12 obras de Salvador Dalí que vão te impressionar

Laura Aidar

Salvador Dalí é provavelmente o artista mais conhecido do movimento surrealista.

O pintor era bastante rigoroso em suas composições, tendo como base estrutural o desenho. Curioso e dedicado, Dalí aprofundou-se em diversas áreas do conhecimento que o ajudaram na elaboração de seus trabalhos.

Os temas relacionados à comida, sexo e morte são frequentes em sua produção, assim como as paisagens que remetem às suas origens, a região de Ampurdán, na Catalunha.

O artista conseguia criar atmosféricas quase sempre oníricas e um tanto quanto fantasmagóricas em sua telas, o que impressiona o público até hoje. Confira agora 12 telas que selecionamos para você.

1. A tentação de Santo Antônio

A tentação de Santo Antônio (1946)
A tentação de Santo Antônio (1946)

Esse quadro foi feito para um concurso idealizado pelo diretor de cinema Albert Lewin. A obra seria parte de um novo filme, cujo tema era "a tentação de Santo Antônio".

O vencedor do concurso foi Max Ernst, com a pintura The private afair of Bel Ami (O homem sem coração).

Mesmo não ganhando, a obra de Dalí fez um enorme sucesso. Nessa tela, ele exibe um homem santo sendo importunado por imagens que sugerem desejo sexual e luxúria.

Esse é um óleo sobre tela, de 1946, mede 197 x 249,4 cm e está no Museus Reais de Belas-Artes da Bélgica.

2. A face da guerra

A face da guerra (1940-41)
A face da guerra (1940-41)

A face da guerra é uma obra concebida no período do pós-guerra espanhol. Nessa época, também estava acontecendo a Segunda Guerra Mundial.

Salvador Dalí estava vivendo por um breve momento na Califórnia (EUA), mas conservava em sua memória os horrores da guerra.

Ele pinta então essa tela que exibe uma grande caveira com olhos e bocas representando demais caveiras, e dentro delas mais outras. É como o artista consegue exprimir seu horror diante de tanta brutalidade.

A obra foi feita em 1940-41, é um óleo sobre tela de 64 x 79 cm e se localiza no Museu Boijmans Van Beuningen, na Holanda.

3. Criança geopolítica assistindo o nascimento de um novo homem

Criança geopolítica observando o nascimento do novo homem (1943)
Criança geopolítica observando o nascimento do novo homem (1943)

Esse também é um trabalho que exprime a preocupação do artista diante dos acontecimentos no período em que vivia, logo após a Segunda Guerra.

A composição exibe uma forma mole oval representando o globo terrestre. De dentro dele "nasce" um homem e na rachadura produzida pelo rompimento escorre sangue. Uma mulher e uma criança assistem ao acontecimento.

Esse é um óleo sobre tela de 1943, mede 45 x 50 cm, sendo sua localização desconhecida.

4. Galatea das esferas

Galatea da esferas (1952)
Galatea da esferas (1952). À direita, detalhe da obra

Nessa obra, Dalí pintou sua esposa, Elena Diakonova, conhecida como Gala. Aqui, o artista expõe seu interesse e conhecimentos acerca de temas científicos, como a desintegração da matéria.

Dalí representa a figura humana como um conjunto de partículas, os átomos, mas que também remetem aos planetas no vazio do universo.

Gala está com os olhos fechados e com expressão calma, quase como um ninfa grega. Aliás, o nome Galatea está relacionado à mitologia grega clássica.

A tela data de 1952, possui 65 x 54 cm e está localizada no Teatro Museu Dalí.

5. Cisnes refletindo elefantes

Cisnes refletindo elefantes (1937)
Cisnes refletindo elefantes (1937)

Em Cisnes refletindo elefantes, o pintor usa o "método paranóico crítico", uma ferramenta calcada na psicanálise, que ele desenvolveu para que a apreciação do público fosse ainda mais profunda.

Na tela, Dalí produz imagens ambíguas, em que cisnes mesclam-se a troncos retorcidos formando imagens de elefantes no reflexo do lago.

A paisagem é ensolarada e árida e há também a figura de um homem - que talvez fosse um autorretrato do artista - do lado esquerdo da cena.

A produção é de 1937, tem 51 x 67 cm e foi produzida com tinta a óleo sobre lona. Pertence a uma coleção privada.

6. Cabeça rafaelesca arrebentada

Cabeça rafaelesca arrebentada (1951)
Cabeça rafaelesca arrebentada (1951). À direita, detalhe da obra

Essa foi a primeira vez que Salvador Dalí fragmenta a figura humana em micro-partículas, que ele designou "partículas paranóicas".

O artista retrata uma cabeça feminina composta por estruturas que às vezes lembram espermatozoides e também chifres de rinoceronte.

Há também uma abertura no topo da cabeça da figura por onde entra um facho de luz solar amarelada, o que cria uma atmosfera divina.

O quadro foi feito em 1951 com tinta a óleo, mede 43 x 33 cm e está na Galeria Nacional da Escócia.

7. Construção mole com feijões cozidos (Premonição da Guerra Civil)

Construção mole com feijões cozidos (Premonição da Guerra Civil) de 1936
Construção mole com feijões cozidos (Premonição da Guerra Civil) de 1936. À direita, detalhe do quadro

Nesse trabalho, Salvador Dalí trata do tema da Guerra Civil Espanhola sob uma perspectiva um tanto quanto obscura no que toca seu posicionamento ideológico e político.

Por conta dessa obra e da ambiguidade política do artista, o movimento surrealista o pressiona e surgem diversas polêmicas, pois todos os artistas de tal vertente se consideravam revolucionários de esquerda.

O pintor coloca o acontecimento como algo inevitável em que a Espanha se "auto-aniquila".

O ser que domina a cena, forma o contorno do mapa espanhol e dele surgem braços e pernas. Nota-se feijões cozidos derramados no solo, o que não é capaz de alimentar ninguém.

A tela foi pintada com tinta a óleo em 1936, tem 101 x 100 cm e está no Museu de Arte da Filadélfia, nos Estados Unidos.

8. Girafa em chamas

Girafa em chamas (1937)
Girafa em chamas (1937). À direita, detalhe da tela, com o animal pegando fogo

A tela A girafa em chamas, foi produzida durante a Guerra Civil Espanhola. Nesse período, Dalí estava auto-exilado. Ele pintou o quadro na mesma época em que fez Construção mole com feijões cozidos. Nas duas obras a atmosfera da guerra está presente.

Aqui, Dalí utiliza a girafa como símbolo premonitório de grandes desastres. A mulher com gavetas não possui feição, que seria o símbolo do desespero. São muitos os elementos psicanalíticos que o pintor usa para fazer sua leitura do momento bélico em que a Espanha se encontrava.

A obra é de 1937, está localizada no Museu das Belas Artes de Basileia, na Suíça. Foi pintada com tinta a óleo e tem dimensões de 35 x 27 cm.

9. Sonho causado pelo vôo de uma abelha em torno de uma romã um segundo antes de acordar

Sonho causado pelo vôo de uma abelha em torno de uma romã um segundo antes de acordar (1944)
Sonho causado pelo vôo de uma abelha em torno de uma romã um segundo antes de acordar (1944). Detalhe à direta

A inspiração para esse quadro foi um sonho que Gala, a esposa de Dalí, contou ao pintor.

Na tela, a mulher é retratada nua flutuando sobre uma rocha que exibe uma fissura. Há uma grande romã, de onde salta um peixe com a boca aberta, de dentro do peixe surgem dois tigres ferozes.

Há ainda uma espingarda apontada para a moça, além uma abelha sobrevoando uma romã e um elefante de pernas longas e finas ao longe. Tudo isso em uma paisagem marítima.

A romã poderia estar relacionada à fertilidade feminina, ao passo que a rocha partida teria relação com o interesse de Dalí pela energia atômica e fissão nuclear.

O óleo sobre tela data de 1944, tem 51 x 41 cm e está no Museu Thyssen-Bornemisza, em Madri, Espanha.

10. O sono

O sono (1937)
O sono (1937)

Em O sono, podemos observar uma cabeça mole, de grandes proporções e sem corpo, que dorme amparada por muletas. A paisagem é árida, há algumas figuras e uma construção ao fundo.

É interessante notar como o artista trata do assunto sobre o sono. Esse aspecto da vida era demasiado importante para os surrealistas, que viam nesse momento uma oportunidade de "desligamento" com o real e uma conexão com o mundo do inconsciente.

A obra - realizada em 1937 - foi feita com a técnica óleo sobre tela, possui 51 x 78 cm e pertence a uma coleção particular.

11. O grande masturbador

O grande masturbador (1929)
O grande masturbador (1929)

Quando preparava sua primeira exposição, no verão de 1929, Dalí produziu a tela O grande masturbador. Na composição, fica evidente a ânsia do artista em procurar o "clímax sexual".

Foi nessa época que o pintor conheceu Gala, a mulher que viria a ser sua esposa. Na ocasião, a moça era casada com o poeta Paul Éluard.

Nessa obra, o artista exprime seus mais íntimos desejos e inquietações acerca da pulsão sexual.

Há diversos elementos simbólicos e com características oníricas, o que justifica a análise de muitos críticos de arte sobre a produção do pintor, dizendo que seriam "sonhos fotografados".

O trabalho, de 110 x 150 cm, é um óleo sobre tela e está localizado no Museu Nacional Centro de Arte Reina Sofia, em Madri, na Espanha.

12. Rosto de Mae West utilizado como apartamento surrealista

mae west apartamento
À esquerda a obra Rosto de Mae West utilizado como apartamento surrealista (1934-35). À direita, instalação feita a partir do trabalho original

Essa obra foi realizada depois que Dalí esteve em Hollywood e entrou em contato com astros do cinema, entre eles a diva Mae West.

O pintor se impressionou com a postura da atriz, que costumava desconcertar os puritanos da época, sendo um sex symbol. Ele então elaborou a composição inspirada no rosto da musa.

A obra original foi feita entre 1934 e 1935. Produzida em guache sobre papel-jornal, o trabalho mede 28,3 x 17 cm e está localizado no Art Institute of Chicago (IAC), no Estados Unidos.

Anos mais tarde, em 1938, foi realizada uma instalação a partir da obra.

10 Curiosidades sobre Salvador Dalí

salvador dalí
Dalí em 1954 posando para foto com uma lagosta

Salvador Dalí (1904-1989) foi um dos mais excêntricos artistas do século XX. Polêmico, o pintor construiu uma imagem extravagante, como uma espécie de personagem de si mesmo.

Confira algumas curiosidades sobre a vida desse importante artista.

  1. Salvador Domingo Felipe Jacinto Dali i Domènech, esse era o nome completo de Dalí.
  2. O pintor nasceu pouco tempo depois da morte de seu irmão e ganhou o mesmo nome do menino, Salvador.
  3. Foi expulso da Academia de Belas-Artes, em Madri. O fato aconteceu por recusar-se a fazer um exame, pois - segundo ele - nenhum professor tinha talento suficiente para julgar seu trabalho.
  4. Seu famoso bigode foi inspirado no do artista espanhol Diego Velásquez, do qual Dalí era admirador.
  5. Foi expulso do grupo de artistas surrealistas por conta de contradições ideológicas. Grande parte dos surrealistas prezavam o marxismo, enquanto Dali intitulava-se “anarco-monárquico”.
  6. Foi amigo do poeta Federico Garcia Lorca, que conheceu na Academia de Belas-Artes. Especula-se que os dois tiveram um relacionamento amoroso.
  7. Lançou um livro aos 37 anos intitulado "A vida secreta de Salvador Dalí".
  8. Foi amigo do cineasta espanhol Luis Buñel. Juntos, eles produziram o filme surrealista "Um cão andaluz" em 1928.
  9. Certa vez, durante uma exposição em Londres, Salvador Dalí surgiu trajando roupas de mergulho. Ele apreciava chocar e confundir as pessoas.
  10. Dalí faleceu em janeiro de 1989, aos 84 anos. Está enterrado na cidade espanhola Figueras, que abriga também um museu dedicado à ele.
Laura Aidar
Laura Aidar
Licenciada em Educação Artística pela Universidade Estadual Paulista (Unesp) em 2007. Formada em Fotografia pela Escola Panamericana de Arte e Design de São Paulo (2010).