O que é Verso?

Daniela Diana

Na linguagem literária, o verso representa cada linha da poesia, que juntas, formam a estrofe.

A poesia é um tipo de texto lírico que utiliza recursos, por exemplo, a musicalidade, o ritmo e as rimas para dar maior ênfase ao discurso.

Estrofe

O conjunto de versos é chamado de estrofe, sendo que o número de versos pode variar em cada estrofe. Assim, de acordo com número de versos que compõem as estrofes, elas são classificadas em:

  • Monóstico: estrofe de 1 verso
  • Dístico: estrofe de 2 versos
  • Terceto: estrofe de 3 versos
  • Quarteto ou Quadra: estrofe de 4 versos
  • Quintilha: estrofe de 5 versos
  • Sextilha: estrofe de 6 versos
  • Septilha: estrofe de sete versos
  • Oitava: estrofe de 8 versos
  • Nona: estrofe de 9 versos
  • Décima: estrofe de 10 versos
  • Irregulares: estrofe com mais de 10 versos

Diferença entre Poesia e Prosa

A poesia representa um tipo de texto lírico escrito geralmente em versos, que possui métrica, rima e ritmo.

Por sua vez, a prosa é um texto no estilo natural, ou seja, que não apresenta métrica e geralmente, não apresentam rimas ou ritmo.

Ainda que sejam distintos quanto à forma, já que a poesia é formada por versos e a prosa trata-se de um texto corrido, a prosa é dividida em prosa literária e prosa não literária.

Sendo assim, podemos intuir que há diversos textos literários em prosa que apresentam certo lirismo, tal qual nas poesias, por exemplo, as novelas, romances e crônicas que utilizam a linguagem figurada (conotativa) como principal recurso expressivo da linguagem literária.

Classificação dos Versos

A composição dos versos pode seguir um padrão de metrificação, ou seja, apresentar medidas para cada verso.

Sendo assim, quando os versos apresentam medidas iguais, eles são chamados de isométricos. Por sua vez, quando apresentam medidas distintas, são classificados em heterométricos, por exemplo, os versos livres (irregulares, sem medida).

Note que as sílabas dos versos possuem uma metrificação distinta das sílabas gramaticais. De tal maneira, segundo o número de sílabas poéticas que possuem os versos são classificados em:

  • Monossílabo: uma sílaba poética
  • Dissílabo: duas sílabas poéticas
  • Trissílabo: três sílabas poéticas
  • Tetrassílabo: quatro sílabas poéticas
  • Pentassílabo ou Redondilha Menor: cinco sílabas poéticas
  • Hexassílabo: seis sílabas poéticas
  • Heptassílabo ou Redondilha Maior: sete sílabas poéticas
  • Octossílabo: oito sílabas poéticas
  • Eneassílabo: nove sílabas poéticas
  • Decassílabo: dez sílabas poéticas
  • Hendecassílabo: onze sílabas poéticas
  • Dodecassílabo ou Alexandrino: doze sílabas poéticas
  • Verso Bárbaro: verso com mais de doze sílabas poéticas

Versificação e Metrificação

A versificação é um termo que significa a arte de compor versos por meio de recursos como a rima, o ritmo e a métrica.

Por sua vez, a metrificação aponta para as diversas medidas dos versos, tal qual listadas acima.

Observe que as sílabas poéticas ou métricas são diferentes das sílabas gramaticais, sendo a “escansão”, o termo denominado para indicar a contagem dos sons dos versos.

A contagem das sílabas é feita até a última sílaba tônica do verso, e, quando há duas ou mais vogais, átonas ou tônicas, do final de uma palavra e do começo de outra, elas se fundem, formando uma só sílaba poética. Para entender melhor essa diferença veja abaixo o exemplo:

O/ poe/ ta é/ um/ fin/ gi/ dor - 7 Sílabas literárias
O/ po/ e/ ta/ é/ um/ fin/ gi/ dor - 9 Sílabas gramaticais

Fin/ ge/ tão/ com/ ple/ ta/ men/ te - 7 Sílabas literárias
Fin/ ge/ tão/ com/ ple/ ta/ men/ te - 8 Sílabas gramaticais

Exemplos de Versos

Segue abaixo dois exemplos de versos: eneassílabos (exemplo 1) e versos decassílabos (exemplo 2):

Exemplo 1

Ó guerreiros da Taba sagrada,
Ó Guerreiros da Tribo Tupi,
Falam Deuses nos cantos do Piaga,
Ó Guerreiros, meus cantos ouvi.

Esta noite - era a lua já morta -
Anhangá me vedava sonhar;
Eis na horrível caverna, que habito,
Rouca voz começou-me a chamar.

(Trecho do poema “O Canto do Piaga” de Gonçalves Dias)

Exemplo 2

Canto I

As armas e os barões assinalados,
Que da ocidental praia Lusitana,
Por mares nunca de antes navegados,
Passaram ainda além da Taprobana,
Em perigos e guerras esforçados,
Mais do que prometia a força humana,
E entre gente remota edificaram
Novo Reino, que tanto sublimaram;

(Trecho da obra “Os Lusíadas” de Luís de Camões)

Daniela Diana
Daniela Diana
Licenciada em Letras pela Universidade Estadual Paulista (Unesp) em 2008 e Bacharelada em Produção Cultural pela Universidade Federal Fluminense (UFF) em 2014. Amante das letras, artes e culturas, desde 2012 trabalha com produção e gestão de conteúdos on-line.