma coisa e isso é o que conta para mim: a necessidade de transcender a pintura.

Pinturas Oníricas

Entre 1925 e 1927, o pintor inicia uma série de trabalhos mais simples e em direção à abstração, que ficaram conhecidos como "pinturas oníricas".

Como características marcantes podemos destacar: elementos únicos, como manchas, círculos de cor, arabescos ou pinceladas simples. Em 1928, Miró volta a buscar inspiração nos clássicos.

Outras linguagens

Posteriormente, com a crise econômica que se instala, com a quebra de Bolsa de Valores de Nova York, Miró passa por apuros financeiros.

Nessa época já estava casado com Pilar Juncosa e ambos passavam mais tempo na Espanha do que em Paris. Tanto que, sua única filha, Maria Dolors, nasceu em Barcelona, em julho de 1930.

Os anos entre 1929 e 1931 foram difíceis para o artista, que "abandona" a pintura e passa a dedicar-se a outras linguagens, como colagens e desenhos.

Em 1932, Miró volta a viver em Barcelona e, em 1934, conhece o renomado pintor Wassily Kandinsky.

Nesse mesmo período inicia uma série de obras intituladas "pinturas selvagens", onde exibe figuras disformes e assustadoras, um anúncio dos duros tempo que estavam por vir com a Guerra Civil Espanhola e a Segunda Guerra Mundial. Nesse momento, decide retornar com a família para Paris, fugindo do conflito.

A partir de 1944, Miró a passa a produzir peças em cerâmica e escultura também, que tornam-se parte de sua linguagem.

Consolidação e reconhecimento de Miró

O prestígio e reconhecimento veio de fato na década de 40, nos EUA. Lá, os jovens pintores entram em contato com o trabalho do catalão e gostam muito.

Dessa forma, foi o primeiro artista das vanguardas europeias a expor nos EUA. Nos anos 60 e 70, sua produção já era famosa em todo o mundo.

Nessa época, Miró estava interessado em defender a cultura catalã cada vez mais, pois o governo do General Franco buscava sufocar manifestações culturais de origens catalãs. Em 1975, inaugura a Fundação Joan Miró, em Barcelona.

Joan Miró falece aos 90 anos, em 25 de dezembro de 1983, em Palma de Maiorca, deixando um legado inestimável.

Obras de Joan Miró

Selecionamos algumas importantes obras de Joan Miró, exibidas cronologicamente. Confira!

1. A fazenda (1921-1922)

a fazenda miró

2. A garrafa de vinho (1924)

a garrafa de vinho

3. O carnaval de Arlequim (1924-1925)

o carnaval de arlequim

4. Composição (1933)

composição miró

5. Mulher e cachorro diante da lua (1936)

o cachorro e a mulher diante da lua joan miró

6. O belo pássaro decifrando o desconhecido a um casal de amantes (1941)

O belo pássaro decifrando o desconhecido a um casal de amantes

7. Mulheres e pássaros ao amanhecer (1946)

mulheres e pássaros ao amanhecer

8. Personagens e cachorros diante do sol (1949)

Personagens e cachorros diante do sol (1949)

9. O ouro do firmamento (1967)

o ouro do firmamento

10. Mulher, pássaro e estrela (1966-1973)

mulher, pássaro e estrela miró

Vídeo sobre Joan Miró

Em 2015, houve uma exposição de Joan Miró em São Paulo, no instituto Tomie Ohtake. Veja o que os curadores disseram sobre a produção do artista na época.

Referências Bibliográficas

Coleção Folha - Grandes Mestres da Pintura

Laura Aidar
Laura Aidar
Licenciada em Educação Artística pela Universidade Estadual Paulista (Unesp) em 2007. Formada em Fotografia pela Escola Panamericana de Arte e Design de São Paulo (2010).