Placas Tectônicas


As Placas tectônicas formam a camada externa e sólida da Terra denominada litosfera, onde estão os continentes e oceanos.

Esta camada é constituída por sete principais placas rochosas rígidas que mudam de posição e se encaixam como um quebra-cabeças.

Ao movimento das placas são atribuídos a formação das cadeias de montanhas, vulcões, terremotos, tsunamis, paisagens e o mapa do planeta.

Principais Placas Tectônicas

A denominação placa tectônica é um conceito que trata da história geológica da Terra. As principais placas tectônicas são:

Placas Tectônicas

  • Placa Africana
  • Placa da Antártida
  • Placa Australiana
  • Placa Euroasiática
  • Placa do Pacífico (rodeada pelo Círculo de Fogo do Pacífico)
  • Placa Norte-americana
  • Placa Sul-americana

Há, ainda, as placas menores, denominadas: Placa Adriática, Placa da Anatólia, Placa Arábica, Placa Caribeana, Placa da Carolina, Placa de Cocos, Placa Leste-Americana, Placa de Gorda, Placa Helénica, Placa Indiana, Placa Indo-Australiana, Placa Iraniana, Placa Juan de Fuca, Placa de Nazca, Placa das Filipinas, Placa da Somália, Placa de Scotia, Placa de Sunda e Placa de Tonga.

Limites das Placas Tectônicas

Há três tipos de limites de placas tectônicas: Divergentes (que definem a zona de construção da crosta), Convergentes (definidas na zona de destruição da crosta) e Conservativos (onde estão as falhas transformantes).

Limites Divergentes

Ocorre quando as placas traçam o movimento de distância uma das outras provocando o “nascimento” de uma nova crosta oceânica.

O movimento é traçado no sentido horizontal. Esse limite é definido em três estágios, sendo o primeiro a abertura de um oceano que ocorre com a fratura da crosta, a invasão da água e formação de lagos salinos. Nesta fase, há intensa atividade vulcânica.

No segundo estágio, a fragmentação é total e há formação de dois continentes efetivamente separados por um oceano. A atividade vulcânica persiste pela ascensão do magma.

É permanência da atividade do magma que define a chegada ao terceiro estágio, denominado formação de oceano. O principal exemplo do limite Divergente em seus três estágios está no Oceano Atlântico, que separa Europa, África e América.

A divisão dos continentes começou há 180 milhões de anos a uma velocidade média de 1 centímetro por ano.

Limites Convergentes

Esta é a definição para o movimento de colisão de uma placa sobre a outra. Existem três tipos de convergência entre as placas tectônicas e são: oceânica-continental, continental-continental e oceânica-oceânica.

A convergência oceânica continental ocorre quando há porções profundas nos oceanos e as placas se encontram e é possível a formação de vulcões.

Já na convergência continental-continental, uma placa “mergulha” sobre a outra e as consequência principal é a formação de cadeias de montanhas.

Limites Conservativos

O limite Conservativo ocorre em áreas com deformação em que as placas deslizam uma em relação à outra sem divergência ou convergência.

Quando a energia concentrada ao longo desses limites é liberada, há movimentação das placas, e pode haver terremotos dos chamados focos rasos, que são os de maior poder de destruição.

Complemente sua pesquisa com a leitura dos artigos: