Metrificação


A Metrificação é a forma utilizada na Poética para medição de versos (metro), sendo, portanto, o estudo dessa medida.

Ela é feita mediante a escansão - que consiste na contagem dos sons e dos versos a partir da elevação de ritmo ou tonicidade das palavras - e, uma vez que a poesia teria originalmente a função de ser cantada, esses fatores desempenhavam particular importância, visto que os efeitos desejados eram obtidos através da regularidade dos versos, bem como das rimas.

Assim,
Metro = medida do verso.
Metrificação = estudo do metro.

Recursos Utilizados

A medição de versos obedece às seguintes particularidades:

  • Sinalefa: Junção de duas sílabas numa só, por elisão, crase ou sinérese.
  • Elisão: Supressão da vogal final átona quando esta estiver diante da vogal que inicia a palavra que se segue.
  • Crase: Fusão de vogais iguais.
  • Sinérese: Contração de duas vogais contíguas em um ditongo.
  • Diésere: Separação de vogais numa mesma palavra, constituindo duas sílabas distintas.
  • Hiato: Encontro de duas vogais átonas, constituindo uma única sílaba.

Sílabas Literárias X Sílabas Gramaticais

A contagem das sílabas literárias, ou poéticas, se distingue da contagem das sílabas gramaticais. Isso porque enquanto na gramática se considera o número de sílabas gráficas, na literatura se considera o número de sílabas sonoras.

Há duas regras que diferenciam as sílabas literárias:

  • Contar somente até a última sílaba tônica de cada verso;
  • Unir sílabas quando houver som fraco e forte ou vice versa.

Exemplos:

O/ poe/ ta é/ um/ fin/ gi/ dor - 7 Sílabas literárias

O/ po/ e/ ta/ é/ um/ fin/ gi/ dor - 9 Sílabas gramaticais

_____________________________________________

Fin/ ge/ tão/ com/ ple/ ta/ men/ te - 7 Sílabas literárias

Fin/ ge/ tão/ com/ ple/ ta/ men/ te - 8 Sílabas gramaticais

_____________________________________________

Que/ che/ ga a/ fin/ gir/ que é/ dor - 7 sílabas literárias

Que/ che/ ga/ a/ fin/ gir/ que/ é/ dor - 9 Sílabas gramaticais

_____________________________________________

A/ dor/ que/ de/ ve/ ras/ sen/ te - 7 sílabas literárias

A/ dor/ que/ de/ ve/ ras/ sen/ te - 8 Sílabas gramaticais

(Parte de “Autopsicografia”, de Fernando Pessoa)

Classificação dos Versos

Mediante o número de sílabas poéticas, os versos são classificados da seguinte forma:

  • Monossílabos - 1 sílaba
  • Dissílabos - 2 sílabas
  • Trissílabos - 3 sílabas
  • Tetrassílabos - 4 sílabas
  • Pentassílabos (ou Redondilha Menor) - 5 sílabas
  • Hexassílabos (ou Heróico Quebrado) - 6 sílabas
  • Heptassílabos (Redondilha Maior) - 7 sílabas
  • Octossílabos - 8 sílabas
  • Eneassílabos - 9 sílabas
  • Decassílabos - 10 sílabas
  • Hendecassílabos - 11 sílabas
  • Dodecassílabos - 12 sílabas
  • Bárbaros - mais do que 12 sílabas

Quando os versos têm o mesmo número de sílabas poéticas, ou seja, são regulares, eles recebem o nome de isométricos.

Camões compôs todo “Os Lusíadas” em decassílabos, sendo assim, considerada o melhor exemplo de versos isométricos.

Por outro lado, quando os versos não apresentam regularidade, são chamados de heterométricos, bem como são chamados de versos livres aqueles que não obedecem qualquer forma.

Os versos livres foram largamente utilizados pelos modernistas, de modo que a liberdade e o abandono das formas fixas foi das principais caraterísticas da Escola Moderna.

Metrificação de Soneto de Fidelidade

Vejamos como fazer a metrificação neste soneto escrito pelo poeta e compositor brasileiro Vinícius de Moraes, todo ele escrito em decassílabos:

“De/ tu/do ao/ meu/ a/mor/ se/rei/ a/ten/to
An/tes/, e/ com/ tal/ ze/lo, e/ sem/pre, e/ tan/to
Que/ mes/mo em/ fa/ce/ do/ mai/or/ en/can/to
De/le/ se en/can/te/ mais/ meu/ pen/sa/men/to.

Que/ro/ vi/vê-/lo em/ ca/da/ vão/ mo/men/to
E em/ seu/ lou/vor/ hei/ de es/pa/lhar/ meu/ can/to
E/ rir/ meu/ ri/so e/ de/rra/mar/ meu/ pran/to
Ao/ seu/ pe/sar/ ou/ seu/ con/ten/ta/men/to.

E a/ssim/, quan/do/ mais/ tar/de/ me/ pro/cu/re
Quem/ sa/be a/ mor/te, an/gús/tia/ de/ quem/ vi/ve
Quem/ sa/be a/ so/li/dão/, fim/ de/ quem/ a/ma.

Eu/ po/ssa/ me/ di/zer/ do a/mor/ (que/ ti/ve):
Que/ não/ se/ja i/mor/tal,/ pos/to/ que é/ cha/ma
Mas/ que/ se/ja in/fi/ni/to en/quan/to/ du/re.”